search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Polícia aponta os trechos mais perigosos da BR-101

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

Polícia aponta os trechos mais perigosos da BR-101


Trafegar pelas rodovias requer atenção redobrada, especialmente nos locais que condensam os maiores riscos de acidentes. Um levantamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF) revela quais são os trechos considerados mais perigosos da BR-101, no Estado.

BR-101: trechos que não são duplicados registram os acidentes mais graves (Foto: Fábio Nunes/AT)
BR-101: trechos que não são duplicados registram os acidentes mais graves (Foto: Fábio Nunes/AT)


Sete trechos foram listados, sendo dois com parte duplicada e cinco de pistas simples e sem duplicação, o que segundo o inspetor Valdo Lemos, da PRF, é uma das principais causas de acidentes, principalmente os com vítimas fatais.

Trechos como de São Mateus, Linhares, Aracruz, Ibiraçu, Fundão, Guarapari e Iconha – os dois últimos com parte já duplicada –, estão entre os perigosos.

“De forma absoluta, o perigo e a quantidade de acidentes, principalmente os graves, têm relação com a falta de duplicação. A colisão frontal, que ocorre em caso de ultrapassagens em vias simples, tem o maior número de vítimas mais graves e óbitos”.

Outro ponto destacado por ele refere-se a trechos sem divisórias nas pistas, como mureta ou defensa metálica, o que evita, por exemplo, que o condutor invada a contramão durante ultrapassagem perigosa ou quando ocorre aquaplanagem.

Na questão de investimentos para maior segurança na rodovia, como uma duplicação, Valdo considera que “estamos atrasados”.

“Para nós, é fundamental. O número de vidas salvas com essas medidas compensa qualquer custo. A gente sabe que cada quilômetro de rodovia duplicado irá diminuir, e muito, a possibilidade de uma colisão frontal, que é o tipo de acidente de maior gravidade, que provoca maior número de vítimas e óbitos”.

Mesmo sendo duplicados, ele apontou que os trechos urbanos da Serra e da Rodovia do Contorno também estão entre os perigosos. Nesse caso, ele lembra que o comportamento do condutor e as condições do veículo são as principais causas de acidente.

Dos 480,7 quilômetros de trecho concedido no Estado, 96,05 km estão duplicados. Desses, 47,35 km foram duplicados pela Eco101, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Eco101 afirma que vão ser 105 km duplicados até dezembro

Com relação às obras de duplicação na BR-101, a concessionária Eco101 afirmou que o contrato tem prazo de 25 anos e as obras possuem prazos específicos distribuídos ao longo desse período.

“A concessionária assumiu a rodovia em 2013 e já haviam 58 km duplicados. Desta forma, serão 105 km duplicados no sistema rodoviário até o final de 2020, sendo 47 executados pela Eco101 e 58 já existentes”, disse em nota.

Contorno de Iconha: duplicação (Foto: Alessandro de Paula)
Contorno de Iconha: duplicação (Foto: Alessandro de Paula)
A concessionária frisou que o processo de licenciamento ambiental do trecho sul (Serra à divisa com o Rio de Janeiro) foi iniciado em 2011, mas a liberação pelo órgão competente saiu, somente, em março de 2018.

Com a liberação, a concessionária iniciou as obras do trecho entre Viana e Guarapari (km 305 ao km 335), tendo sido entregues 24 quilômetros e outros 6 quilômetros serão entregues até o final deste ano.

Além disso, a Eco101 informou que também estão em andamento as obras de duplicação de 22 quilômetros de Guarapari a Anchieta (km 335 ao km 357,7).

Além disso pontuou outros trechos duplicados: Anchieta (2,5 quilômetros), Ibiraçu (4,5), João Neiva (2,5), Contorno de Iconha (7,8), e 24 quilômetros de Viana a Guarapari, o que totalizará, 47,3 quilômetros de pista duplicada até o final de 2020.

Com relação à duplicação do trecho Norte (Serra a Mucuri-BA), o processo de licenciamento ambiental foi iniciado em 2013 e está em análise junto ao Ibama.

Segundo a Eco101, em setembro, Ibama solicitou complementação dos estudos ambientais por parte da concessionária, que está se mobilizando para isso.

Também enfatizou que conta com o Programa de Redução de Acidentes (PRA) para mapear todos os pontos críticos da rodovia e faz parte do Programa Movimento Capixaba para Salvar Vidas no Trânsito (Movitran).

“Desde o início da concessão, já instalamos cerca de 15 mil placas de sinalização, além de semáforos, implantação de 19 passarelas, construção de 11 viadutos, lombadas eletrônicas, 26 radares e também realizamos obras para adequar a geometria da via, tornando a rodovia cada vez mais segura.”


TIRE SUAS DÚVIDAS


1 Considerando todo o trecho da concessão no Estado, quantos quilômetros estão duplicados?
> Dos 480,7 quilômetros de trecho concedido estão duplicados 96,05 km.

2 Quantos foram duplicados pela Eco101?
> 47,35 quilômetros foram duplicados pela Eco101.

3 Quantos quilômetros faltam duplicar, previstos no contrato?
> Está prevista a duplicação de mais 375,85 km até o final de 2036.


SAIBA MAIS


Trechos perigosos e sem duplicação

Km 60 ao 70
- Local: perímetro urbano de São Mateus. Pista central simples – com pistas laterais em ambos sentidos.
- Cronograma: há previsão de duplicação até maio de 2023. Ainda não foi emitida a licença ambiental, portanto, não é possível o início das obras.

Km 100 ao 120
- Local: pistas simples de Sooretama
- Cronograma: há previsão de duplicação até maio de 2023. Ainda não foi emitida a licença ambiental, portanto, não é possível o início das obras. Trecho da reserva de Sooretama, grande entrave para a emissão da licença ambiental.

Km 140 ao 150
- Local: perímetro Urbano de Linhares (pista central simples com vias laterais em ambos sentidos)
- Cronograma: há previsão de duplicação no perímetro urbano até maio de 2023. Ainda não foi emitida a licença ambiental. Não é possível iniciar as obras. Está sendo avaliada a possibilidade de implantação de contorno de Linhares, contudo, seria necessária alteração contratual para inclusão dessa obra nas obrigações da Concessionária.

Km 180 ao 190
- Local: Aracruz (pista simples).
- Cronograma: há previsão de duplicação até maio de 2023. Ainda não foi emitida a licença ambiental, portanto, não é possível o início das obras.

Km 230 ao 240
- Local: Entre Ibiraçu e Fundão (pista simples).
- Cronograma: A duplicação deveria ter sido concluída em maio de 2018. Ainda não foi emitida a licença ambiental, portanto, não é possível o início das obras.

Trechos perigosos com parte duplicada

Km 330 ao 340
- Local: Guarapari
- Cronograma: trecho duplicado até o km 335. A duplicação até o km 340 deve estar liberada ao tráfego no próximo ano. O prazo encontra-se vencido.

Km 370 ao 380
- Local: Iconha
- Cronograma: pendente de duplicação do km 370 ao km 373,9 com prazo vencido em maio de 2019. Trecho do contorno de Iconha do km 373,9 ao km 379,9 totalmente duplicado.

Vias duplicadas, mas consideradas perigosas

Km 250 ao 280
- Local: trechos urbanos da Serra e Rodovia do Contorno (vias duplicadas).
- Obra: O segmento deixará de fazer parte da concessão com a implantação do contorno de Mestre Álvaro, obra em execução pelo Dnit/ES com previsão de conclusão em 2022.

Fonte: Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).


Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados