Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

AT em Família

AT em Família

Colunista

Crianças também podem ter glaucoma. Veja os sintomas

A oftalmologista Karla Campana alerta que a doença, que atinge 1 em cada 10 mil bebês, é um dos principais motivos de cegueira na infância

Marcela Delatorre, do jornal A Tribuna | 15/11/2021, 14:27 14:27 h | Atualizado em 15/11/2021, 14:38

É comum pensar no glaucoma como uma doença ocular que atinge apenas adultos e idosos. Mas o problema também pode afetar crianças e até bebês, tanto que o glaucoma infantil é um dos principais motivos da cegueira na infância. 

Quando descoberto precocemente há grandes chances de tratamento e controle da doença. Mas, na maioria dos casos,   pais e responsáveis deixam os sintomas passarem despercebidos, o que pode  acabar resultando na cegueira total do paciente.

Em pesquisas realizadas pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia, a cada 10 mil bebês pelo menos um é portador de glaucoma congênito. Por isso é  importante que os pais fiquem atentos a cada sinal  diferente.  

Segundo a oftalmologista especialista em glaucoma Karla Campana, o glaucoma infantil se manifesta nos primeiros meses ou anos de vida. 

“Geralmente é causado por uma má-formação ou desenvolvimento incompleto do sistema de drenagem do olho e pelo   aumento da pressão por acúmulo de líquido intraocular. Os principais sintomas são lacrimejamento, vermelhidão ocular e fotofobia”, explica a médica.

O aumento dos níveis da pressão intraocular provoca sérias lesões no nervo óptico, que é responsável por encaminhar informações nervosas ao cérebro. Se não controlado, a visão da criança acaba sendo comprometida rapidamente. 

Em entrevista ao AT em Família, a médica citou os principais sinais aos quais os pais e responsáveis devem ficar atentos.

A médica Karla Campana diz que 10% dos glaucomas infantis são hereditários
A médica Karla Campana diz que 10% dos glaucomas infantis são hereditários |  Foto: Divulgação
 

AT EM FAMÍLIA – O que é o glaucoma?

KARLA CAMPANA – O glaucoma é um dano óptico progressivo caracterizado pela perda das  fibras do nervo óptico, que é o responsável pela condução da imagem até o cérebro e cujo principal fator de risco é o aumento da pressão dentro do olho.

O que diferencia o glaucoma infantil do glaucoma em adultos?

O glaucoma infantil se manifesta nos primeiros meses ou anos de vida e geralmente é causado por uma má-formação ou desenvolvimento incompleto do sistema de drenagem do olho e  pelo aumento da pressão por acúmulo de líquido intraocular. 

Já o glaucoma de ângulo aberto,  que é o mais comum nos adultos, se manifesta após os 40 anos e se caracteriza por um olho anatomicamente normal, que perde progressivamente a capacidade de drenar adequadamente o líquido intraocular com consequente aumento da pressão.

Quais os tipos de glaucoma infantil? 

O glaucoma na infância se diferencia pelo momento de início dos sintomas. Então podemos dividi-lo em duas categorias:

Primeiro temos o glaucoma congênito primário, que aparece até o terceiro ano de vida e se subdivide em: neonatal, quando tem início no primeiro mês de vida; infantil, quando tem início entre o 1° mês e 24 meses de vida; além do infantil tardio, que tem início após 24 meses de vida.

Em seguida temos o glaucoma juvenil, que aparece após os três anos de idade.

Quais os principais sintomas do glaucoma?

Os principais sintomas do glaucoma congênito primário são lacrimejamento, vermelhidão ocular, fotofobia, aumento do globo ocular e córnea esbranquiçada. 

Já o juvenil se manifesta por perda progressiva da visão e do campo visual.

Quais as consequências se a doença não for tratada?

O glaucoma infantil está entre as cinco principais causas de cegueira ou baixa irreversível da visão na primeira infância.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito durante a consulta oftalmológica de rotina e de exames complementares, que em crianças muito pequenas são feitos sob sedação.

O glaucoma infantil é hereditário?

Apenas 10% dos glaucomas infantis são hereditários. Na maioria das vezes, ele acontece por uma má-formação intraocular.


SAIBA MAIS

Incidência de casos

  • O glaucoma pediátrico é raro, ocorrendo aproximadamente numa taxa de 1 em 10 mil nascimentos.
  • Se uma criança tiver feito cirurgia de catarata, ou tiver certas doenças, a chance de desenvolver glaucoma aumenta.
  • 10% dos casos de glaucoma congênito são herdados. Assim, quando há casos  na família, recomenda-se aconselhamento genético.
  • O glaucoma primário infantil é um defeito congênito raro que impede que o líquido seja drenado de maneira apropriada da parte frontal do olho.
  • Esse bloqueio aumenta a pressão intraocular, o que, se não for tratado, danifica o nervo óptico e pode causar cegueira completa.
  • A doença ocorre em bebês e crianças pequenas e pode afetar somente um olho (40% dos casos) ou ambos os olhos (60%).
  • Se a doença não for tratada, a criança pode perder a visão.
  • Para impedir  complicações, os médicos realizam um procedimento cirúrgico para criar um novo sistema de drenagem (goniotomia e trabeculectomia) assim que possível.

MATÉRIAS RELACIONADAS