X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

ENEM 2022: Professores apontam temas mais cotados para a redação

Insegurança alimentar, educação a distância, influenciadores digitais e pandemia estão entre os assuntos cotados para o exame

Jonathas Gomes, do jornal A Tribuna | 15/07/2022 17:24 h

Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)
Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) |  Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
 

Com apenas quatro meses para se planejar para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os estudantes ficam ansiosos imaginando qual deve ser o tema da redação da prova. Especialistas apontam os assuntos mais cotados de 2022.

O Portal Nacional da Educação divulgou uma lista com possíveis temas. Entre eles  estão a insegurança alimentar, a educação a distância, os impactos da pandemia, além do impacto dos influenciadores  digitais na sociedade de consumo.

O professor de Língua Portuguesa e Redação do Centro Educacional Leonardo Da Vinci, Lúcio Manga, aponta que  “gravidez na adolescência”, “investimento em ciência e tecnologia”, “superlotação do sistema prisional”, “combate ao uso do crack” e “participação do jovem na política” são  temáticas  prováveis.

“A tendência é de que o tema da redação esteja em evidência  no período de junho de um ano a junho do outro, prazo para as provas serem finalizadas. Os temas podem ser dos eixos social, político, cultural e científico”, explica.

Já a professora de Língua Portuguesa e Redação,  Isadora Rocha,  reforça que o estudante deve estar atento a eixos temáticos abrangentes e, assim, poderá ter um bom desempenho na redação do Enem. 

“A redação trabalha com problemas e, por isso, o candidato deve construir um repertório para entender as desigualdades sociais de gênero, raça, sexualidade e classe social do País. Independente do tema, essa compreensão estrutura bons argumentos”.

Para a preparação, os professores indicam que os candidatos construam repertório sociocultural e, assim, terão maior domínio sobre temas diversos.

Acompanhar notícias de jornais, realizar leituras literária e   assistir a  filmes e documentário são formas de construir repertório para a redação, explicam.

“A prova de redação é, na verdade, uma questão. Quando se depara com o enunciado, junto aos textos motivadores, o estudante pode aliar seu conhecimento de mundo e problematizar abordagens da coletânea de textos para desenvolver raciocícios”, explica  Manga.

De acordo com  o calendário do MEC, o Enem será realizado nos dias 13 e 20 de novembro. A redação será aplicada no primeiro dia do exame, junto às provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias. O exame é a principal forma de acesso ao ensino superior no Brasil.

Preparo com produções mensais

A estudante Layza Spagnol, 23, irá tentar vaga de Medicina neste ano.  Ansiosa com a redação, ela trabalha diversos temas, técnicas de escrita e faz, no mínimo, cinco redações mensais para a correção da professora de Língua Portuguesa e redação Rayza Fontes.

Professora de Língua Portuguesa e redação Rayza Fontes e sua aluna Layza Spagnol.
Professora de Língua Portuguesa e redação Rayza Fontes e sua aluna Layza Spagnol. |  Foto: Douglas Schineider/AT
 

Para a professora, a leitura é essencial para uma boa redação. 

“Quem lê, escreve bem. Além disso, o ideal é o aluno praticar redação toda semana, com atenção à correção do professor”.

Entre os temas mais prováveis para este ano,  a professora aponta “uso de cigarro eletrônico”, “gravidez na adolescência”, “aumento de infecções sexualmente transmissíveis entre jovens”, “burn out” e “vício em redes sociais”.


VINTE TEMAS COTADOS

1) O voto como ferramenta de transformação da sociedade: O voto é o instrumento mais poderoso de mudança social e o candidato deve se atentar aos valores democráticos e ao direito de voto secreto.   

2) O abuso nos trotes universitários: Importante pensar que o trote é a manutenção de um poder e uma  forma de demonstrar superioridade, em alguns casos. 

3) A importância da empatia e da prática do voluntariado: O voluntariado cria um senso de propósito que ajuda a lidar com a ansiedade e a depressão. Pode ser relacionado ao ativismo cibernético.

4) Violência doméstica contra crianças: Pensar que as crianças têm direito à infância e buscar formas de abordar causas e consequências da violência doméstica, além de propor intervenções para a  garantia dos direitos das crianças.

5) Educação a distância e os impactos da pandemia: Pensar nas desigualdades para o acesso ao ensino remoto e os desafios para a alfabetização na pandemia.

6) Desenvolvimento sustentável: Todos têm direito ao meio ambiente equilibrado. O candidato pode relacionar com desafios para utilização racional de matérias-primas.

7) Insegurança alimentar: A fome é um problema de primeira necessidade e o candidato pode relacioná-lo com a distribuição de renda, desperdício de alimentos e otimização de produção. 

8) Violência em estádios de futebol brasileiros: Lembrar  que o futebol é um esporte prazeroso e relacionar o tema com formas de educação continuada e de conscientização contra a violência.

9)  Movimento antivacina no Brasil: O movimento antivacina põe em questão a ciência, que melhorou a qualidade de vida no planeta. Desvalorizar o papel da ciência é um equívoco e isso deve ser pontuado.

10) Valorização dos povos indígenas no Brasil: Os povos indígenas fazem parte da construção  do Brasil. A valorização é uma forma de legitimação da cultura brasileira.  

11) Combate ao bullying na escola: Entender que é um comportamento da sociedade que se reflete na escola e abordar o respeito às diferenças e às minorias sociais. 

12) Maus-tratos aos animais: Lembrar que existe uma lei de proteção de animais e relacionar com a ética e a  importância da empatia.

13) O esporte e inclusão: Abordar o esporte como forma de convivência com as diferenças, de construção de valores e de desenvolvimento social. 

14) Influenciadores  e consumo: Assim como nas mídias tradicionais, é preciso discutir a regulamentação da publicidade para influenciadores digitais.

15) Combate às epidemias no Brasil: O tema envolve a consciência social sobre vacinação,  protocolos de segurança e investimento em ciência. 

16) O perigo da escassez da água no Brasil:  O País tem uma das maiores reservas de água doce do mundo, mas a distribuição é desigual no território e há desperdícios na indústria e na agricultura.

17) Digitalização dos relacionamentos: Relacionar a tecnologia tanto como possibilidade de ampliar os relacionamentos quanto de  fragilização das relações.

18) A internet e a cultura do cancelamento: Lembrar que o cancelamento é motivo por algum preconceito a minorias sociais e, a partir disso, trabalhar um raciocínio sobre educação e respeito ao próximo.

19) Xenofobia estrutural no Brasil: Pesquisar casos de repercussão recentes sobre xenofobia no País e buscar dados estatísticos sobre refugiados e os programas sociais voltados ao público. 

20) Mudanças climáticas: Reforçar a importância dos acordos internacionais para  mudanças climáticas. Pode-se relacionar com a importância da valorização dos povos indígenas e a preservação ambiental.

Fonte:  Portal Nacional da Educação e especialistas consultados.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS