search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

A pandemia, o déficit de visibilidade e o desvario do olhar
Tribuna Livre

A pandemia, o déficit de visibilidade e o desvario do olhar

No antigo normal, na vida que se vivia em duas fatias, a presencial e a digital, o olhar e o dar-se ao olhar alheio permitiam uma verdadeira farra de visibilidade. Mas, no meio da vertigem de miragens, houve o novo vírus, e passamos a existir praticamente pela metade.

Em restrição ou isolamento geográfico, restaram os ciberterritórios para a maioria das operações de ver e ser visto. E o publicar-atualizar-visualizar-reagir-comentar-compartilhar-etc., que já era uma mania, virou igualmente pandemia. Mas não sem consequências.

Para a psicanálise, o circuito do olhar/ser olhado participa decisivamente da conformação humana, desde o princípio da constituição subjetiva, entre o bebê e quem exerce a função materna, até a estruturação de laços de coletividades.

Mas a troca significante de olhares vem sendo crescentemente distorcida pela compulsão alucinada do ver e do ser visto. Neste tempo virótico, observa-se uma fúria exibicionista e voyeurista na vitrine digital, potencializando as marcas daquela que Christoph Türcke chamou de “sociedade excitada”.

Aturdidos pela insanidade informacional e sem capacidade de fixar atenção em nada, transformamo-nos em caçadores de sensações, especialmente as excitações midiáticas. Assim, de atualização em atualização, vê-se a existência ser radicalmente reduzida ao roteiro do “ser é ser percebido” e “ser é perceber”.

Dos inúmeros problemas oriundos desse “normal” pandêmico, pode-se destacar a dependência crescente e tóxica do olhar do outro – que muitas vezes e cada vez menos tem um olhar para dar.

A mendicância por olhares é dos mais evidentes sintomas deste presente distorcido, haja vista a oferta insana de publicações, lives e assemelhados a implorar reações nas redes.

Essa febril imposição narcísica de evidenciar afetos e eventos também corrói os já liquefeitos limites entre o público e o privado, conceitos que herdamos do século XVIII, quando as cidades começavam a ajuntar maciçamente forasteiros deslocados para dinamizar o capitalismo fabril e a sua correlata máquina de consumo, fixando-se basicamente o que se viveria dentro e fora de casa.

Mas nesta época em que a digitalidade não enxerga paredes nem barreiras, como definir os limites do que é íntimo e do que é manifesto? A vida já estava bem longe da simples divisão entre o dentro e o fora de casa.

Com a contenção imposta aos olhares presenciais, as bordas tornam-se cada dia mais imprecisas. Poucos são aqueles que vêm mantendo certa lucidez tanto na hora de olhar, viciando-se no espiar, quanto no movimento de se expor, publicando sem temor nem pudor.

Um jogo de luz e sombra histórico, de base sociopolítica e tecnológica, produz o público e o privado em cada tempo. No entanto, pondera Hannah Arendt, “há muitas coisas que não podem suportar a luz implacável e crua da constante presença dos outros no mundo público”.

O desafio é sempre definir a cadência e a agenda do olhar e do dar-se ao olhar. Mas, hoje, parece que esse desafio vem se tornando mesmo incapacidade.

José Antonio Martinuzzo é doutor em Comunicação, pós-doutor em Mídia e Cotidiano
e professor na Ufes.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

Por que continuar pagando a escola durante a pandemia?

A situação epidêmica causada pela Covid-19 interrompeu as atividades educacionais presenciais em diversas partes do País. No Espírito Santo não foi diferente. Desde 17 de março as aulas presenciais …


Exclusivo
Tribuna Livre

Um Dia dos Pais muito diferente para comemorar

Hoje, segundo domingo de agosto, comemoramos o Dia dos Pais no Brasil. A data foi celebrada pela primeira vez em 1953 e sua criação é atribuída ao jornalista Roberto Marinho, que apontou como …


Exclusivo
Tribuna Livre

A explosão no Porto de Beirute e a sobrevivência no Líbano

Não fosse a explosão do Porto de Beirute uma tragédia em si, as condições a que estava submetido o Líbano, seja do ponto de vista econômico, dada a crise financeira expressa na desvalorização de 80% …


Exclusivo
Tribuna Livre

A violência doméstica durante a pandemia

Devido ao isolamento social na pandemia da Covid-19, houve um aumento da violência doméstica. A Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006 – que completa 14 anos hoje –, mais conhecida como Lei Maria da …


Exclusivo
Tribuna Livre Nutridicas

Cuidados com a alimentação para manter a saúde do paizão

Os homens estão cada vez mais cuidando da sua beleza, mas... e com relação à saúde, como estão? Será que estão tão ligados assim? Não há como negar que os cuidados com a saúde devem estar presentes …


Exclusivo
Tribuna Livre

Privatização do Porto de Vitória volta a ser discutida

A privatização do sistema portuário capixaba voltou a ser pautada. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que em outubro, provavelmente, será realizada uma consulta pública para a …


Exclusivo
Tribuna Livre

Afastem-se logo dos milagreiros tributários

Em meio à grave crise econômica que assola o Brasil e o mundo, empresas se veem cada vez mais descapitalizadas e diante de uma equação que leva à pena de morte: inadimplência e custos cada vez mais …


Exclusivo
Tribuna Livre

Cuide da saúde do seu coração durante o isolamento social

Nesses tempos de distanciamento social, quem possui alguma doença cardiovascular deve redobrar a atenção com a saúde. De acordo com dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, as …


Exclusivo
Tribuna Livre

Mudanças de hábito valorizam a importância do papel

As embalagens estão cada vez mais no radar das empresas. Seja papel cartão, papelão ondulado ou nos moldes de leite longa vida, as embalagens de papel têm se tornado a menininha dos olhos no mundo …


Exclusivo
Tribuna Livre

A sociedade precisa saber mais sobre a agricultura familiar

Não há governante que, nos dias atuais, consciente do seu papel, não compreenda a necessidade de se investir num setor tão importante para o povo brasileiro. Muito se fala em manutenção do homem …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados