search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Advogada e protetora dos animais morre aos 50 anos vítima da Covid-19

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Advogada e protetora dos animais morre aos 50 anos vítima da Covid-19


 (Foto: Reprodução/Facebook) (Foto: Reprodução/Facebook)

Advogada, administradora, mãe e protetora dos animais, Christine Minassa Carone, é mais uma vítima do novo coronavírus (Covid-19). Ela, que era especializada em Direito Processual Civil e sócia em um escritório de advocacia, morreu neste domingo (18), aos 50 anos.

De acordo com um familiar da advogada, ela ficou cerca de 20 dias internada e lutando contra a doença, mas acabou não resistindo. 

Em um texto fixado no site do Albergue Espaço Esperança, um grupo de voluntários da causa animal, Christine aparece como empresária benemérita. "Protetora-guardiã e madrinha especial do Albergue Espaço Esperança. Sem sua participação, seria quase impossível manter o projeto nas condições em que existe", diz parte do texto sobre a advogada.

Ainda de acordo com o grupo, mesmo com pouco tempo por conta de seu trabalho, a advogada "pode perceber e se sensibilizar com as necessidades de grande número de cães errantes que encontrava pelo caminho todos os dias, ao se dirigir a sua empresa".

Como era muito querida, Christine também recebeu várias homenagens nas redes sociais após sua morte. Uma delas veio da Ordem dos Advogados do Brasil no Espírito Santo (OAB-ES), que lamentou a morte da associada. 

"Com imenso pesar, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-ES) informa o falecimento da advogada militante Christine Minassa Carone, neste domingo (18/04), vítima de Covid-19. Doutora Christine tinha 50 anos e deixa uma filha de 5 anos. Especializada em Direito Processual Civil, construiu uma carreira pautada na ética e na cordialidade com todos os colegas. Era sócia do escritório Carone e Gaudio. Neste momento de profunda dor, a Ordem se solidariza com amigos e familiares da advogada".

O Hospital Evangélico Vila Velha também lamentou a morte da advogada com uma postagem no Instagram, nesta segunda-feira (19). "Sua lembrança estará registrada em nossas memórias. Nosso sentimento aos familiares e amigos", diz a publicação. 

Christine Minassa Carone era casada e deixa uma filha de 5 anos. 

Segunda morte na família

A mãe da advogada, Isabel Minassa Carone, também morreu vítima de complicações da Covid-19, aos 83 anos, no último dia 10, oito dias antes da morte de Christine Minassa. Segundo um familiar, ela possuía uma doença grave e não conseguiu se recuperar do vírus.

Em uma homenagem à idosa, o Hospital Evangélico explicou que ela foi membro fundadora da Sociedade das Amigas da Associação Evangélica Beneficente Espírito-santense (Saebes), que gere o hospital, e sua primeira presidente, fazendo parte da diretoria outras vezes.

Além disso, dona Isabel Minassa também idealizou e agiu na criação da creche “Pedacinho do Céu”, inaugurada em 1981, com a finalidade de atender os filhos dos funcionários do Hospital Evangélico, mas que depois acabou ampliando para atender outras crianças da região.

"Proteger crianças carentes foi o grande ideal desta mulher amável e sensível, de grande doçura. Por isso fundou e presidiu a AMIE – Associação Mobilizadora de Igrejas Evangélicas Pro Crianças Carentes e coordenava campanhas de almoços e jantares em sua própria casa, em igrejas e clubes para arrecadar fundos de manutenção desta obra", diz a publicação do hospital.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.