X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Sequelas da covid podem afetar vida sexual, diz estudo

Estudo britânico aponta que diminuição da libido e dificuldade de ereção e ejaculação podem ter ligação com a infecção pelo vírus

Isabella de Paula, do jornal A Tribuna | 27/07/2022 17:54 h

A revista britânica Nature Medicine publicou um estudo que sugere uma relação entre a covid-19 e as alterações no desempenho sexual de homens e mulheres.

Após levantamento feito com 2,4 milhões de registros de saúde no Reino Unido, os pesquisadores encontraram 115 sintomas que podem ter ligação com a doença. Deste total, 62 foram notificados em um maior número de pacientes.

Entre as principais sequelas identificadas estão a disfunção sexual, a dificuldade de ejaculação e a diminuição da libido. 

Especialistas em sexologia destacam que esses problemas interferem diretamente no bem-estar e na saúde da população.

Especialista em sexualidade masculina, Camilo Milanez afirma que existe a possibilidade de que as sequelas relatadas por pacientes infectados tenham, de fato, relação com o vírus.

“Em teoria, é possível existir essa relação, já que a covid-19 é uma doença do sistema imunológico e cardiovascular, que pode atingir qualquer órgão ou tecido, inclusive os sistemas sexual e neurológico”.

O especialista pontua, entretanto, que a nova pesquisa deve ser vista com cautela. “Apesar de ser uma pesquisa inicial importante, do ponto de vista científico, o estudo é uma revisão de prontuário. O período de três meses é muito curto para confirmar essas hipóteses observadas”, destacou Milanez.

Sexóloga Flaviane Brandemberg: mudança na vida sexual dos brasileiros
Sexóloga Flaviane Brandemberg: mudança na vida sexual dos brasileiros |  Foto: Kadidja Fernandes/AT
 

A sexóloga Flaviane Brandemberg destaca que, após a pandemia, a vida sexual de muitos brasileiros sofreu mudanças. “Muitos  sofreram impactos negativos da doença em sua vida sexual, comprometendo tanto o desenvolvimento físico quanto psicológico”. 

Flaviane ressaltou que a vida sexual saudável também é importante para a saúde mental.

“A saúde sexual faz parte da saúde mental. Quem está com a vida sexual fluida, tem uma resposta melhor na autoestima e na autoconfiança”.

Até agora, a Organização Mundial da Saúde (OMS) já reconhece 33 sintomas ligados à covid longa, mas ainda não incluiu oficialmente as alterações sexuais.

A infectologista Euzanete Coser explica que a covid longa é o termo utilizado para o conjunto de sintomas que a pessoa infectada pelo vírus da covid-19 pode ter meses depois da infecção.


SAIBA MAIS

2,4 milhões de dados foram analisados

A pesquisa

O estudo publicado nesta semana na revista britânica Nature Medicine  sugere uma relação entre a covid longa e alterações no desempenho sexual de homens e mulheres.

Entre as sequelas estão a disfunção sexual, a dificuldade de ejaculação e diminuição da libido.

Dados analisados

O levantamento observou 2,4 milhões de registros de saúde do Reino Unido, com informações sobre a doença.

Para a análise, os participantes do estudo foram segmentados por idade, sexo, etnia, status socioeconômico e outros fatores.

Foram comparadas informações de 486.149 pessoas infectadas entre janeiro de 2020 e abril de 2021, não hospitalizadas, com 1,9 milhão de pessoas que testaram negativo para a covid-19. 

A pesquisa encontrou 115 sintomas que podem ter ligação com  a doença, dos quais 62  foram identificados em mais pacientes infectados. 

Com os dados, os pesquisadores observaram que, aproximadamente, 10% dos pacientes com a covid-19 desenvolvem sintomas permanentes da infecção.

O que é a covid longa

A covid longa é o conjunto de sintomas que os infectados têm a longo prazo, que aparecem até três meses depois da infecção pelo vírus. 

AS principais queixas são fadiga constante, zumbido no ouvido, perda de olfato e paladar prolongado e dores nas articulações.

Além dos sintomas já conhecidos, a pesquisa apresentou outras possíveis sequelas – como a disfunção sexual – que devem ser observadas com o passar do tempo.

Fonte: Revista Nature Medicine e especialistas consultados.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS