X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Carne de boi já está mais cara que bacalhau e lagosta

| 12/12/2019 11:00 h | Atualizado em 13/12/2019, 07:05

Leonardo e Rosângela optaram pelo cação após conversa com o atendente Luciano
Leonardo e Rosângela optaram pelo cação após conversa com o atendente Luciano |  Foto: Dayana Souza/ AT
Peixe fresco, tomate, cebola, azeite, urucum e coentro são a base de uma das receitas mais famosas da culinária capixaba, a moqueca. E com os cortes nobres da carne de boi, como a picanha, custando em média R$ 65,90 o quilo, saborear o pescado tem sido uma opção para os consumidores.

A lagosta, que está em período de defeso até fevereiro do próximo ano, pode ser encontrada em algumas peixarias que têm fornecedores de criadouros. O quilo varia de R$ 40 a R$ 49,90.

O bacalhau do tipo Saith pode ser encontrado em alguns supermercados por R$ 29,98 o quilo.

Já o badejo, que é o carro-chefe nos restaurantes que servem a moqueca capixaba, está custando entre R$ 38 e R$ 42,90 o quilo.

“Os peixes mais populares estão sendo os mais procurados. O peroá, a pescadinha, o baiacu e até mesmo o dourado, a venda aumentou bastante”, disse o vendedor de uma peixaria na Enseada do Suá, Luciano Nascimento.

Ele contou ainda que, com a proximidade das festas de fim de ano, as pessoas passam a procurar mais os peixes que podem ser assados tanto na brasa, quanto no forno. Para quem quer variar na ceia, há opções de pescados que custam entre R$ 21,90 e R$ 25,90.

O camarão, que também está no período de defeso até o fim de fevereiro, pode ser encontrado nos estabelecimentos especializados que têm fornecedores do marisco a partir de R$ 25 o quilo já limpo.

Superintendente da Associação Capixaba de Supermercados (Acaps), Hélio Schneider acredita que o preço da carne de boi ainda deve seguir aquecido até o fim de janeiro.

“Chegamos ao pico máximo dos preços da arroba do boi. Mais do que está, só se acontecer alguma coisa. A partir de janeiro e, sobretudo, em fevereiro, entramos na safra do boi, quando a oferta será maior”, explicou.

Já o valor do pescado, de acordo com Schneider, não deve subir tanto. “O peixe é uma opção. Temos peixes que, além de muito saudáveis, podem ser encontrados num preço bem acessível ao consumidor”, destacou.

Segundo o balanço mais recente do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Vitória foi a capital onde houve maior alta no preço da carne, de outubro para novembro: 19,37%.

Churrasco é substituído por moqueca

Em vez do churrasco no fim de semana, uma bela moqueca! Com a carne de boi mais cara, o casal formado pelo microempresário Leonardo Másala, 38 anos, e a telefonista Rosângela Roepke, 33 anos, foi em busca de peixe e camarão.

“Vamos quebrar a rotina, e optamos por fazer uma moqueca mesmo”, disse ele. Após conversar com o atendente Luciano Nascimento, de 47 anos, os dois escolheram levar cação e camarão para fazer o prato mais tradicional da culinária capixaba.

Luciano explicou que o cação tanto pode ser usado para a moqueca quanto pode ser preparado frito. E combina muito bem com o camarão, que pode ser acompanhamento junto ao peixe ou ainda requintar uma moquequinha de banana-da-terra.

Leonardo e Rosângela optaram pelo cação após conversa com o atendente Luciano
Leonardo e Rosângela optaram pelo cação após conversa com o atendente Luciano |  Foto: Dayana Souza/ AT

SAIBA MAIS

Pescados
Badejo

  • O preço do badejo inteiro, que é o carro-chefe no preparo da moqueca capixaba em restaurantes especializados, varia de R$ 38 a R$ 42,90 o quilo.
  • Um peixe de um quilo e meio rende, em média, 800 gramas de carne. Essa quantidade é suficiente para quatro pessoas, considerando 200 gramas de peixe por pessoa.

Bacalhau

  • O bacalhau Saith, em supermercados pesquisados, está custando R$ 29,98 o quilo. Outros tipos do peixe salgado, em peixarias, podem ser encontrados a partir de R$ 45,90 o quilo.

Lagosta

  • O marisco pode ser encontrado em alguns estabelecimentos que compram de criadouros, já que o animal está em período de defeso desde o início do mês até o final de fevereiro. O preço vai de R$ 40 a R$ 49,90 o quilo.

Fontes: Peixarias e supermercados da Grande Vitória pesquisados.

Preço dos ovos também aumenta

O preço do ovo também está mais caro para o consumidor. O percentual varia de 15% a 20%, de acordo com o diretor executivo da Associação dos Avicultores do Espírito Santo (Aves), Nélio Hand. E os motivos são a alta puxada pelo preço da carne de boi, além do aumento nos custos de produção.

“O custo de produção subiu muito nos últimos três meses. A saca de milho e o farelo de soja, que são 70% do custo de produção do ovo e do frango, subiram muitos este ano”, explicou.

Segundo o dirigente da Aves, o preço mais elevado deve se manter aquecido ainda por mais tempo.

“A princípio não existe perspectiva de cair o preço. É uma cadeia de reações. O custo do insumo subiu muito nos últimos tempos, as exportações de milho e soja estão muito altas também. A tendência é que os preços continuem aquecidos”, afirmou.

Avaliação
Uma pesquisa Datafolha feita no início de dezembro mostrou que 52% dos brasileiros avaliam que a inflação subirá nos próximos meses, maior percentual desde o levantamento de agosto de 2018 (54%). Na pesquisa anterior, em de agosto deste ano, 46% afirmaram que a inflação iria subir.

ENTENDA

Preços mais altos
Para 52% dos brasileiros, a inflação vai subir nos próximos meses, apontou o Datafolha. No levantamento anterior, feito em agosto deste ano, esse percentual era de 46%.

O percentual de pessoas que avaliam que a inflação vai cair passou de 20% em agosto para 17% em dezembro. E para 27%, a inflação ficará estável. Eram 30%, em agosto.

Foram realizadas 2.948 entrevistas, nos dias 5 e 6 de dezembro, em 176 municípios.

Desvalorização da moeda
Após seis meses de inflação, ou desvalorização da moeda, de 0,10% ao mês, em média, o índice de preços subiu 0,51% em novembro. Cerca de 40% da alta foi reflexo do aumento da carne de boi. Para dezembro, as expectativas são de um IPCA de 0,70%.

A inflação acumulada em 12 meses continua em níveis historicamente baixos (3,27% até novembro) e deverá fechar 2019 e 2020 abaixo de 4%.

Fonte: DataFolha e Agência FolhaPress.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS