Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Doutor João Responde

Doutor João Responde

Colunista

Dr. João Evangelista

Tutano: o miolo dos ossos

| 16/03/2021, 10:55 10:55 h | Atualizado em 16/03/2021, 10:57

O corpo humano contém milhões de células. Todas elas exercem funções importantes no desenvolvimento do organismo, como, por exemplo, as células-tronco, que são encontradas na medula óssea. Medula significa meio, aquilo que chamamos de tutano.

É importante dizer que mocotó e tutano não significam a mesma coisa. Embora ambos sejam massas que preenchem os ossos dos animais, o tutano é encontrado na perna e o mocotó, na pata, local que possui cartilagem.

A medula óssea, ou tutano, é um tecido líquido gelatinoso que preenche a cavidade interna de vários ossos, fabricando os elementos do sangue, como hemácias, leucócitos e plaquetas. Ela é constituída por um tecido esponjoso localizado no interior dos ossos, especialmente no ilíaco e esterno.

Neste local, o organismo fabrica praticamente todas as células sanguíneas, que são renovadas continuamente. A medula óssea é um tecido de grande atividade, evidenciada pelo grande número de multiplicações celulares.

Quando nascemos, nossos ossos contêm medula capaz de produzir sangue, denominada “medula vermelha”. Com a passagem dos anos, a maior parte dessa medula vai perdendo sua função, sendo substituída por tecido gorduroso que passa a ser chamado de “medula amarela”.

A “vermelha”, rica em hemácias, é responsável pela produção de células sanguíneas, e a “amarela”, rica em tecido adiposo, não produz células sanguíneas.

O “tutano do osso” apresenta inúmeras células-tronco, estruturas com grande capacidade de diferenciação, podendo produzir vários tipos de tecidos. Diante disso, a medula óssea pode ser utilizada em transplantes para o tratamento de diversas doenças, como alguns tipos de leucemia.

Produzidos pela medula óssea, os elementos figurados do sangue apresentam as seguintes funções:

As hemácias ou glóbulos vermelhos são responsáveis pelo transporte de oxigênio no organismo.
Os leucócitos ou glóbulos brancos são células de defesa.
As plaquetas ou trombócitos atuam na coagulação sanguínea e auxiliam na reparação dos vasos sanguíneos, evitando a perda de sangue.

Vale destacar que, além das células sanguíneas, a medula óssea contém células-tronco que podem ser transformadas em qualquer tipo de tecido. Diversos estudos orientam para a utilização dessas células no tratamento de enfermidades, por exemplo, na reposição de tecidos lesionados.

Assim, o transplante é indicado em casos de anemia aplástica, leucemias mieloides e linfoides, mielomas múltiplos, entre outras enfermidades.

O transplante é realizado via substituição de uma medula óssea doente por células normais da medula óssea, de forma a reconstituir uma medula saudável. As células utilizadas no transplante são as células-tronco hematopoiéticas, responsáveis pela produção das células sanguíneas.
Recheados de tutano, os “ninhos” de ossos “chocam” novas células.

Farejando o nutriente que repousa nas entranhas, o cachorro rói o osso em busca da medula. Quanto mais duro é o osso, melhor é o tutano.

MATÉRIAS RELACIONADAS