search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

A explosão no Porto de Beirute e a sobrevivência no Líbano
Tribuna Livre

A explosão no Porto de Beirute e a sobrevivência no Líbano

Joaquim Racy é professor de curso de Economia em universidade (Foto: )
Joaquim Racy é professor de curso de Economia em universidade (Foto: )
Não fosse a explosão do Porto de Beirute uma tragédia em si, as condições a que estava submetido o Líbano, seja do ponto de vista econômico, dada a crise financeira expressa na desvalorização de 80% da libra libanesa desde finais do ano passado, seja do ponto de vista sanitário com a pandemia do novo coronavírus, já colocavam o país sob risco de uma catástrofe.

Em grande parte, essa situação pode ser atribuída à política engendrada naquela sociedade, cuja estrutura assentada em relações entre grupos assim denominados sectários se revela anacrônica desde sua origem, geraria efeitos absolutamente distorcidos que viriam a promover a terrível e sangrenta guerra civil vivida pelo Líbano de 1975 a 1990.

Dada a natureza dos conflitos, deve-se destacar, envolvendo interesses externos, o fim daquela guerra parece não ter sido suficiente para a pacificação do país de tal modo que as diferenças entre os grupos políticos do país não foram suficientes para evitar a guerra que se desenvolveria em 2006.

A economia libanesa, espelhando esse cenário, estruturalmente se enfraquece a cada novo choque, como no recente e trágico caso. Exigindo cada vez mais empenho do governo no sentido de superar cada uma dessas crises e premido pelas disputas entre os diferentes grupos de poder, o Estado libanês começaria invariavelmente a dar sinais de incapacidade para fazer frente aos interesses da sociedade.

Assim, se antes deste fatídico evento grande parcela daquela sociedade, composta por cidadãos libaneses acrescida de cidadãos palestinos e sírios, que por conta de eventos externos transformariam o país num dos maiores receptores de refugiados do mundo, já não se via atendida em suas necessidades básicas, fica agora ainda mais debilitada. Este último grupo, de refugiados, em situação de inferioridade relativamente aos cidadãos libaneses, passa então a ficar em posição de extrema vulnerabilidade.

A comunidade internacional tem, por conta da importância do pequeno país na história da região e a despeito da situação que o envolve no contexto político regional, feito esforços no sentido de promover sua recuperação. Mas, pelas razões brevemente apontadas, mesmo que isso não venha acontecendo, no atual momento, a ajuda é mais do que necessária por ter caráter humanitário e emergencial.

Nesse sentido, se praticamente 80% das importações de mercadorias fundamentais ao funcionamento da economia libanesa e à subsistência do povo libanês dependem das operações do Porto de Beirute, cabe à comunidade internacional, de maneira semelhante ao que tem ocorrido em outros grandes desastres no mundo, montar um “esquema de guerra” com o objetivo de prover os recursos necessários à sobrevivência do Líbano, sob pena de se ver o triste fim dessa nação, com desdobramentos que se ampliarão e se alastrarão, fazendo-se sentir em toda a região.

JOAQUIM C. RACY é professor de curso de Economia em universidade

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

Corrupção institucional e descrença social

A expressão “corrupção institucional” é muito mais abrangente do que a mera “corrupção” porque esta se relaciona aos sujeitos individualmente considerados, enquanto aquela diz respeito ao sequestro …


Exclusivo
Tribuna Livre

Saneamento básico para todos é uma dívida social de séculos

Conhecida como o Novo Marco Legal do Saneamento, a sanção da Lei 14.026, em julho, abriu caminho para o Brasil pôr fim à uma dívida social de séculos. O objetivo da nova lei é levar o saneamento a …


Exclusivo
Tribuna Livre

Autoconhecimento é uma regra de ouro da vida

Há quem os critique, há quem os ame; eles já me resgataram do fundo do poço e lhes sou grata: os livros de autoajuda. Acredito no “querer é poder” junto com o “querer é agir para poder”. É preciso …


Exclusivo
Tribuna Livre

Câncer não está em quarentena, e exames precisam ser feitos

A pandemia de Covid-19 mostrou de maneira clara e sem filtro as inúmeras mazelas da sociedade. No Brasil, muitos morreram, milhares ficaram doentes e tantos outros perderam seus empregos. Além disso, …


Exclusivo
Tribuna Livre

Lições do surfe e de uma saudável convivência

O Espírito Santo é um grande destino do surfe nacional, com praias de ondas perfeitas, boa localização e fácil acesso, com infraestrutura para seus praticantes. O surfe evoluiu, não é mais o esporte …


Exclusivo
Tribuna Livre

O novo presente, a ansiedade de futuro e o desafio da esperança

“Existirmos: a que será que se destina?” À beira da perda que desatina, Caetano fez filosófica rima para questionar a vida e sua sina. Ao incrementarmos o subir à tona da existência, após mergulho …


Exclusivo
Tribuna Livre

Indisciplina virtual é o novo desafio dos professores

Recentemente, durante uma aula online do 7º ano do ensino fundamental que presenciei, um grupo de alunos causou um tumulto. Áudios inoportunos e em volume exagerado, gritos e conversas excessivas no …


Exclusivo
Tribuna Livre

Nova agenda de desenvolvimento para o pós-pandemia

Entre o mar e as montanhas, o Espírito Santo possui inúmeras potencialidades que podem ser trabalhadas em prol de seu desenvolvimento e contribuir para o Estado despontar nos cenários nacional e …


Exclusivo
Tribuna Livre

A tecnologia e os novos rumos da educação

A pandemia evidenciou a necessidade dos indivíduos se adaptarem a todos os aspectos da existência. Foi a partir dela também que se reforçou o que já sabíamos há algum tempo: a evolução da sociedade …


Exclusivo
Tribuna Livre

Educação ambiental e as bases sustentáveis à cidade do futuro

Historicamente, a cidade tem sido o locus da vida social organizada, onde o comércio floresce e potencializa o desenvolvimento econômico e cultural de um povo. Desde a Revolução Industrial, todavia, …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados