search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Ananda Marçal faz desabafo contra o machismo

Entretenimento

Publicidade | Anuncie

Entretenimento

Ananda Marçal faz desabafo contra o machismo


Cantar o amor para Ananda Marçal, 27, tornou-se algo cômodo. Afinal, a capixaba vive um verdadeiro conto de fadas com o surfista Filipe Toledo, com quem está casada desde 2017.

É por acreditar que precisava ir além da temática romântica abordada em “Cancela” e “Vontade de Mim” que a cantora natural de Muqui compôs a empoderada “Seu Lugar”. A música pop é mais um lançamento pela Midas Music, gravadora de Rick Bonadio.

“Para mim, é muito fácil falar de amor, pois vivo um relacionamento bom. Precisava abordar um assunto que mostrasse que tenho algo a dizer. A ideia era mostrar como me sinto como mulher. Queria que todas as pessoas que sofrem preconceito, que se sentem desencorajadas para serem quem são, se identificassem”, conta ela, que começou a cantar profissionalmente na pandemia.

Ananda: “Se quero usar uma roupa curta, eu vou usar!”. (Foto: Divulgação/Fernando Mendes)Ananda: “Se quero usar uma roupa curta, eu vou usar!”. (Foto: Divulgação/Fernando Mendes)

A letra é um verdadeiro desabafo sobre como é crescer em um mundo tão machista, com versos como “Mulher faça o que cê quiser / Deixa pra lá / De todo jeito vão falar / O seu lugar é onde cê quiser estar”.

“Sei como é ir na rua e ser 'comida' com os olhos. A gente pode estar onde quiser e, se quero usar uma roupa curta, eu vou usar! A culpa não é minha se eu for estuprada ou se alguém me objetificar ou julgar por conta disso”, diz.

Mãe de Koa, 3, e Mahina, 4, frutos de seu relacionamento com o astro do surfe, a bela acredita que se tornar mãe “turbinou” sua autoconfiança. “Sinto que a vontade de fazer acontecer, de dar a cara a tapa, veio com a maternidade, com o amadurecimento de enxergar o que eu quero para os meus filhos no futuro. Já encontrei o meu lugar no mundo que é ser mãe e cantora”, salienta.

A pequena Mahina, inclusive, aparece no clipe de “Seu Lugar” ao lado da mãe popstar e da avó Cíntia Marçal.

Raiz capixaba

Apesar de morar na Califórnia (EUA) desde 2015, Ananda tem o Brasil como foco de sua carreira e fez questão de trabalhar com capixabas na superprodução audiovisual.

Entre os conterrâneos envolvidos, Junior Batista, que assina a direção, e Jessica Neves, amiga da cantora desde a adolescência e que ficou responsável pelo seu figurino. O clipe, aliás, foi gravado em um dos galpões do Instituto Brasileiro do Café, em Vitória.

“Queria muito trazer essa coisa da nossa raiz capixaba porque temos muitos artistas talentosos. Sinto que o próprio capixaba tem um pouco de preconceito com o que é do Estado e quero quebrar isso”.

“Ele acreditou na minha carreira desde o começo”

AT2 Quando descobriu que queria ser cantora?
Ananda Marçal Desde pequena, a música fica me cutucando. Sabe quando vem de dentro? Meu tio tinha um bar onde músicos tocavam e ia para lá quando o pessoal estava passando o som para poder cantar. Vira e mexe minha mãe me encontrava lá. Também participei de shows de talento e sempre que via um grupinho de pessoas tocando violão, era para onde eu corria. (Risos)

Cheguei até a sair um pouco da área da música e continuar na arte quando fui fazer TV e Cinema no Rio. Em 2020, resolvi apostar na música. Todo mundo falou: “você canta tão bem, por que não divide isso com as pessoas?”. E, na pandemia, joguei meus covers na internet. Foi quando meu produtor me achou e aí comecei a cantar profissionalmente.

Morou em Muqui, Vila Velha, Rio e Califórnia. De que forma isso refletiu na sua vida?

Saí de uma cidade pequena, geralmente as pessoas de cidade pequena são mais tímidas, mas sempre fui um pouquinho mais pra frente. (Risos) Falo que foi um curso preparatório da vida passar por todas essas cidades. Inclusive, nesse meio tempo, fui mãe e acho que isso traz uma garra!

Tem quanto tempo que não vem ao Espírito Santo? 

Estive aí entre junho e julho. Foi quando gravei o clipe e novas músicas. Daqui pra frente, estarei aí, pelo menos, umas quatro, cinco vezes no ano.

Do que mais sente falta?

Sinto muito falta dessa facilidade que é descer do prédio e ir à padaria comer um pão francês. Também sinto falta de poder ir à praia o ano inteiro, sentar na areia e não sentir frio. (Risos)

Apesar de morar fora, está focada no Brasil.

Deus me fez brasileira por algum motivo, sou apaixonada pelo Brasil e sua cultura riquíssima! Quero muito poder somar para a música brasileira. Para o brasileiro olhar e falar: “Caramba, hoje temos músicas tão boas quanto as internacionais”, sabe?

Quais são as suas referências musicais?

Iza, Doja Cat, Beyoncé, Giulia Be e Ariana Grande, é claro!

Quer empoderar minorias com seu novo single. Já se sentiu desencorajada para ser você?

Tive medo de cantar porque queria fazer pop. Sempre cantei coverzinho calmo e aí via Luísa Sonza e Anitta sendo muito massacradas, julgadas, e pensava: “Deus, será que quero isso pra mim?”

E agora que lancei “Seu Lugar”, algo totalmente diferente do que tinha lançado, algumas pessoas falam: “Ah, não se faz mais música como antigamente”, “tudo tem que ser hipersexualizado”...

Seu marido, Filipe Toledo, te apoiou na carreira? E como vão se organizar daqui pra frente?

Ele acreditou muito na minha carreira desde o começo. Falo que ele é meu investidor, por me impulsionar realmente. Inclusive, ele que me incentivou a gravar os covers. Nessa época, era super insegura.

Agora, não sei o que a gente vai arrumar, porque ele realmente viaja muito. Mas, graças a Deus, ele tem essas janelas  entre um campeonato e outro. A gente vai ter que fazer acontecer!

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.