search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Abertura de comércio em Aracruz vai diminuir aglomerações, diz prefeito

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Abertura de comércio em Aracruz vai diminuir aglomerações, diz prefeito


Vista da cidade de Aracruz  (Foto: Reprodução/Site Oficial de Aracruz)
Vista da cidade de Aracruz (Foto: Reprodução/Site Oficial de Aracruz)

Aracruz é mais uma cidade a flexibilizar regras para abertura de comércios. Nesta terça-feira (7), o prefeito Jones Cavaglieri informou que, embora o município tenha que abrir as lojas no sistema de rodízio por ser classificado como risco alto, a prefeitura autorizou o funcionamento de todos os estabelecimentos de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h.

De acordo com ele, desde março a prefeitura vem tomando medidas para impedir o crescimento rápido dos casos de covid-19 no município e realizando o monitoramento da doença.

Atualmente, a cidade tem 1.259 pessoas que foram infectadas pelo vírus e, desse total, 35 morreram, segundo o Painel Covid-19, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Cavaglieri argumenta que os comércios têm seguido as normas estabelecidas pela prefeitura e Estado. O prefeito informou que a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade fez uma pesquisa que apontou pequeno índice de contaminação no comércio.

Para ele, abrir as lojas todos os dias sem rodízio vai reduzir a quantidade de pessoas nas ruas.

“Nós apostamos na diminuição do número de pessoas nas ruas, porque se a pessoa vai no comércio na segunda, ela pode comprar tudo de uma vez. Agora, se tiver dias funcionando em dias alternados, ela vai ter que vir, na segunda, comprar um sapato e voltar, na terça, para comprar cimento”, explicou ele.

O decreto vale por uma semana, informou o prefeito, e, ao fim do prazo, será avaliado para definir como fica na semana seguinte. “O nosso objetivo primeiro é salvar vidas. O segundo é não matar a economia. Você fazer as pessoas pagarem as contas, manter emprego, porque, se eu fechar tudo, acabo com a cidade”.

Na sexta-feira (3), o governador Renato Casagrande anunciou que as cidades com menos de 70 mil habitantes poderiam escolher o melhor horário para abertura do comércio, desde que a carga horária não passasse de 6 horas diárias e o fechamento das lojas fosse até 18h.

Embora Aracruz tenha mais de 70 mil moradores, o prefeito destacou que as regras precisam se adequar a realidade do município e essa foi outra razão para a mudança. Segundo ele, muitos dos moradores estão no interior da cidade e passam o dia na lavoura, por isso não são atendidos pelo horário de funcionamento até 16h.

“Para compensar a abertura todos os dias da semana, não vamos ter feiras livres e não vamos abrir no fim de semana lojas de calçado, roupa, material de construção. Só vai funcionar supermercado, padaria e farmácias. Nós entendemos que o sábado é o momento no interior em que as pessoas saem para passear, vão no comprar algo na cidade e levam filho, sogra, sogro. E esse é o nosso desafio: evitar que as pessoas saíam às ruas”, afirmou Cavaglieri.

Vale destacar que o decreto do governo já proíbe o funcionamento de comércio que não sejam essenciais, como supermercados, farmácias e padarias, aos sábados e domingos.

Questionado se teme alguma punição por parte do governo ou órgãos de controle pela flexibilização das normas, o prefeito informou que a Procuradoria do município fez uma análise em decisões do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Não estamos afrontando o decreto do governador. Pelo contrario, estamos respeitando o decreto do Estado. No Estado, as feiras estão funcionando, mas, aqui, fechamos, porque as feiras trazem muitas pessoas do interior, principalmente de idade, e eles não gostam de usar máscara”, disse o prefeito.

De acordo com ele, o município pediu intermediação ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Erick Musso, que é de Aracruz, para agendar um encontro com o governo e apresentar as justificativas para a flexibilização das regras de funcionamento do comércio.

Em nota, a assessoria do governador Renato Casagrande informou que os municípios devem respeitar as normas editadas pelo Estado.

"Os municípios podem adotar medidas mais restritivas, mas não flexibilizar as medidas determinadas pelo governo. Sobre a situação dos municípios que estão em descumprimento, o estado já comunicou ao Ministério Público. No risco alto todos os municípios devem seguir a abertura em dias alternados", diz a nota.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados