search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Efeito rebote de medicamento
Doutor João Responde

Efeito rebote de medicamento

Do mesmo jeito que uma bola volta a saltar quando a jogamos, os sintomas de uma doença podem reaparecer quando cessa o efeito daquilo que inicialmente a aliviou. Essa reversão da resposta, após a retirada de um estímulo, é denominada rebote.

Conhecida também como “reação paradoxal” do organismo, uma das ironias deste fenômeno é que faz os pacientes experimentarem os mesmos efeitos que esperavam fazer desaparecer, usando fármacos com ação oposta ou contrária às manifestações sintomáticas ou fisiológicas das doenças.

Como os medicamentos atuam de forma contrária ou paliativa aos sintomas das doenças, o efeito rebote é o resultado das tentativas automáticas do organismo para retornar ao seu estado de equilíbrio, alterado pelos efeitos primários das drogas.

Os seres vivos mantêm a constância do meio interno através de ajustes próprios nos processos fisiológicos. Esses mecanismos homeostáticos estão presentes em todos os níveis da organização biológica, desde os simples mecanismos celulares até as complexas funções psíquicas.

Acredita-se que o efeito rebote seja causado pela alteração na regulação ou na capacidade de resposta dos receptores fisiológicos envolvidos no mecanismo de ação da droga.

De acordo às evidências experimentais, essa reação ocorre em intervalos variáveis após a descontinuação parcial ou completa da droga, apresentando intensidade maior do que os sintomas originalmente suprimidos pelo remédio.

Drogas utilizadas no controle da hipertensão arterial podem despertar hipertensão arterial rebote, após cessar o efeito biológico primário.

Fármacos com ação antiácida, como antagonistas do receptor H2, sucralfato, misoprostol, inibidores das bombas de próton, dentre outros, podem despertar aumento rebote na produção de ácido clorídrico e gastrina, com piora do quadro original.

Inúmeros estudos confirmam a ocorrência de bronco-constrição após a descontinuação parcial ou completa de drogas bronco-dilatadoras, com aumento da reatividade brônquica e piora da asma.

Frequentemente surgem casos de piora dos sintomas depressivos após a descontinuação de antidepressivos, relacionando essa resposta à diminuição rebote dos níveis de serotonina.

Vários trabalhos alertam para os comportamentos suicidas manifestados em usuários de antidepressivos, evento adverso que pode ser explicado pelo efeito rebote.

Sendo um mecanismo do organismo no sentido de preservar a constância do meio interno, o efeito rebote poderá ocorrer com todas as classes de drogas. Em vista da relevância do fenômeno, essas reações paradoxais podem causar eventos adversos graves ou fatais.

Apesar de se manifestar em uma minoria de indivíduos, assume importância epidemiológica quando considerado o grande consumo de medicamentos pela população.

Uma maneira de evitar o efeito rebote é retirar a droga lentamente, pois a interrupção abrupta pode desencadear reação paradoxal.

Saúde é uma questão de equilíbrio entre dois opostos.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

A tortura da coluna travada

Estima-se que uma expressiva quantidade de pessoas tenha ao menos um episódio de dor na coluna, ao longo da vida. Em alguns casos, ela surge de forma tão intensa que deixa o indivíduo impossibilitado …


Exclusivo
Doutor João Responde

Perda de olfato

Anosmia é uma condição que corresponde à perda total ou parcial do olfato. Essa alteração pode estar relacionada com situações temporárias, como acontece durante uma gripe ou resfriado. Pode …


Exclusivo
Doutor João Responde

A sede lembra o valor da água

O ser humano não vive sem oxigênio, água ou alimento. Quando um destes falta ou escasseia, sua sobrevivência fica seriamente ameaçada. Nosso organismo não consegue ultrapassar quatro minutos sem …


Exclusivo
Doutor João Responde

Alívio da dor oncológica

De todos os sintomas que o paciente com câncer apresenta, a dor é sempre o mais temido. O sofrimento dessas pessoas é resultado da interação da percepção dolorosa associada à incapacidade física, ao …


Exclusivo
Doutor João Responde

Tutano: o miolo dos ossos

O corpo humano contém milhões de células. Todas elas exercem funções importantes no desenvolvimento do organismo, como, por exemplo, as células-tronco, que são encontradas na medula óssea. Medula …


Exclusivo
Doutor João Responde

Síndrome de Down e a ternura

O impacto do diagnóstico de um bebê com síndrome de Down pode trazer à tona sentimentos de medo, culpa, tristeza, vergonha e insegurança. Cada pessoa tem uma forma peculiar de lidar com esses …


Exclusivo
Doutor João Responde

Sono ninado pela melatonina

Diante do cansaço mental, as concentrações de oxigênio vão diminuindo no cérebro. Para compensar, o indivíduo começa bocejar, evidenciando vontade de dormir. Durante o sono, o sistema imunológic…


Exclusivo
Doutor João Responde

Valioso hemograma completo

Quando o médico solicita uma coleta de sangue, ele precisa dizer para o laboratório o que pretende que seja analisado na amostra enviada. Caso queira saber como andam os níveis de colesterol ou …


Exclusivo
Doutor João Responde

Relato sobre minha vacinação

A expectativa de ser vacinado contra a Covid-19 mexeu com meu sono. Assim que amanheceu, corri para o consultório visando adiantar o atendimento aos meus pacientes, já que o horário agendado para o …


Exclusivo
Doutor João Responde

Covid e o sistema imunológico

Nossas defesas desempenham um papel vital na luta contra a Covid-19. O sistema imunológico nos protege desse indesejado intruso. Mas, às vezes, este guardião se volta contra o próprio corpo. O …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados