search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Ioga entra de vez na rotina dos brasileiros
AT em Família

Ioga entra de vez na rotina dos brasileiros

Com o foco voltado para a saúde física e mental durante a pandemia da covid-19, aumentou o número de adeptos da ioga, prática milenar originada na Índia. As aulas se tornaram um alento no período de isolamento social e a ioga entrou de vez na rotina dos brasileiros.

Alcançar a paz interior; elevar concentração, autonomia e estabilidade emocional; reduzir ansiedade, estresse e seus sintomas; promover força, resistência e flexibilidade física; contribuir para a prevenção de doenças; e vários outros benefícios são alcançados através da prática, preferencialmente diária.

A instrutora Clara Rocha afirma que a ioga é uma disciplina do intelecto, da mente e das emoções (Foto: Divulgação)A instrutora Clara Rocha afirma que a ioga é uma disciplina do intelecto, da mente e das emoções (Foto: Divulgação)

Especialistas enfatizam que o ideal é manter a constância, mesmo que a frequência seja apenas duas vezes por semana.

Segundo a instrutora Clara Rocha, ioga é uma disciplina do intelecto, da mente e das emoções, que nasceu com o objetivo de desenvolver a consciência. Na Índia, os Yoguis usavam as técnicas das posturas, da respiração e da meditação com objetivo de viver em harmonia divina e alcançar a liberdade.

“Este trabalho de liberdade suprema se inicia pelo corpo, pois um corpo com saúde pode se movimentar livremente e uma mente equilibrada se mantém livre. Quando temos um corpo e uma mente livres, eles estão em união. Isso é ioga”, explica.

A instrutora destaca que a prática se adapta e se torna acessível a qualquer pessoa, independente da condição física, idade e limitações, sob orientação de um professor qualificado.

Para a instrutora e praticante Dora Damasio, um mito que cerca a prática é que é preciso ter certas habilidades para iniciar na ioga.

“O encantador da ioga é ser acessível para todos. Muitas pessoas falam que acham que não é para elas porque não têm flexibilidade. Mas a flexibilidade é um dos benefícios que vêm com a prática. Não é necessário ter certo grau de condicionamento para começar”, enfatiza.

Ela explica que existem métodos que exploram itens como faixa, manta, almofada e outros objetos que proporcionam mais conforto nas posturas. Com o tempo, a pessoa pode evoluir para conseguir praticar sem esses auxílios.

“O corpo vai se ajustando até que chega o momento que o praticante consegue fazer a postura na forma clássica. A ioga é uma caminhada em que a gente evolui um dia de cada vez”, ressalta Dora.


"Mais paciência no dia a dia", diz funcionária pública

Letícia Nitz, na aula de ioga (Foto: Acervo Pessoal)Letícia Nitz, na aula de ioga (Foto: Acervo Pessoal)

A funcionária pública federal Letícia Nitz, 40, iniciou na ioga diariamente para melhorar a flexibilidade. Em três anos e meio, percebeu benefícios além do que esperava.

“Vai muito além das mudanças físicas. Senti também aumento de atenção, paciência, empatia e aceitação. Em minha saúde, aumento da imunidade com a drástica diminuição de crises de asma e rinite.”

“Mas a diferença mais importante para mim é a consciência e atenção diária ao que sou internamente, às minhas emoções e aos meus sentimentos”, acrescenta.