Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Doutor João Responde

Doutor João Responde

Colunista

Dr. João Evangelista

Vermes são hospedeiros nocivos?

Jornal A Tribuna | 29/03/2022, 11:12 11:12 h | Atualizado em 29/03/2022, 11:12

O húmus de minhoca, fertilizante que utilizamos em nossas plantas, mostra a importância dos vermes na natureza.
A infestação por alguns organismos no intestino humano pode gerar doenças graves. Sob condições imunológicas desfavoráveis, Strongyloides stercoralis desencadeia quadros fulminantes. Schistosoma mansoni produz hipertensão portal e varizes esofagianas, com desenlaces sombrios.

Vermes são organismos complexos, bem-adaptados aos seus hospedeiros. Hóspedes sossegados, a maioria deles não provoca sintomas.

Algumas infestações são difíceis de diagnosticar, especialmente quando a carga parasitária é leve. Embora alguns parasitos possam causar doenças graves, isto é incomum.

A maioria dos indivíduos infestados com helmintos não apresenta sintomas que possa ser atribuída aos parasitas. Apenas com infestações severas é que ocorre doença. Vermes bem-adaptados geralmente atuam mais como comensais do que patógenos.

Existe uma atraente hipótese afirmando que a exposição a helmintos forneça alguma proteção contra doenças relacionadas a reações imunes.

Vermes controlam vias imunológicas regulatórias e a erradicação deles prejudica o sistema imunológico. A ideia parece absurda, mas ingerir parasitas auxilia no tratamento de doenças como asma, cardiopatias, colites, entre outras.

O corpo humano tornou-se tão medicado que o seu sistema imunológico vem se mostrando confuso. Diariamente, somos atacados por agentes externos, como a poeira, por exemplo, que têm causado danos autoimunes.

A hipótese do prejuízo provocado pelo excesso de higiene tem crescido na comunidade médica. Crianças que receberam antibióticos têm mais chances de desenvolver asma na infância do que aquelas que não haviam sido tratadas com esses medicamentos. Drogas utilizadas para combater germes nocivos acabam destruindo microrganismos úteis, deixando uma lacuna no sistema imunológico.

Por vivermos em um ambiente altamente higiênico, nosso sistema imune tem reagido de maneira extrema a pequenos antígenos.
Nosso organismo ainda está no mesmo estado evolutivo dos nossos ancestrais. Por isso, ter vermes seria algo positivo para a imunidade. Enquanto doenças epidêmicas, como, por exemplo, a cólera, foi erradicada devido às medidas de higiene, surgiram outras, como as alergias, ligadas ao sistema imune.

A colite ulcerativa, por exemplo, afeta o sistema digestivo, gerando diarreia e dor abdominal. Pesquisas mostram que o maior número dos afetados com essa enfermidade está em países com baixíssimos índices de vermes, o que levou a crer que a presença de parasitos intestinais pode ser útil para o organismo, modulando o trabalho do sistema imunológico.

Apesar disso, continua sendo prudente tratar infestações por helmintos, tendo em vista a falta de dados concretos, além das possíveis complicações geradas por alguns parasitas.

Medicina é a arte das verdades temporárias.

Enquanto o intestino cria vermes, a ciência cria expectativas.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

MATÉRIAS RELACIONADAS