Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Internet ganha uma loja por minuto

| 07/06/2020 15:35 h | Atualizado em 07/06/2020, 15:44

Consumidora faz compras pela internet
Consumidora faz compras pela internet |  Foto: Getty Images/iStockphoto

Uma loja virtual foi aberta por minuto no País desde o início do isolamento social, em março, segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm).

Esse foi o caminho encontrado por muitas empresas para amenizar a súbita queda de faturamento por causa da pandemia, segundo levantamento feito pelo órgão.

De acordo com a Abcomm, em pouco mais de dois meses, foram 107 mil novos estabelecimentos criados na internet para a venda dos mais diferentes produtos. Antes da quarentena, a média de abertura de lojas na internet era de 10 mil estabelecimentos por mês.

A entidade também analisou mais de 40 milhões de pedidos feitos em 4 mil lojas virtuais entre 1ºde março e 23 de maio.

Segundo o estudo, foi notado um expressivo crescimento nas transações diárias, principalmente nas categorias de artigos esportivos, calçados, moda, eletrodomésticos, móveis e decoração e supermercados. Algumas delas registraram aumento de mais de 100% nas vendas online no período.

A categoria de brinquedos, por exemplo, chegou a registrar alta de 434% nas vendas online, na segunda quinzena de março.

A Abcomm também analisou 20 milhões de transações online na área de serviços em 4 mil lojas virtuais, entre 1ºde março e 11 de abril. Foram consideradas transações em aplicativos de entrega, cursos online, jogos online e serviços como hospedagem, ingressos, passagens aéreas e rodoviárias.

Os dados da entidade revelaram que, ao contrário da busca por produtos, o isolamento social não causou grande impacto na busca por serviços. Atividades como turismo e vendas de ingressos despencaram até 67%, como consequência das medidas de isolamento.

A venda de passagens rodoviárias chegou a cair 72% de 29 de março a 11 de abril, enquanto as aéreas tiveram queda de 61% na procura no período. Já aplicativos de entrega chegaram a registrar alta de 51% entre março e abril, enquanto a venda de cursos online subiu 28% e a de jogos, 15%.

Atendimento virtual vira obrigação

Com o crescimento do e-commerce durante a pandemia, as empresas que já investiam no ambiente online estão tendo menos dificuldades para superar o momento de crise, e aquelas que ainda não atuam no setor terão que ter criatividade para competir, de acordo com especialistas.

Segundo o mestre em Economia Empresarial e professor da área de empreendedorismo Adriano Salvador, o segmento vai prosseguir em alta quando a situação se normalizar.

“O crescimento é grande no momento, mas não vai se resumir a esse período. Até mesmo as empresas que estão nascendo agora já estão tendo que avaliar se terão mercado mesmo se o comércio para e os shoppings fecham. Não sabemos quando ocorrerá a próxima pandemia”, destacou o professor.

Segundo ele, aqueles que querem ter sucesso no ambiente online precisam usar a criatividade para atrair o cliente.

“Com tantos negócios surgindo na internet, a concorrência aumenta. Tem que estar preparado. Têm vantagem as empresas que já estavam imersas nas tecnologias digitais. É preciso ter um conteúdo atrativo, despertar o interesse para o produto ou serviço, e também garantir meios para a entrega com os cuidados”, destacou Adriano Salvador.

Dia dos Namorados ajuda

Com a manutenção de medidas de isolamento em muitas cidades do País, uma projeção da Abcomm estima um crescimento de 18% mo movimento do setor de comércio eletrônico com a proximidade do Dia dos Namorados, em relação ao registrado no último ano.

Segundo pesquisa do Opinion Box, pelo menos 57% dos entrevistados pretendem comemorar o Dia dos Namorados, e 67% deles pretendem comprar presentes para a data.

Abcomm e projeta que entre 25 de maio e 12 de junho sejam feitos 9,76 milhões de pedidos com tíquete médio de R$ 303, que levarão o faturamento do setor para R$ 2,96 bilhões.

As categorias que terão produtos mais vendidos por meio da internet serão moda, perfumes, cosméticos, informática, eletrônicos, cestas e flores.

“O Dia dos Namorados é uma das datas mais importantes para o e-commerce, e contribui muito com o volume de vendas apurado durante o ano. O comércio eletrônico deve estar preparado para aproveitar todo o potencial da data”, disse o presidente da ABcomm Maurício Salvador.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS