X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Dançarina capixaba entre as finalistas do Miss Bumbum

A dançarina e influenciadora digital Maya Dhurval, de 33 anos, disputa o título nacional amanhã com mais 14 candidatas

Isabella de Paula, do jornal A Tribuna | 04/08/2022 14:45 h

Maya Dhurval, que já participou de clipes internacionais, tem 105 de quadril
Maya Dhurval, que já participou de clipes internacionais, tem 105 de quadril |  Foto: Divulgação/ Co Assessora
 

A dançarina e influenciadora digital capixaba Maya Dhurval, de 33 anos, é uma das finalistas na edição deste ano do concurso de beleza nacional Miss Bumbum. 

A representante do Espírito Santo, que possui 105 centímetros de quadril, disputa o título nacional amanhã, com mais 14 candidatas, durante evento aberto ao público, em São Paulo.

Entre as concorrentes à faixa junto à capixaba estão as candidatas de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Pernambuco, Santa Catarina, Rio Grande do Norte, Roraima, Piauí, Alagoas, Mato Grosso, Acre, Pará e Paraíba.    

Além da escolha de bumbum mais bonito do Brasil, o júri irá selecionar outras quatro finalistas para os títulos de vice-Miss Bumbum, Bumbum de Bronze, Miss Bumbum Simpatia e, pela primeira vez na história, a faixa de Miss Bumbum Fitness.

Para Maya, estar na final da competição já é considerada uma grande conquista. “Para mim, só de ter entrado no concurso já foi muito gratificante, um encontro comigo mesma. Hoje tenho muito orgulho do meu corpo, recompensa de muito esforço”, comenta.

A musa revela que antes do concurso já trabalhou como dançarina em diversos videoclipes de artistas internacionais. Entre as propostas recentes está a do  rapper norte-americano Wiz Khalifa.

Apesar da grande  expectativa com o título, a influenciadora compartilha que quase desistiu da competição nos últimos dias, após receber o diagnóstico de endometriose profunda. 

“Têm sido dias muitos difíceis. Já perdi dois bebês por complicações de saúde, mas sem saber o motivo. Assim que cheguei ao Brasil, fui hospitalizada devido a fortes dores e hemorragia. Após uma bateria de exames, veio o diagnóstico de endometriose profunda”, revelou.

Mesmo com o novo cenário, a Miss Bumbum Espírito Santo encontra forças no cuidado com a saúde mental para seguir até a final, que acontece amanhã. 

“A minha vitória já foi concretizada!  Para mim, o concurso vai muito além do   título, ele abre portar para conhecermos pessoas e ligares novos, termos novas experiências”, observou.

“Vi muita coisa triste acontecendo”

A Tribuna: Você nasceu em Vitória?

Maya Dhurval: Sim! Eu nasci em Vitória, mas cresci em um bairro complicado de Vila Velha até os 17 anos, vi muita coisa triste acontecendo nas ruas de lá. 

Quando foi morar fora? 

Aos 17 anos,  mudei para Portugal com o meu ex-marido, que conheci aos 13 anos. Desde o meu  divórcio, moro na Inglaterra.

O que essa mudança trouxe para você? 

Ir embora do Brasil fez toda  diferença na minha trajetória. Se eu não tivesse ido, não teria as oportunidades que tenho hoje. 

Como entrou para o universo do Miss Bumbum? 

Já participei de alguns concursos de beleza aqui fora. O  Miss Bumbum, na verdade, partiu de incentivo do meu melhor amigo, que mora comigo. Ele e minhas amigas me motivaram na inscrição. E deu certo! Hoje, represento o Espírito Santo na competição, como finalista.

O que a competição significa para você? 

Muito além do título, a competição é uma grande oportunidade de novas conquistas. Ela abre portas para  conhecer pessoas e ter muitas experiências. Sou  grata por ter chegado até aqui!

Para você, a beleza física é o que mais importa?

Acredito que não! Para mim, beleza  tem relação com o estar bem consigo mesma. Estar bonita por fora é reflexo de estar bonita por dentro. É um equilíbrio entre o físico e mental, que precisamos trabalhar conjuntamente.

Qual a mensagem que você quer passar como finalista do concurso?

O meu propósito é mudar a forma como as mulheres  são vistas na sociedade, como um objeto.  Nós somos capazes de conquistar muitas coisas, o importante é manter o foco no que você quer. 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS