search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Orientação às escolas é priorizar aulas nas quadras, ginásios e ao ar livre

Notícias

Publicidade | Anuncie

Educação

Orientação às escolas é priorizar aulas nas quadras, ginásios e ao ar livre


O Conselho Estadual de Educação do Espírito (CEE-ES) divulgou, no Diário Oficial desta terça-feira (15), uma série orientações para o retorno das aulas presenciais nas escolas. As aulas presenciais foram suspensas em março, em função da pandemia do coronavírus no Espírito Santo. 

Uma das diretrizes é que as instituições de ensino priorizem as aulas em quadras, ginásios e ao ar livre. As medidas foram divididas em estruturais, de higiene, pedagógicas e de acolhimento.

Entre as estruturais, estão a organização dos horários e locais de entrada e saída das turmas e de horários alternativos para o uso de espaços coletivos como biblioteca, refeitório e laboratórios.

Estudantes em sala de aula (Foto: Freepik)
Estudantes em sala de aula (Foto: Freepik)

Já as orientações para o distanciamento social estão a suspensão temporária de jogos, competições, reuniões e comemorações e “evitar a entrada de pessoas externas ao corpo de funcionários (fornecedores, equipes de manutenção e outros) nos horários de realização de atividades presenciais”.

Outra diretriz é que as escolas orientem os familiares dos alunos para que estes só usem o uniforme da instituição no trajeto entre casa e escola. Outra orientação é para que os estudantes evitem “o uso de adereços como brinco, pulseira, anéis, etc. e usar preferencialmente o cabelo preso”.

As escolas devem reorganizar o calendário, “considerando objetivos de aprendizagens que foram definidos como essenciais, contemplando, no planejamento, diversas estratégias didáticas remotas e presenciais combinadas”.


Veja outras medidas:


  • Medidas estruturais

> Higienizar os artefatos (mesas, cadeiras, quadros, portas, corrimões, etc) utilizados pelos alunos e professores entre os turnos;
> Organizar os horários e locais de entrada e saída das turmas, com as devidas sinalizações, de modo a evitar quaisquer contatos entre as pessoas que chegam e que saem da escola;
> Dar preferência, quando possível, para utilização de espaços alternativos como, por exemplo, praças, parques, e para atividades de pesquisas virtuais em bibliotecas on-line, museus on-line, teatros on-line, para o desenvolvimento de atividades formativas e, dessa forma, reduzir a aglomeração no interior das instituições de ensino e das salas de aula;
> Disponibilizar água, sabão e álcool em gel 70% em diversos locais, como salas de aula, corredores, banheiros, entrada e saída da escola;
> Propiciar forma de aferição da temperatura de todos os alunos e profis-sionais, na entrada da instituição, por meio de termômetros infravermelho ou outros instrumentos que não envolvam contato corporal.

  • Medidas para o distanciamento social

> Organizar horários escalonados para entradas, saídas e intervalos, de forma a evitar aglomerações nos portões, corredores, pátios e espaços multiúsos;
Evitar a entrada de pessoas externas ao corpo de funcionários (fornecedores, equipes de manutenção e outros) nos horários de realização de atividades presenciais;
Permitir a entrada de alunos, professores, funcionários, somente com uso de máscara;
Disponibilizar máscaras para alunos que, porventura, não as tenham;
Sinalizar rotas nos espaços das escolas para que os alunos mantenham distância entre si;- Utilizar várias entradas da escola e divisão dos alunos, de acordo com a proximidade das salas;
Marcar lugares nos refeitórios, com espaçamento previsto pelos órgãos governamentais de saúde, e dispor de horário diferenciado para uso do espaço pelas turmas, para minimizar a movimentação durante o almoço;
Intensificar a higiene dos pratos, copos e talheres, e suspender, tempo-rariamente, o sistema de self-service.

  • Medidas de higiene

Promover campanhas para conscientização da higienização de materiais como roupas, sapatos, mochilas, bolsas e pastas; 
Orientar as famílias, quando for o caso, para que os materiais levados à escola pelos alunos venham higienizados de casa; 
Evitar o uso e reúso de lenços de pano e chupeta amarrada na fralda; 
Descrever e afixar medidas educativas em linguagem e comunicação adequadas ao público;
Orientar para que cada estudante traga e utilize sua própria garrafa de água, utilizando os bebedouros comuns apenas para encher essas garrafas novamente;
Orientar que as garrafas de água dos estudantes sejam higienizadas, antes de sua utilização na escola e ao chegar a casa, todos os dias;
Evitar o uso de água diretamente do bebedouro;
Evitar levar brinquedos pessoais à escola e dar preferência às atividades recreativas ao ar livre;
Utilizar materiais e brinquedos de fácil higienização com álcool 70% ou lavagem com água e sabão;
Orientar sobre a obrigatoriedade da higienização frequente das mãos, especialmente na chegada à escola, antes e após as refeições, após ida ao banheiro e, se possível, uma vez a cada duas horas ao longo do dia;
Realizar atividade lúdica educativa para as crianças menores aprenderem os cuidados básicos de higienização das mãos e de uso de máscaras que cubram nariz e boca;
Atentar-se para o momento da troca de fraldas, mantendo a higienização das mãos dos profissionais e das crianças, bem como da bancada, antes e depois da muda de fralda, devendo embalar em saco plástico cada fralda suja antes do descarte ou troca contínua do lixo.

  • Medidas pedagógicas

Manter comunicação frequente com todas as famílias dos alunos, garantindo a participação efetiva na tomada de decisões;
Efetuar avaliação diagnóstica do aprendizado dos alunos, acompanhada da escuta sistemática dos professores, assim que houver o retorno, seguida de organização de programas de apoio e de recuperação de aprendizagens;
Facilitar o acesso a computador e a internet, na instituição de ensino, com prévio agendamento, para os alunos com dificuldades tecnológicas/técnicas;
Reorganizar o calendário escolar, considerando objetivos de aprendizagens que foram definidos como essenciais, contemplando, no planejamento, diversas estratégias didáticas remotas e presenciais combinadas, para assegurar o sucesso do trabalho formativo realizado;
Garantir o tempo de descanso aos profissionais e aos alunos, especial-mente no período de verão, prorrogando os calendários para o período do ano seguinte, em caso extremamente necessário;
Privilegiar a utilização de diferentes tecnologias no trabalho com os objetivos de aprendizagens, a fim de imprimir diversidades de práticas de pesquisa, como levantamento de informações, registro e sistematização de conhecimentos abordados, comunicações diversas, visitas virtuais a museus, parques, palácios, audição de concertos de música, visualização de peças de teatro e documentários sobre assuntos tratados nas aulas;

  • Medidas de acolhimento

Planejar atividades de acolhimento e de reintegração social dos professores, funcionários e estudantes, como forma de superar os impactos psicológicos do longo período de isolamento social;
Valorizar ações e atividades que oportunizem o estreitamento de laços entre família e escola, sem desconsiderar as medidas de preservação da saúde;
Valorizar os encontros remotos para discussões sobre problemas enfrentados pelas famílias e orientá-las para enfrentá-los.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados