search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Alunos vão escolher nova data do Enem

Notícias

Publicidade | Anuncie

Educação

Alunos vão escolher nova data do Enem


Após pressão por parte dos estudantes, o governo federal decidiu adiar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A nova data será escolhida pelos próprios inscritos para a prova numa enquete que será realizada em junho, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Principal forma de acesso ao ensino superior, o Enem 2020 estava marcado para os dias 1º e 8 de novembro. Já a versão digital era prevista para 22 e 29 do mesmo mês.

Segundo o Inep, órgão ligado ao Ministério da Educação (MEC), as provas serão adiadas “de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto”, ou seja, vão ocorrer em dezembro deste ano ou janeiro de 2021.

Para definir a nova data, uma enquete online será feita com os inscritos em junho, na Página do Participante, pela internet. As inscrições para o Enem seguem abertas até as 23h59 desta sexta-feira (22).

A decisão de adiar o Enem aconteceu depois de o governo federal enfrentar questionamentos, inclusive judiciais, cobrando uma mudança de data por conta da pandemia do novo coronavírus.

O estudante Emanuel Bonatto, de 17 anos, diz que o adiamento do exame nacional vai garantir mais    igualdade (Foto: Acervo pessoal)
O estudante Emanuel Bonatto, de 17 anos, diz que o adiamento do exame nacional vai garantir mais igualdade (Foto: Acervo pessoal)

A principal crítica era de que os alunos da rede pública seriam os mais prejudicados, já que o acesso às aulas online, como as oferecidas pelas escolas particulares, é mais complicado.

Entidades como a União Nacional dos Estudantes (UNE) pediam o adiamento, mas num primeiro momento foram ignoradas pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. O debate, no entanto, chegou ao Congresso, e o Senado aprovou na última terça-feira um projeto de lei que adiava a prova.

Em suas redes sociais, na quarta (20) o ministro sugeriu o adiamento “diante dos recentes acontecimentos no Congresso” e após conversas com outros políticos.

Para o estudante Emanuel Bonatto, 17 anos, que é da rede particular, o adiamento é a melhor solução. “Não penso só em mim, pois já há uma disparidade entre as escolas particulares. Em comparação com a pública, é maior ainda. Adiando, há mais igualdade diante dessa situação crítica”, ressaltou.

Apesar de adiar o processo seletivo nas universidades e institutos federais, a mudança não deve alterar a data dos vestibulares nas faculdades particulares, já que a nota do Enem utilizada como acesso pode ser de provas de anos anteriores.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados