X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Faculdade argentina cancela palestra de Moro após críticas em série nas redes sociais

| 28/05/2020 13:43 h

A faculdade de direito da Universidade de Buenos Aires (UBA) decidiu cancelar um evento virtual que teria como principal orador o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, apenas horas depois de divulgá-lo em sua página oficial e nas redes sociais.

No flyer, a palestra é descrita como um debate sobre "o combate à corrupção, a democracia e o Estado de direito" e Moro é apresentado como "juiz da República Federativa do Brasil", omitindo sua passagem pelo governo de Jair Bolsonaro e o fato de hoje ele ser ex-juiz. O evento ocorreria no próximo dia 10 de junho.

O convite a Moro havia sido feito pelo Centro de Estudos sobre Transparência e Luta, vinculado ao ex-presidente Mauricio Macri e a seu partido, o PRO (proposta republicana).

Ministro Sergio Moro
Ministro Sergio Moro |  Foto: Edu Andrade/Fatopress/Agência Estado

O assunto viralizou rápido nas redes, causando muita reação negativa por parte de lideranças políticas de esquerda ou ligadas ao kirchnerismo -corrente do peronismo hoje no poder, com o presidente Alberto Fernández e a vice, Cristina Kirchner.

Deputados e ministros se manifestaram. Um deles foi a titular da pasta da Mulher, Gênero e Diversidade, Elizabeth Gómez Alcorta, que postou: "Compartilho o repúdio a essa atividade, em uma universidade pública em que se deve formar as pessoas para a defesa do Estado de Direito e das garantias constitucionais".

A embaixadora da Argentina na Rússia, Alícia Castro, afirmou que Moro "é o emblema da manipulação da Justiça com fins partidários e o responsável pelo 'lawfare' que foi provocado, sem provas, contra o ex-presidente Lula da Silva".

Menções à prisão de Lula predominaram nas notas de repúdio e nas postagens, tanto de lideranças políticas como de outros internautas.

A deputada governista Julia Perié, disse: "A faculdade de direito da UBA está propondo essa atividade com aquele que mandou prender Lula por suposições, não permitindo que fosse candidato, e logo depois assumiu como ministro de Justiça de Bolsonaro. Vem para falar de corrupção. Uma vergonha!".

Depois da chuva de críticas, a UBA anunciou que a atividade estava cancelada.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS