search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Baço, um órgão pouco lembrado
Doutor João Responde

Baço, um órgão pouco lembrado

A designação desse órgão abdominal originou-se pelo fato dele ser embaçado, não se deixando ser atravessado pela luz.

O baço sempre constituiu um desafio à curiosidade dos investigadores que buscavam compreender a sua função no organismo.

Hipócrates atribuía-lhe propriedade de produzir “bile negra”, um dos quatro humores do corpo, de cujo equilíbrio dependeria a saúde. O excesso de “bile negra” seria responsável pela melancolia, em que “melanos” significa negro e “colia” quer dizer bile.

Poucos órgãos do corpo humano são tão desconhecidos da maioria das pessoas como o baço. Isso acontece pelo seu porte diminuto, ou pelo fato de que ele seja uma estrutura que, eventualmente, em determinadas situações, precise ser retirada do corpo, sem que isso implique de forma grave à saúde do indivíduo, embora sua remoção possa torná-lo mais vulnerável às infecções.

Apesar de não ser considerado um órgão endócrino, pois não produz secreções, o baço é responsável pela liberação de hormônios que afetam a produção dos glóbulos vermelhos, na medula óssea.

Durante o período fetal, o baço também é responsável pela fabricação de leucócitos, que são células de defesa imunológica.

Quando nascemos, essa função desaparece, mas pode ser reativada em determinadas situações, como quando surge uma enfermidade que comprometa essa produção por parte da medula óssea.

O baço é uma das partes do sistema linfático e vascular, tendo a peculiaridade de eliminar micro-organismos patogênicos, assim como de destruir hemácias anômalas, que estão alteradas ou envelhecidas. Além disso, o órgão extrai o ferro dos glóbulos vermelhos para ser aproveitado pelo organismo.

De maneira geral, as funções do baço, como parte do sistema imunológico, referem-se ao seu funcionamento como um filtro e um reservatório de sangue.
Nos seres humanos, ele aparece como depósito de grandes quantidades das células do sistema imunológico, conhecidas como monócitos e de outras células sanguíneas.

O baço é acionado quando o organismo entra em processo de hemorragia. Ele também produz anticorpos contra vários tipos de células do sangue e micro-organismos infecciosos.

A principal função do baço é a de filtrar o sangue. Justamente porque o sangue o perpassa, é que lá são verificadas as condições dos glóbulos vermelhos.

Neste local, hemácias velhas, deformadas ou danificadas são removidas. Ao final do processo, as hemácias saudáveis são divididas por grandes glóbulos brancos chamados macrófagos. É a partir daí, que o baço assimila elementos úteis, como o ferro, por exemplo.

O baço é capaz de liberar sangue de reserva, que se encontra armazenado em seus vasos, em caso de ocorrência de sérios danos ao corpo, como acontece nos ataques cardíacos, lesões profundas e invasões microbianas. É nesse momento que os monócitos serão imprescindíveis.

Depois de se banhar no discreto baço, o sangue retorna para o eloquente coração, onde volta a se lambuzar de vida.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

Não existe vida sem proteína

O principal alimento do corpo é a proteína. Além dos animais, isso acontece também com as plantas. Adubação com nitrogênio, potássio e fósforo vem garantindo que “Araketu”, o pé de araçaúna que …


Exclusivo
Doutor João Responde

A memória eterniza o tempo

O passado é o presente que sobreviveu na memória humana. O cérebro executa atividades para adquirir, armazenar, reter e recuperar informações. A memória é parte integrante da cognição humana, …


Exclusivo
Doutor João Responde

Vacina contra o vício da cocaína

Estamos vivendo de uma perversa “pandemia” de drogas, em que milhares de pessoas abandonam esperanças e se agarram em ilusões. Um dos mais perigosos “patógenos”, destruidor de mentes e de corpos, é a …


Exclusivo
Doutor João Responde

Tipos de imunização

Nosso organismo é sistematicamente bombardeado por substâncias estranhas. Alguns desses antígenos são capazes de desencadear resposta imune, ou seja, a produção de anticorpos que defenderão o corpo …


Exclusivo
Doutor João Responde

Regulação da glicose no sangue

A regulação da glicose no sangue depende basicamente de dois hormônios: glucagon e insulina. A ação do glucagon é estimular a produção de glicose pelo fígado, e a da insulina é bloquear essa …


Exclusivo
Doutor João Responde

Atitudes contra a sobrevivência

Mesmo neste momento dramático da pandemia, com recorde de casos e de mortes diárias e num estágio em que quase todo mundo conhece alguém que morreu por causa da doença, proliferam comportamentos que …


Exclusivo
Doutor João Responde

A tortura da coluna travada

Estima-se que uma expressiva quantidade de pessoas tenha ao menos um episódio de dor na coluna, ao longo da vida. Em alguns casos, ela surge de forma tão intensa que deixa o indivíduo impossibilitado …


Exclusivo
Doutor João Responde

Perda de olfato

Anosmia é uma condição que corresponde à perda total ou parcial do olfato. Essa alteração pode estar relacionada com situações temporárias, como acontece durante uma gripe ou resfriado. Pode …


Exclusivo
Doutor João Responde

Efeito rebote de medicamento

Do mesmo jeito que uma bola volta a saltar quando a jogamos, os sintomas de uma doença podem reaparecer quando cessa o efeito daquilo que inicialmente a aliviou. Essa reversão da resposta, após a …


Exclusivo
Doutor João Responde

A sede lembra o valor da água

O ser humano não vive sem oxigênio, água ou alimento. Quando um destes falta ou escasseia, sua sobrevivência fica seriamente ameaçada. Nosso organismo não consegue ultrapassar quatro minutos sem …