search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Esses malditos vírus
Doutor João Responde

Esses malditos vírus

Nada garante a saúde permanente do ser humano. Por mais que a vida seja protegida, nada assegura a manutenção da tranquilidade do amanhã. Por esse motivo, a ciência toma conclusões como verdades relativas.

A presença de uma pandemia, por exemplo, altera totalmente a dinâmica da vida. Estamos vivendo momentos difíceis, cujo culpado é um vírus extremamente agressivo.

Desde a sua descoberta, as partículas virais se tornaram um grande problema para os cientistas do que seria o conceito de vida, e, até hoje, há debate para colocar ou não os vírus como seres vivos, já que esses agentes infecciosos não apresentam organização celular e só manifestam atividade metabólica quando estão no interior de células hospedeiras, mostrando-se inertes em seu exterior.

Vírus são formados por uma cápsula proteica, denominada capsídeo. Esta envolve o material genético, que pode ser DNA, RNA ou, em poucos casos, ambos. Alguns, ainda, possuem um envelope lipoproteico, composto por restos de membrana plasmática da célula em que se originaram. Por serem menores até mesmo que as menores células conhecidas, eles só podem ser observados ao microscópio eletrônico.

Os vírus possuem especificidade em relação ao tipo celular que parasitam, uma vez que o capsídeo se adere a células que possuem receptores compatíveis ao seu arranjo. Uma única partícula viral é capaz de originar, em pouco tempo, centenas de novos vírus.

Ao atacar uma célula, esse parasita injeta seu material genético dentro dela. Utilizando-se das estruturas ali presentes, assume o comando do metabolismo, propiciando a produção de novos vírus que, mais tarde, romperão a parede celular, infectando novas células.

Existem vírus que não precisam entrar em uma célula para se reproduzirem, eles apenas injetam seu genoma na célula hospedeira.

O material genético viral inserido em uma célula é traduzido e replicado à medida que ela se multiplica.

No processo de reprodução dos vírus há a duplicação do material genético viral e a síntese das proteínas na medida em que ele inibe o funcionamento normal da célula.

Durante essa complexa relação, pode surgir mutações, tornando o vírus um inimigo difícil de ser combatido.

Estamos vivendo o drama de uma pandemia viral. Enquanto a ciência labuta diuturnamente em busca de soluções, nós alimentamos a esperança, essa forma de ser curado, muitas vezes, antes da cura definitiva.

Sonhos interrompidos? Não, apenas sonhos adiados!

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

As perigosas mutações virais

Buscando harmonizar-se como um todo, ignorando o egoísmo humano, a natureza se recicla. Equivocadamente, o Homo sapiens tenta mudá-la, em vez de se ajustar a ela. A natureza costuma ser lânguida, mas …


Exclusivo
Doutor João Responde

Medicina baseada em evidência

“Medicina é como amor: nem nunca, nem sempre”. No passado, o médico nem sempre tinha acesso à pesquisa mais recente. Muitas vezes, ele decidia como tratar um paciente, usando apenas sua própria …


Exclusivo
Doutor João Responde

Consolo da falsa ciência

Em tempos de pandemia, alguns medicamentos têm reivindicado status científico, embora careçam de provas ou plausibilidade. A fronteira entre ciência e pseudociência tem implicações religiosas, …


Exclusivo
Doutor João Responde

Predadora célula cancerosa

Para manter-se vivo, o corpo precisa lutar contra tudo aquilo que desequilibra suas funções, inclusive contra si mesmo. Munido de uma poderosa arma antigênica, o organismo protege a vida que mantém …


Exclusivo
Doutor João Responde

Uso de corticoide em Covid-19

Descobriu-se, recentemente, que o esteroide dexametasona diminui a nefasta reação do sistema imunológico contra o coronavírus, aumentando a chance de sobrevivência do paciente grave. Denominada …


Exclusivo
Doutor João Responde

O asfixiante coronavírus

Flutuando no ar, esse invisível inimigo se espalha por meio de gotículas transmitidas ao ar pela respiração, principalmente quando ocorrem espirros e tosse. Estando presentes ao redor, indivíduos …


Exclusivo
Doutor João Responde

Higienização com álcool em gel

Qual a diferença entre desinfetante, antisséptico e esterilizante? Desinfetar é destruir aquilo que causa infecção. Antissepsia é limpar algo contaminado. Esterilizar se refere a um processo de …


Exclusivo
Doutor João Responde

Em busca da vacina milagrosa

Vivendo entre o sonho e a realidade, ninguém é imune à sentença do tempo. A ansiedade é inimiga mortal da nossa paz. A paz é amiga vital da nossa saúde. Estamos atravessando um período dramático…


Exclusivo
Doutor João Responde

Complicações contra a Covid-19

Indagados por não estarem usando máscaras, muitas pessoas afirmam que são resistentes à Covid-19. Esta declaração categórica é bastante perigosa, uma vez que, diante da pandemia, ninguém pode dispor …


Exclusivo
Doutor João Responde

Baço, um órgão pouco lembrado

A designação desse órgão abdominal originou-se pelo fato dele ser embaçado, não se deixando ser atravessado pela luz. O baço sempre constituiu um desafio à curiosidade dos investigadores que …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados