search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Ação na Justiça para se aposentar em menos tempo

Notícias

Publicidade | Anuncie

Economia

Ação na Justiça para se aposentar em menos tempo


Benício lamentou que demora é maior para a população mais humilde (Foto: Fernando Ribeiro — 26/05/2019)
Benício lamentou que demora é maior para a população mais humilde (Foto: Fernando Ribeiro — 26/05/2019)

Ter o pedido de aposentadoria analisado dentro do prazo legal é o que todos os segurados esperam quando procuram o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Porém, esta não é a realidade para a maioria dos que buscam a concessão do benefício.

As longas filas de espera fazem com que muitas pessoas recorram à Justiça para que o Instituto cumpra com o direito. Só no Estado, no ano passado, cerca de 1.500 segurados acabaram recorrendo aos tribunais, seja por atrasos na análise do pedido, ou por negativas do Instituto. A estimativa é de advogados previdenciaristas.

O prazo definido em lei para que o INSS analise um benefício é de 45 dias, mas foi estendido para até 90 dias devido a um acordo entre Ministério Público Federal e a Defensoria Pública da União.

O acordo prevê que todos os prazos não devem ultrapassar 90 dias e podem variar conforme a espécie e o grau de complexidade.

A diretora do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), Maria Regina Couto Uliana, explicou que a partir do primeiro dia do fim do prazo legal e sem uma resposta do INSS, é possível recorrer a um mandado de segurança por meio de um advogado.

“O prazo para pedir o mandado de segurança é de 120 dias após ter o direito lesado. Mas no caso do INSS, a cada dia que passa sem resposta, esse prazo se renova”.

O advogado previdenciarista Geraldo Benício, afirmou que, em alguns casos, a pessoa pode demorar para entrar na Justiça. “O tempo que a pessoa espera antes de entrar na Justiça depende de cada segurado. Quem é mais humilde e muitas vezes não pode contratar um advogado tende a demorar um pouco mais para entrar com processo”.

Ele ressaltou que o mandado de segurança não é a única opção. “Existem outras possibilidades, como um pedido liminar de tutela antecipada numa ação ordinária. Tem o mesmo objetivo do mandado, que é fazer o INSS conceder o benefício pleiteado”, explicou.

O advogado previdenciarista Gabriel de Paula lembrou que é preciso analisar se o cliente tem direito à gratuidade da Justiça. “Na primeira instância não tem custas. Se o cidadão precisar pagar as custas para recorrer, e ganhar o processo, o INSS deve reembolsar”, disse o especialista.

Mais atraso com benefício especial

Entre os tipos de aposentadoria que mais demoram para serem analisados pelo INSS, está a especial por insalubridade. Esta acontece quando o segurado trabalhou com agentes nocivos à saúde (físicos, químicos ou biológicos) acima dos limites considerados legais.

Segundo a advogada previdenciarista Tamires Freitas dos Santos, para conseguir esta aposentadoria são necessários mais documentos comprobatórios.

“É indispensável o Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), um formulário fornecido pela empresa para os trabalhadores que atuam com exposição permanente a agentes nocivos”, explicou.

Estes documentos, muitas vezes, criam confusão na hora do preenchimento. “Não raramente ele é feito de forma errada e por isso o atraso com as aposentadorias especiais. As pessoas acabam preenchendo de qualquer jeito”, destacou o advogado Geraldo Benício.

O INSS não respondeu os questionamentos sobre a demora na análise de pedidos de benefícios.


Mandado de segurança a partir do 1º dia


Fachada da sede do INSS em Brasília: número de processos aumentou por causa da pandemia, dizem especialistas (Foto: Divulgação)
Fachada da sede do INSS em Brasília: número de processos aumentou por causa da pandemia, dizem especialistas (Foto: Divulgação)

Prazos legais

  • O prazo legal para o INSS se manifestar sobre um requerimento é de 45 dias.
  • Porém, um acordo homologado pelo STF ampliou para 90 dias o prazo para análise de processos de quase todos os tipos de aposentadorias, exceto aquelas provocadas por invalidez, que permanecem com o prazo original.

Ação

  • A partir do primeiro dia de atraso no retorno do INSS, é possível entrar com uma ação solicitando um mandado de segurança à Justiça.
  • Mandado de Segurança é uma espécie de ação judicial que visa garantir que direitos não sejam violados por entidades públicas.
  • É uma ação garantida pela própria Constituição Federal, assim como habeas data o habeas corpus.
  • A partir da violação de um direito, o cidadão tem 120 dias para solicitar um mandado de segurança à Justiça, para que ela determine ao ente público - como o INSS - que cumpra um direito determinado e atenda ao cidadão.
  • O mandado de segurança precisa ser ajuizado por um advogado, que terá que comprovar, na ação, que houve violação de direitos.

Comprovação

  • Para ingressar com a ação e tentar obter um benefício em atraso, é preciso reunir provas como o comprovante da entrada do requerimento administrativo no INSS; atestados de saúde que comprovem algum tipo de doença que pode prejudicar o tratamento caso haja demora no pagamento ou análise da aposentadoria; comprovantes de que há uma situação de fragilidade econômica na demora no pagamento ou análise da aposentadoria, entre outras comprovações.

Julgamento

  • A ação será julgada por um juiz federal, que poderá acatar o pedido e determinar o deferimento do benfício em caráter liminar.
  • O requerente pode solicitar que o INSS custeie os honorários do advogado na mesma ação.

Fonte: Especialistas consultados.
 

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados