search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Metade das crianças ainda sofre com verme no Brasil

Notícias

Publicidade | Anuncie

Saúde

Metade das crianças ainda sofre com verme no Brasil


O hábito das crianças de colocar mãos, brinquedos e outros objetos na boca as torna mais propensas a contrair verminoses. Nelas, os sintomas costumam ser brandos e fica mais difícil identificar quando estão com verme. Portanto, os pais devem se atentar a qualquer sinal diferente.

Nas últimas décadas, a melhoria das condições sanitárias para a população e a disseminação de informações sobre as formas de contaminação reduziram o número de casos de verminoses no País.

João de Siqueira Neto alerta para os   cuidados com a higiene (Foto: Daniela Ramos)
João de Siqueira Neto alerta para os cuidados com a higiene (Foto: Daniela Ramos)

Ainda assim, o Brasil é considerado um país com alta incidência da doença, que atinge 36% da população. Entre as crianças, 55% são afetadas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, parasitores e verminoses são as doenças mais comuns no mundo. Os casos são mais frequentes onde falta saneamento básico.

Em 2017, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 34,7% dos 5.570 municípios brasileiros relataram casos de endemia ou de epidemia de doenças relacionadas a deficiências no saneamento.

O cirurgião do aparelho digestivo João de Siqueira Neto, que também é presidente da Sociedade de Endoscopia Digestiva, explicou em entrevista ao AT em Família quais os sinais de alerta para uma possível verminose e as consequências do não tratamento.

AT em Família – Por que os casos de pessoas com vermes não são mais tão comuns quanto antigamente?
João de Siqueira Neto –
A melhoria das condições sanitárias para a população (tratamento de esgoto, água encanada e melhores condições habitacionais) e o maior conhecimento sobre as formas de contaminação dessas doenças (consumo de água não adequadamente tratada e hábitos como colocar mãos e objetos sujos na boca) propiciaram uma redução significativa no número de novos casos de parasitoses.

Além disso, atualmente conhecemos melhor e sabemos reconhecer rapidamente os sintomas de pacientes com verminoses.

A população também tem maior acesso à saúde, inclusive pela rede pública.

AT em Família – Mesmo com a redução na incidência, a verminose ainda é uma doença comum?
João de Siqueira Neto – 
Sim. Principalmente em países subdesenvolvidos, onde as condições sanitárias ainda não são ideais e a população não tem acesso adequado aos serviços de saúde. O Brasil ainda é considerado um país com alta incidência de verminoses.

AT em Família – Por que é mais comum em crianças?
João de Siqueira Neto – As crianças são mais atingidas pelas parasitoses pelos hábitos de colocar mãos e objetos contaminados na boca, além de muitas vezes comerem alimentos não adequadamente higienizados. Nas crianças os sintomas podem ser brandos e o diagnóstico demorar a ser feito.

AT em Família – Quais os indicativos de que a pessoa está com verme?
João de Siqueira Neto – 
Dependendo da verminose, alguns sintomas específicos podem aparecer. Mas em geral ocorrem diarreia, fezes gordurosas, distensão e dor abdominal, falta de apetite, enjoos e vômitos. Nos casos mais graves ocorre até mesmo anemia, obstrução intestinal e eliminação de vermes nas fezes.

AT em Família – Os sintomas são os mesmos em adultos e crianças?
João de Siqueira Neto – As crianças têm sintomas semelhantes aos adultos, mas é importante ficar atento, pois nos casos graves pode haver retardo do crescimento e dificuldade de aprendizado e desenvolvimento.

AT em Família – O que causa a contaminação?
João de Siqueira Neto – Maus hábitos de higiene como mãos e objetos sujos colocados na boca, higienização inadequada de alimentos antes do seu consumo, ingestão de água não adequadamente tratada e consumo de alimentos crus.

AT em Família – Quais as consequências de não tratar ou tratar tardiamente verminoses?
João de Siqueira Neto –
Além dos transtornos causados pelos sintomas, levando a uma qualidade de vida ruim, um paciente com verminose não tratada pode contaminar outras pessoas, perpetuando o ciclo de infecção populacional.


FIQUE POR DENTRO


> A melhoria das condições sanitárias para a população e o maior conhecimento sobre as formas de contaminação reduziram o número de casos de verminoses no Brasil. Ainda assim, a incidência no País é alta.

> Os vermes mais comuns em humanos são giárdia, ameba, ascaris (lombriga), tênias, entre outros.

> Diversos órgãos podem abrigar vermes. O local mais comum é o trato digestivo, que inclui intestinos grosso e delgado. Mas podem acometer também o fígado, o pulmão e até o cérebro.

> As crianças são mais atingidas pois colocam mãos e objetos contaminados na boca, além de não higienizarem corretamente alimentos antes de comer. Nelas, os sintomas são mais leves e o diagnóstico é mais demorado.

> Condições sanitárias - Que diz respeito à conservação da saúde pública ou individual e à higiene.

> Brando - De intensidade reduzida, sem severidade.

OS NÚMEROS

1º lugar > no ranking das doenças mais comuns no mundo

55% > das crianças são afetadas pelas verminoses

36% > é a população geral atingida pela doença

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados