search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Veado é encontrado morto em praia de Jacaraípe

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

Veado é encontrado morto em praia de Jacaraípe


Uma cena chamou a atenção de populares que caminhavam pelas areias da praia de Castelândia, em Jacaraípe: um veado foi encontrado morto no local. O animal é um macho adulto da espécie veado-mateiro.

O veado foi encontrado em Jacaraípe (Foto: Claudiney Rocha /IBRAFF)
O veado foi encontrado em Jacaraípe (Foto: Claudiney Rocha /IBRAFF)
Segundo proprietários de quiosques da região, a carcaça do animal estava na areia desde domingo (21), mas o corpo do animal só foi retirado na manhã desta segunda-feira (22), após o diretor e técnico ambiental do Instituto Brasileiro de Fauna e Flora (IBRAFF), Claudiney Rocha, receber a ligação de um morador de Jacaraípe.

"O morador ligou para a fiscalização ambiental da Serra, fomos até o local e verificamos que o animal estava morto sem sinais de tiro, mas com algumas feridas perto das patas traseiras. As feridas são muito parecidas com mordida de cachorro o que indica que ele foi atacado e possivelmente tentou fugir, mas acabou não resistindo e morreu na areia da praia", contou o especialista.

De acordo com o técnico ambiental, essa espécie de veados não é raridade na região. "Essa espécie de veado já foi vista na vegetação de restinga que fica entre Costa Bela e Nova Almeida e também no lado norte da lagoa do Juara, na Serra. São animais que não andam em bando", explicou Rocha.

Ainda segundo o especialista, animais silvestres estão entrando nas cidades porque o habitat natural deles está sendo invadido pelo homem.

"Existem duas hipóteses para que esse animal tenha chegado até a praia. O primeiro é que ele poderia estar andando perto de um rio ou uma lagoa e como o volume de água está alto ele pode ter sido trazido pela correnteza do rio Jacaraípe ou por meio do córrego de Bicanga. E a outra hipótese é que ele tenha vindo andando e entrado no perímetro urbano. Em ambos os casos ele acabou sendo atacado por um cachorro e não resistiu aos ferimentos. A vinda desses animais nas cidades vêm acontecendo com frequência devido ao aumento do desmatamento nas áreas de preservação ambiental", esclareceu.

Segundo o biólogo Iberê Sassi situações como essa serão cada vez mais comuns. "Infelizmente é uma realidade. Uma realidade triste, pois o homem está destruindo cada vez mais a natureza e os animais silvestres se assustam e acabam entrando nos perímetros urbanos", disse o biólogo.

De acordo com Rocha, caso alguém encontre um animal silvestre nos perímetros urbanos deve seguir as seguintes orientações: Se o animal estiver vivo é preciso acionar os órgãos que trabalham com a fiscalização ambiental como a Polícia Ambiental, o Ibama, a fiscalização de meio ambiente do município e o instituto. Será feito o resgate desse animal com a equipe direcionada para atuar nesses casos.

Caso o animal esteja morto, é preciso acionar a prefeitura local para fazer o recolhimento da carcaça seguindo os parâmetros determinados.
 

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados