Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

AT em Família

AT em Família

Colunista

Cabelos novos na quarentena

| 15/06/2020, 09:13 09:13 h | Atualizado em 15/06/2020, 09:47

Juliana Sarmento começou a alisar os cabelos há seis anos, mas decidiu ter os cachos de volta
Juliana Sarmento começou a alisar os cabelos há seis anos, mas decidiu ter os cachos de volta |  Foto: Fábio Nunes/ AT
Por Maraiza Silva, do jornal A Tribuna

Basta uma “voltinha” nas ruas ou pelas redes sociais para perceber que muitas mulheres estão aproveitando a quarentena imposta pela pandemia do novo coronavírus para decretar o fim da escravidão com as madeixas.

Como ficou mais difícil ir aos salões de beleza e a população está saindo menos de casa, a mulherada que recorre a alisamentos, apliques e colorações vem aproveitando a temporada para mudar o visual. Agora, o que mais se vê por aí são mulheres mostrando as raízes dos cabelos cacheados, brancos ou descoloridos.

Para a terapeuta capilar naturalista Paula Breder, a transição capilar vai além da estética. “Ter duas texturas ou cores de cabelo, esperar o crescimento e não saber se usa preso ou solto é complicado, mas é útil. A transição é um rompimento. Assim, requer paciência, dedicação e muito amor próprio”.

Já a tricologista e terapeuta capilar Camila Zanoni deu dicas para quem quer enfrentar a transição com mais tranquilidade.

“Produtos com glicerina e lanolina auxiliam a melhorar a textura do cabelo. Sobre os xampus, é importante evitar produtos com alta detergência para não ressecar”.

O farmacêutico da Ervas Naturais Kaio Bauer acrescentou que existem duas maneiras de passar pela transição capilar. “Cortar toda a extensão do cabelo para retirar a química de uma vez ou adotar técnicas de texturização que podem ajudar nesse processo”.

Antes mesmo do confinamento, a biomédica e ozonioterapeuta Juliana Pedrosa Sarmento, de 25 anos, já havia decidido parar de alisar os cabelos.

“Comecei a alisar o cabelo há seis anos. Era mais fácil de cuidar na correria do dia a dia e da faculdade. Agora, estou conseguindo meus cachos de volta, com os produtos certos. Cortei um pouco o cabelo para eliminar o liso e estou me sentindo maravilhosa”.

Momento de libertação!

A terapeuta capilar Dayana Machado Magalhães
A terapeuta capilar Dayana Machado Magalhães |  Foto: Acervo pessoal
Cansada de químicas

A terapeuta capilar Dayana Machado Magalhães, de 35 anos, também resolveu assumir os cachos de uma vez.

Ela tomou a decisão depois de ter passado por um corte químico, quando o cabelo quebra por rejeitar algum ativo do produto.

“Desde então eu disse: chega! Uso os produtos para modelar meus cachos e estou gostando”.

Processo inicial
A jornalista Fernanda Gomes, de 31 anos, nem se lembra mais de como era antes de começar a alisar os cabelos, há 13 anos.

Ela contou que decidiu romper os padrões e ser quem realmente ela é.

“Tenho mais maturidade para entender e aceitar o meu cabelo como ele é. Uso os produtos adequados e adotei uma rotina de cuidados. Quando estiver

A jornalista Fernanda Gomes
A jornalista Fernanda Gomes |  Foto: Acervo pessoal
mais seguro, vou ao salão cortar um pouco”.

Como enfrentar

Corte

  • “Big Chop” é o mais radical. Consiste no corte de toda a parte do cabelo que esteja alisado com química para começar de uma só vez a transformação. O mesmo vale para quem quer a coloração natural do cabelo.
  • Outra alternativa, ideal para quem quer ir com mais calma, é ir cortando os fios pouco a pouco.

Hidratação

  • Manter uma rotina de hidratação capilar é fundamental para ter uma transição mais tranquila porque ajuda a controlar o volume dos fios e mantê-los sedosos e brilhosos.

Nada de secador!

  • Evitar secador, chapinha e babyliss. A alta temperatura desses equipamentos tende a deixar os cabelos ressecados, mais frágeis, com facilidade à quebra e frizz. Alisar os cachos que estão crescendo faz com que, com o tempo, eles percam a forma e não ganhem a mesma definição.

Textura

  • Existem produtos específicos para ajudar a deixar a parte com química do cabelo mais ondulada e também penteados que podem ser feitos com kits de bobs e rolinhos.

Fonte: Roberta Gomes, tricologista da Hair & Spa Concept Vitória.

MATÉRIAS RELACIONADAS