search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Riscos da polifarmácia em idosos
Doutor João Responde

Riscos da polifarmácia em idosos

Assim que entrou no consultório, um senhor de idade avançada respondeu ao meu cumprimento, dizendo: “Desculpe-me, doutor, mas eu não te escuto, não te vejo e não te entendo”.

Depois disso, o acompanhante, antes mesmo de informar seus sintomas, mostrou-me uma caixa de sapato repleta de medicamentos, dizendo que ele vinha tomando dezenas de remédios, há anos.

O envelhecimento pode vir acompanhado de condições que necessitam o uso de fármacos, como comprometimento cognitivo, alterações do humor, incontinência, desnutrição, quedas, tonturas, distúrbios da marcha, perturbações do sono, hipertensão arterial sistêmica, problemas articulares, entre tantas outras “síndromes geriátricas”. Aliado a isso, uma importante condição frequentemente encontrada no idoso é a iatrogenia, danos resultantes de procedimentos médicos.

Em função da presença de várias comorbidades em pacientes idosos, todo tratamento deve ser iniciado, modificado ou suspenso, de forma lenta e gradual, com reavaliações, até alcançar o objetivo final.

Gerontes consomem muito remédios, sendo susceptíveis a complicações. Além disso, as alterações fisiológicas inerentes ao envelhecimento implicam em risco elevado de interações medicamentosas.

A diminuição da superfície absortiva da mucosa do aparelho digestivo, a vascularização sanguínea reduzida e a perda de massa muscular podem alterar a distribuição de drogas nos tecidos.

O uso de vários medicamentos, ingeridos ao mesmo tempo, aumenta a possibilidade de iatrogenia. A polifarmácia traz consigo riscos, como erros de prescrição, dificuldade de aceitação pelo paciente, reações adversas e interações entre fármacos. Por serem vulneráveis a complicações, iatrogenias são mais graves em pessoas longevas.

Virtualmente, toda intervenção médica expõe o paciente a algum risco. Situações como instabilidade, imobilidade, incontinência e comprometimento intelectual somam-se a esse risco.

Uma dor tratada com opioide causa constipação, sendo aliviada com laxante. Uma tontura debelada com antivertiginoso, leva ao parkinsonismo, sendo combatido com levodopa, levando a alucinações, que acabam sendo sanadas com neurolépticos. Para combater um mal, geram-se outros males provocados não pela doença, mas pelos inúmeros fármacos.

Convém sempre verificar se qualquer sintoma do idoso não é atribuível a algum medicamento que ele esteja fazendo uso.

Nenhum médico gosta de intervir em prescrições de colegas, mas o processo de retirada de medicamentos iatrogênicos é vital para alcançar a cura do paciente. A desprescrição é tão importante quanto à prescrição de remédios. Tais condutas também dependem da participação do paciente ou do responsável por ele.

Drogas amortizam o sofrimento, mas diminuem a energia necessária para sair dele. Remédios não devem trocar vida por existência.

Em se tratando de paciente idoso, na vigência de polifarmácia, deve-se considerar que muitas vezes o “menos poderá valer mais”.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

A tortura da coluna travada

Estima-se que uma expressiva quantidade de pessoas tenha ao menos um episódio de dor na coluna, ao longo da vida. Em alguns casos, ela surge de forma tão intensa que deixa o indivíduo impossibilitado …


Exclusivo
Doutor João Responde

Perda de olfato

Anosmia é uma condição que corresponde à perda total ou parcial do olfato. Essa alteração pode estar relacionada com situações temporárias, como acontece durante uma gripe ou resfriado. Pode …


Exclusivo
Doutor João Responde

Efeito rebote de medicamento

Do mesmo jeito que uma bola volta a saltar quando a jogamos, os sintomas de uma doença podem reaparecer quando cessa o efeito daquilo que inicialmente a aliviou. Essa reversão da resposta, após a …


Exclusivo
Doutor João Responde

A sede lembra o valor da água

O ser humano não vive sem oxigênio, água ou alimento. Quando um destes falta ou escasseia, sua sobrevivência fica seriamente ameaçada. Nosso organismo não consegue ultrapassar quatro minutos sem …


Exclusivo
Doutor João Responde

Alívio da dor oncológica

De todos os sintomas que o paciente com câncer apresenta, a dor é sempre o mais temido. O sofrimento dessas pessoas é resultado da interação da percepção dolorosa associada à incapacidade física, ao …


Exclusivo
Doutor João Responde

Tutano: o miolo dos ossos

O corpo humano contém milhões de células. Todas elas exercem funções importantes no desenvolvimento do organismo, como, por exemplo, as células-tronco, que são encontradas na medula óssea. Medula …


Exclusivo
Doutor João Responde

Síndrome de Down e a ternura

O impacto do diagnóstico de um bebê com síndrome de Down pode trazer à tona sentimentos de medo, culpa, tristeza, vergonha e insegurança. Cada pessoa tem uma forma peculiar de lidar com esses …


Exclusivo
Doutor João Responde

Sono ninado pela melatonina

Diante do cansaço mental, as concentrações de oxigênio vão diminuindo no cérebro. Para compensar, o indivíduo começa bocejar, evidenciando vontade de dormir. Durante o sono, o sistema imunológic…


Exclusivo
Doutor João Responde

Valioso hemograma completo

Quando o médico solicita uma coleta de sangue, ele precisa dizer para o laboratório o que pretende que seja analisado na amostra enviada. Caso queira saber como andam os níveis de colesterol ou …


Exclusivo
Doutor João Responde

Relato sobre minha vacinação

A expectativa de ser vacinado contra a Covid-19 mexeu com meu sono. Assim que amanheceu, corri para o consultório visando adiantar o atendimento aos meus pacientes, já que o horário agendado para o …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados