search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

À espera da final
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


À espera da final

Tivesse o presidente da Federação de Futebol do Rio um pouco mais de boa vontade e ousadia, o Campeonato Carioca, que inicia amanhã em sua fase principal, seria mais do que uma competição charmosa. E se além da boa vontade e da ousadia, ele exibisse competência e liderança política, transformaria uma disputa enfadonha e desequilibrada num torneio preparatório para a temporada e capaz de projetar jovens valores ainda desconhecidos para o grande público.

Já escrevi e repito: a tentativa de replicar no Rio a interiorização que deu certo em São Paulo, praticamente decretou a falência de pequenos clubes dos subúrbios carioca, como Bonsucesso, São Cristóvão e Campo Grande, e quase fez desaparecer outros, como Olaria, Madureira e Bangu.

Não se pensou num modelo que promovesse a inclusão inteligente dos clubes de outras cidades do estado e o que se viu, ao longo dos últimos trinta e poucos anos, foi a decadência do futebol do Rio como um todo.

Em maio de 1981, o Olaria conquistou a Taça de Bronze, a Série C do Brasileiro da época. Em 1982, mais precisamente em abril, o Campo Grande sagrou-se o campeão da Taça de Prata, segunda divisão nacional. Em 1985, o Bangu perdeu para o Coritiba (nos pênaltis) o título do Brasileiro; e, em 1986, o América, numa campanha inesquecível, chegou ao terceiro lugar da maior competição do País, sendo eliminado em jogo equilibrado pelo São Paulo de Careca, Pita, Renato, Silas e Müller.

É evidente que a globalização apequenou a importância dos títulos estaduais, mas não apagou a importância destes clubes. E basta assistir a campeonatos das divisões de base do futebol carioca para que se enxergue o papel que eles ainda desenvolvem na cadeia de captação de valores.

No empenho dos meninos que se desenvolvem como titulares dessas pequenas forças para, no funil da formação, fugir da luta inglória com outra dezena que luta por uma vaga entre os 11, 15 ou 18 titulares.

Os Estaduais, ou pelo menos o Carioca, deveriam ser um torneio curto e para o aproveitamento de jogadores até 23 anos — com possibilidade para a utilização de três mais experientes, sem contar com o goleiro. Com toda a promoção necessária para a abertura do calendário.

Garanto que os torcedores e os clubes saberiam tirar mais proveito de uma competição cuja disputa só se valoriza no dia da conquista.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A luta por Domènec...

A entrevista do vice de futebol Marcos Braz, ontem, em Guayaquil, ratificou a informação publicada neste espaço: a cúpula rubro-negra entende que o ano atípico exige cautela na avaliação do trabalho …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Lá vem o Tite

A convocação da Seleção Brasileira para os dois primeiros jogos das eliminatórias da Copa do Mundo do Catar, nos dias 9 e 13 de outubro, contra Bolívia e Peru, trará um novo desconforto para Domènec …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Crédito até outubro

A eliminação do Benfica de Jorge Jesus com a derrota para o PAOK da Grécia na fase classificatória a fase de grupos da Champions League acendeu em alguns rubro-negros a chama da esperança do retorno …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

Com menos de um terço de disputa das rodadas do Brasileirão é nítida a preocupação com o desgaste dos jogadores. Poupar este ou aquele já não é ideia de um ou outro técnico — é o que eu prefiro, por …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Patrimônio afetivo...

Em tempos de pandemia, com a depressão invadindo as residências do mundo inteiro, em especial as de um Brasil desesperançado, a memória afetiva tem sido importante aliada na manutenção do pensamento …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A marcha lenta...

Das cinco partidas sem vitória no Brasileirão, em três o Botafogo esteve perto dos três pontos. No empate em 1 a 1 com o Flamengo, dois deles escaparam por segundos. No 2 a 2 com o Corinthians, mais …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A má escolha...

Tenho curiosidade em saber os valores do empréstimo dos direitos federativos de Piris da Motta, de 24 anos, do Flamengo para o Gençlerbirligi, da Turquia. Porque o paraguaio contratado em julho de …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A longevidade de Nenê

Nenê volta ao Morumbi hoje à tarde para enfrentar o São Paulo de onde saiu no ano passado, já aos 38 anos, como se fosse o estorvo que travava o time. Chegou ao Fluminense em junho sob a desconfiança …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O exorcista

Dentre as virtudes que o Vasco tem demonstrado me chama atenção o fato de o time não se omitir em jogos fora do Rio de Janeiro. Pelo contrário, até: talvez tenha feito contra Ceará (3 a 0), Goiás (2 …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Vasco se assusta...

Nos últimos 20 dias, o Vasco teve seis jogadores contaminados pela Covid-19: Bruno César, Bruno Gomes, Vinícius, Ricardo, Werley e Breno. Casos que coincidem com o início da preparação do time para a …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados