search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Plantas e flores nutritivas para incluir na alimentação

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

Plantas e flores nutritivas para incluir na alimentação


Professor e pós-doutor em Ciências Farmacêuticas, Marcio Fronza: pesquisas mostram poder medicinal (Foto: Leone Iglesias/ AT)
Professor e pós-doutor em Ciências Farmacêuticas, Marcio Fronza: pesquisas mostram poder medicinal (Foto: Leone Iglesias/ AT)

Já imaginou incluir na alimentação diária plantas facilmente encontradas em áreas verdes como parques ou até em margens de estradas?

Algumas delas estão classificadas em Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs), isto é, vegetais que não costumam ser ingeridos, mas, que podem ser.
Algumas das mais conhecidas são azedinha, capuchinha, ora-pro-nóbis e peixinho-da-horta.

Entre as vantagens de seu consumo, estão nutrição mais elevada, alimentação orgânicas, ter baixo ou nenhum custo, além de deixar os pratos mais saborosos.
Segundo a nutricionista e mestranda em Educação Agrícola, Maria do Carmo Freitas, elas diversificam a alimentação.

“No passado, esses vegetais eram muito utilizados. Mas, devido à indústria alimentícia e às práticas de monoculturas, foram substituídos por poucas espécies convencionais”, explicou.

A nutricionista contou que é possível elaborar diversas receitas. “Eles podem ser ingeridos em forma de salada, fritos, assados, em molho, suco, chá, como também podem ser usados em bolos e suflês, por exemplo”.

Além dos altos valores nutritivos, as PANCs também podem ser usadas para fins medicinais.

Segundo o farmacêutico e pós-doutor em Ciências Farmacêuticas, Marcio Fronza, as folhas da planta ora-pro-nóbis, por exemplo, são ricas em ferro.

“Na medicina popular, ela é muito utilizada no tratamento da anemia. Também possui um grande teor de proteína, comparável às carnes em geral”, explicou.
Ainda de acordo com o professor, alguns previnem doenças.

“Em um estudo com três PANCs, pôde-se verificar que elas possuem propriedades bioativas, capazes de auxiliar na prevenção de doenças inflamatórias e crônicas não transmissíveis, como diabetes, hipertensão, obesidade e colesterol alto”, acrescentou.

A nutricionista Gabriela Rebello alerta para não fazer o consumo indevido. “Não tentem descobrir se toda planta é comestível simplesmente provando-a. Algumas podem ser venenosas”, pontuou.


SAIBA MAIS


Algumas PANCs

  1. Tomate silvestre brasileiro: chamado de tomatinho, possui na composição licopeno e outros carotenóides, podendo ser considerado um alimento funcional, isto é, faz bem à saúde.
  2. Beldroega: facilmente encontrada em ruas, pedras, areia e em muros, é rica em vitaminas A, B e C e sais minerais, além de possuir propriedades analgésicas, diuréticas, anti-hemorrágicas e anti-glicêmicas. É a fonte vegetal mais rica em ômega-3.
  3. Bertalha: também conhecida como espinafre-indiano, é rica em vitaminas A e D, cálcio, potássio, zinco, magnésio e proteínas. É altamente nutritiva e fortalece a imunidade.
  4. Hibisco: bastante utilizada por quem deseja perder peso, ajuda a fortalecer o sistema imunológico contra inflamações e infecções, além de ser diurética e calmante. Uma opção de consumo é fazer seu chá.
  5. Trapoeraba-azul: possui proteínas, cálcio, zinco e magnésio. Suas flores são comestíveis. Pode ser consumida refogada, cozida ou frita.
  6. Capuchinha: possui vitamina C, potássio, zinco e cálcio. Tem sabor levemente picante, parecido com o agrião. Suas folhas, flores e as sementes são comestíveis.
  7. Caruaru: suas sementes podem ser adicionadas às frutas, iogurtes, sucos e vitaminas. Ela também pode ser preparado como pipoca. Suas folhas são comestíveis.
  8. Bredo-de-praia: pode ser encontrado em dunas litorâneas. Seu uso culinário é ideal em preparações de refogado com arroz, com bolinho, sopas, farofa, panquecas ou na forma de salada. Tem atividades antimicrobianas e anti-inflamatória.
  9. Peixinho da horta: o sabor leve e crocante lembra um peixe frito. O sabor se deve à uma quantidade expressiva de óleo vegetal com função antimicrobiana presente na sua composição química. É uma planta utilizada, muitas vezes, como ornamental.
  10. Azedinha: como o próprio nome diz, tem um sabor ácido. Pode substituir o limão nos temperos para salada ou ser usada em sucos. Tem potencial antioxidante, que protege o organismo, e é antiviral para herpes simples.
  11. Fruta-pão: os frutos bem maduros podem ser consumidos diretamente como fruta. Também podem ser usados para fazer purê salgado, mesclado com batata ou inhame. É uma boa fonte de pró-vitamina A.
  12. Ora-pro-nobis: é uma planta rústica, muito resistente à seca, própria de clima tropical e subtropical. Pode ser totalmente consumida, flores, folhas e frutos. Possui vitamina C, ferro, cálcio, magnésio e fibras.
  13. Taioba: é rica em proteína. Mas, é preciso adquiri-la em locais confiáveis, pois nem toda planta que se diz taioba é comestível. Quando são, as folhas podem ser refogadas ou cozidas, e os rizomas cozidos, fritos ou processados na forma de farinha.
  14. Guasca ou Picão Branco: conhecida por suas propriedades cicatrizantes e anti-inflamatórias, pode ser facilmente encontrada em jardins. O caule e as flores podem ser ingeridos crus, cozidos ou em sucos.
  15. Shissô: parecida com o manjericão, ela pode variar entre as cores roxa e verde. É muito usada na culinária oriental. Para a culinária brasileira, as folhas podem ser usadas em chás, sucos e saladas.
  16. Urtiga: é uma excelente fonte de vitaminas e minerais, como ferro e zinco. Seu chá previne a retenção de líquidos.
  17. Serralha: tem um sabor levemente amargo. Apresenta consideráveis teores de proteína e é também uma boa fonte de fibra alimentar. É consumida refogada, em omeletes e em massas, ou também como salada.
  18. Almeirão-de-árvore: as folhas macias são ricas em minerais, especialmente potássio e cálcio, e podem ser consumidas cruas, refogadas ou cozidas. Elas também apresentam boa fonte de proteína e fibras.
  19. Cara-do-ar: é fonte de carboidrato. Os tubérculos podem ser consumidos em substituição à batata, refogados, cozidos, fritos, em sopas com carnes ou em pães.
  20. Celósia: suas folhas e hastes tenras são consideradas comestíveis. Pode ser consumida cozida ou refogada com galinha e arroz.

Fonte: Especialistas consultados e pesquisa AT.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados