search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Gasto médio com cães é de R$ 340 por mês
AT em Família

Gasto médio com cães é de R$ 340 por mês

Tatiana Nagasava adotou a cachorrinha Zara há sete anos (Foto: Divulgação)Tatiana Nagasava adotou a cachorrinha Zara há sete anos (Foto: Divulgação)

Consultar o bolso é uma das prioridades antes de acolher um pet na família. Cuidar de um animal gera gastos com alimentação, vacina, higiene, brinquedos e vários outros itens essenciais. Além de situações nem sempre previsíveis, como adoecimento ou acidentes.

Um levantamento do Instituto Pet Brasil aponta que o gasto médio mensal com um cachorro é de R$ 338,76. O valor varia de acordo com o porte. Cães pequenos, de até 10 kg, têm custo de R$ 266,18. Os médios, de 11 kg a 25 kg, R$ 327,51. Já cães grandes, de 26 kg a 45 kg, o valor é R$ 422,59.

Em relação aos felinos, o gasto médio é de R$ 196,56 mensais. Com ajuda de veterinários, o AT em Família listou para quais despesas os novos tutores devem estar preparados. Essas informações ajudam ainda no planejamento financeiro de quem já tem um bichinho em casa.

Os custos são os mesmos para cães com ou sem raça definida. Fatores como porte, pelagem e quadro de saúde interferem nos gastos.

Aline Almeida de Abreu, médica veterinária, cita despesas como alimentação, vermífugo, vacinas anuais, banho e tosa para alguns cães e acompanhamento veterinário. Gatos ainda precisam fazer teste de FIV e Felv antes da vacina viral e exigem areia especial e outros itens específicos para a espécie.

“Para as duas espécies, é indicado passar por uma avaliação clínica ao menos uma vez por ano com realizações de exames clínicos como preventivo. Caso seja detectada algum tipo de alteração, ou seja, doença, são necessários exames mais complexos e com valores mais altos”, pondera Aline.

O veterinário Rodrigo de Oliveira Uvo destaca que evitar algumas despesas ou tentar economizar nelas pode comprometer a saúde e o bem-estar dos bichinhos.
Por exemplo, uma alimentação de baixa qualidade enfraquece o sistema imune e o animal adoece mais.

O especialista recomenda criar uma reserva financeira para o animal, como uma poupança. “Se juntar de R$ 100 a R$ 200 por mês, acumula de R$ 1.200 a R$ 2.400 por ano. Com esse valor já consegue bancar as vacinas anuais e eventuais problemas, como consulta ou eventual cirurgia”, orienta Rodrigo.

“Zara precisa de ração especial”

“A Zara é especial. Ela desenvolveu um trauma alérgico que exige tratamento constante. Ela precisa de ração especial e de tomar um medicamento que é mais caro. Mas já estava dentro do planejamento que a gente esperava por tudo que viveu na rua”, conta a tutora, a analista de logística Tatiana Nagasava, 36, que adotou a peludinha há sete anos.

Outro investimento importante para o bem-estar da pequenina são as idas para creche uma vez a cada 15 dias ou um mês.


Principais despesas


1 Alimentação

  • Deve ser de qualidade para atender as necessidades nutricionais do pet, caso contrário pode comprometer a imunidade e deixá-lo mais suscetível a doenças.
  • O gasto varia conforme o porte do animal, de R$ 80 a R$ 250 ou mais. Além disso, os que têm problemas de saúde podem precisar de alimentação especial, que é mais cara.

2 Vacinas

  • Primordiais para o bem-estar e a segurança do animal. É necessário fazer o reforço anual dos imunizantes. Em média, o custo anual em cães é de R$ 400 e em gatos de R$ 300.

3 Remédio contra parasitas

  • A dosagem dos medicamentos para combater e proteger contra vermes, pulgas e carrapatos varia de acordo com o porte e, consequentemente, o preço também, mas geralmente é a partir de R$ 35. A proteção deve ser reforçada algumas vezes no ano, conforme orientação do veterinário.

4 Consultas periódicas

  • O animal deve ir ao veterinário pelo menos duas vezes por ano para um check-up geral com avaliação e exames, mesmo que ele aparente estar saudável! Assim, é possível identificar e tratar precocemente qualquer problema. O diagnóstico tardio dificulta e pode encarecer o tratamento.

5 Banho e tosa

  • Dependendo do porte, do tipo de pelo ou de necessidades especiais do pet, pode ser necessário fazer o banho e a tosa em pet shop a cada 15 ou 30 dias.

6 Emergências

  • O tutor deve estar preparado para os imprevistos que acontecem no dia a dia como acidentes ou adoecimento do animal, por exemplo, dispondo de meios (poupança ou plano de saúde) para arcar com os gastos que podem ser elevados.

7 Outros

  • É muito importante não negligenciar gastos com brinquedos, roupas, itens de higiene, cama, pratos de água e de alimento e mais. Tudo isso é importante para o bem-estar do animal.

Fonte: Especialistas entrevistados.