X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Acusado de fuzilar carro no Centro também é investigado por morte de ritmista

| 22/10/2020 12:52 h | Atualizado em 22/10/2020, 14:19

Felipe dos Santos Dantas, conhecido como “Menor Orelha”
Felipe dos Santos Dantas, conhecido como “Menor Orelha” |  Foto: Divulgação/ Sesp
Um dos presos acusados pela morte de um motorista de aplicativo e um passageiro, no Centro de Vitória, no dia 4 de outubro, também é investigado pelo assassinato do ritmista Patrick Loureiro dos Santos Menezes, 22 anos, no Morro do Alagoano, também na Capital, no fim de setembro.

Felipe dos Santos Dantas, conhecido como “Menor Orelha”, foi preso na quarta-feira (21), na avenida Fernando Ferrari, em Goiabeiras.

Segundo o delegado Marcelo Cavalcanti, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, o acusado é chefe de uma organização criminosa do bairro São Benedito.

Felipe é apontado pela polícia como o homem que desce do carona do HB20 branco e dispara contra o carro do motorista de aplicativo. O veículo foi fuzilado com mais de 30 tiros.

O carro usado pelos acusados no ataque foi abandonado na Praia do Canto, também na Capital.

Motorista de aplicativo e passageiros assassinados.
Motorista de aplicativo e passageiros assassinados. |  Foto: Beto Morais

Contra Felipe havia um mandado de prisão preventiva expedido pela 1ª Vara Criminal de Serra e dois mandados de busca e apreensão por crimes de homicídios. 

As investigações continuam, segundo o delegado. 

Outro acusado preso

Diego Carlos Kaiser Pinto, conhecido como “Catatau”
Diego Carlos Kaiser Pinto, conhecido como “Catatau” |  Foto: Divulgação/ Sesp
Na quarta também foi preso Diego Carlos Kaiser Pinto, conhecido como “Catatau”. Assim como Felipe, ele é acusado de comandar a organização criminosa do bairro São Benedito e de promover ataques na Ilha do Príncipe, no Alagoano e em Andorinhas, na Capital.

“Eles recebem ordens vindas do sistema prisional e executam o plano de expansão territorial, promovendo a morte de traficantes rivais. Ambos são investigados como possíveis autores em inquéritos de homicídios nesta Delegacia Especializada”, explicou Cavalcanti.

Ainda segundo a polícia, Diego fugiu do sistema prisional no final de abril deste ano. Contra ele havia um mandado por homicídio e tráfico de drogas.

Felipe e Diego foram autuados na quarta foi associação ao tráfico. Diego também foi autuado por falsa identidade.
 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS