search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Covid e o sistema imunológico
Doutor João Responde

Covid e o sistema imunológico

Nossas defesas desempenham um papel vital na luta contra a Covid-19. O sistema imunológico nos protege desse indesejado intruso. Mas, às vezes, este guardião se volta contra o próprio corpo.

O coronavírus consiste numa cápsula em torno de um núcleo de material genético e algumas proteínas. Para se multiplicar, ele precisa de um hospedeiro na forma de uma célula viva. Uma vez infectada, ela executa as ordens do vírus, como copiar informações, montá-las, e depois liberar as cópias do agente patogênico.

Entretanto, o fato não passa despercebido para o sistema imunológico, que reage para combater o invasor. Isso geralmente acontece com muita rapidez e eficiência.

Infelizmente, em algumas ocasiões a resposta do organismo é tão forte que seu efeito pode ser contraproducente, com acontece, por exemplo, quando numerosas células do sistema imunológico seguem para os pulmões e fazem com que a fina barreira pela qual o oxigênio passa para o sangue fique espessa. Diante disso, as trocas gasosas se tornam restritas, exigindo respiração artificial.

Os processos inflamatórios que envolvem o endotélio vascular alveolar do paciente com Covid-19 podem desencadear a formação de coágulos pulmonares. Caso não seja debelada, a inflamação faz com que a extensão dos trombos se torne maior, levando ao agravamento da insuficiência respiratória.

As lesões dos vasos sanguíneos locais estimulam a produção e a deposição de fibrina, que forma uma malha para que as plaquetas se amontoem e deem início ao processo de coagulação. Quando a injúria ao tecido é curada, o coágulo é degradado.

Esta quebra dá origem a fragmentos causados pela degradação da fibrina. O Dímero-D é uma dessas partículas. A presença de dímeros D no sangue é normal. Tromboses venosas profundas, tromboembolismo pulmonar e coagulação intravascular disseminada provocam elevação nas taxas de Dímero-D.

Este marcador também costuma aumentar em casos de câncer, idade avançada, gestações, estados inflamatórios, traumas, pós-operatórios, entre outros.

O novo coronavírus desenvolve anormalidades na coagulação sanguínea, especialmente em pacientes com quadros de pneumonia grave, sugerindo desta forma o papel do Dímero-D na estratificação de risco daqueles internados com esta infecção.

Diante dos quadros de coagulopatia sistêmica, este marcador vem sendo utilizado para analisar a gravidade da doença.

É de extrema importância que os portadores de enfermidades crônicas se mantenham em isolamento social, tomando os devidos cuidados para não contrair Covid-19, essa doença que transforma o corpo num campo de batalha.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

Não existe vida sem proteína

O principal alimento do corpo é a proteína. Além dos animais, isso acontece também com as plantas. Adubação com nitrogênio, potássio e fósforo vem garantindo que “Araketu”, o pé de araçaúna que …


Exclusivo
Doutor João Responde

A memória eterniza o tempo

O passado é o presente que sobreviveu na memória humana. O cérebro executa atividades para adquirir, armazenar, reter e recuperar informações. A memória é parte integrante da cognição humana, …


Exclusivo
Doutor João Responde

Vacina contra o vício da cocaína

Estamos vivendo de uma perversa “pandemia” de drogas, em que milhares de pessoas abandonam esperanças e se agarram em ilusões. Um dos mais perigosos “patógenos”, destruidor de mentes e de corpos, é a …


Exclusivo
Doutor João Responde

Tipos de imunização

Nosso organismo é sistematicamente bombardeado por substâncias estranhas. Alguns desses antígenos são capazes de desencadear resposta imune, ou seja, a produção de anticorpos que defenderão o corpo …


Exclusivo
Doutor João Responde

Regulação da glicose no sangue

A regulação da glicose no sangue depende basicamente de dois hormônios: glucagon e insulina. A ação do glucagon é estimular a produção de glicose pelo fígado, e a da insulina é bloquear essa …


Exclusivo
Doutor João Responde

Atitudes contra a sobrevivência

Mesmo neste momento dramático da pandemia, com recorde de casos e de mortes diárias e num estágio em que quase todo mundo conhece alguém que morreu por causa da doença, proliferam comportamentos que …


Exclusivo
Doutor João Responde

A tortura da coluna travada

Estima-se que uma expressiva quantidade de pessoas tenha ao menos um episódio de dor na coluna, ao longo da vida. Em alguns casos, ela surge de forma tão intensa que deixa o indivíduo impossibilitado …


Exclusivo
Doutor João Responde

Perda de olfato

Anosmia é uma condição que corresponde à perda total ou parcial do olfato. Essa alteração pode estar relacionada com situações temporárias, como acontece durante uma gripe ou resfriado. Pode …


Exclusivo
Doutor João Responde

Efeito rebote de medicamento

Do mesmo jeito que uma bola volta a saltar quando a jogamos, os sintomas de uma doença podem reaparecer quando cessa o efeito daquilo que inicialmente a aliviou. Essa reversão da resposta, após a …


Exclusivo
Doutor João Responde

A sede lembra o valor da água

O ser humano não vive sem oxigênio, água ou alimento. Quando um destes falta ou escasseia, sua sobrevivência fica seriamente ameaçada. Nosso organismo não consegue ultrapassar quatro minutos sem …