search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Doenças podem comprometer o funcionamento da tireoide
Doutor João Responde

Doenças podem comprometer o funcionamento da tireoide

A glândula tireoide lembra uma borboleta, com seu corpo esguio agarrando-se à parte inferior da cartilagem tireoidiana, que está sobre a laringe, enquanto as asas, os dois lobos da glândula, estão dispostas de ambos os lados da traqueia.

Sua função consiste na produção de hormônio do metabolismo, aumentando a vitalidade de forma mais duradoura que os hormônios adrenalina e noradrenalina, de ação rápida, produzidos pelas glândulas suprarrenais.

Além do sistema circulatório, a tireoide também estimulada funções respiratórias e digestivas, a atividade nervosa e a excitabilidade muscular, o estado de alerta e a velocidade de raciocínio.

Essa glândula também desempenha um papel decisivo nos mecanismos de crescimento. No processo de evolução, a tireoide permitiu a passagem da água para a terra.

Apelidada como “glândula da criação”, essa estrutura conserva uma relação com o mar por meio do iodo, presente nos oceanos, a partir do qual ela produz seus hormônios. Quando os seres humanos afastam-se muito do mar, passam a ter problemas de tireoide.

Várias doenças podem comprometer o funcionamento da tireoide.

Algumas delas aumentam sua atividade, enquanto outras diminuem, como ocorre na tireoidite de Hashimoto, doença autoimune na qual o sistema imunológico ataca as células da tireoide, gerando inflamação, resultando em hipertireoidismo e posterior hipotireoidismo.

Na maioria das vezes, a enfermidade começa com aumento indolor da tireoide e, por isso, pode ser identificada apenas durante um exame de rotina; mas em outros casos, a tireoidite pode provocar uma sensação de bola no pescoço, que não causa nenhuma dor à palpação.

Aumento de peso, cansaço excessivo, depressão, cefaleia, lapso de memória, prisão de ventre, baixa tolerância ao frio, dores musculares e articulares, inchaço no local da tireoide, palidez, cabelo e unhas fracos são algumas manifestações produzidas pela tireoidite de Hashimoto.

O diagnóstico depende da história clínica e do exame físico, que em geral evidenciam uma glândula aumentada, bem como da avaliação laboratorial, através de dosagens do TSH, T4 livre e pesquisa de anticorpos antiperoxidase, antimicrossomal e antitireoglobulina.

Alguns exames de imagem do pescoço, como ultrassonografia e tomografia, ajudarão a conhecer as características da tireoide. Caso ela já esteja apresentando diminuição de suas funções, o tratamento, que consiste apenas em combater o efeito que a doença provoca, deve ser iniciado.

Quando o corpo expressa imperiosos sinais de alarme, devemos sempre buscar as causas. Os sinais do organismo jamais devem ser ignorados.

Enquanto isso, podemos subjugar os sintomas com medicamentos. Nossa saúde já se sentiria gratificada se tratássemos o corpo de maneira tão consciente como sempre fazemos com qualquer outra máquina.

Para compreender as sutilezas do organismo, devemos adubar a mente com intuição. A tradução dos sintomas lança luz sobre o procedimento.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

Como não enjoar navegando no mar

Minha pergunta é bastante objetiva, expôs um paciente ao entrar no meu consultório: Existe algo que eu possa fazer para evitar o vexame de correr em direção à amurada da embarcação e “deitar cargas …


Exclusivo
Doutor João Responde

Doença como forma de protesto

Quando aquele casal entrou no consultório, eu não imaginava que os sintomas, descritos por ambos, revelavam uma linguagem cifrada para um se queixar do outro. Mal iniciei a consulta do marido, a …


Exclusivo
Doutor João Responde

“Não posso ficar doente, doutor!”

Há mais de três décadas, eu venho observando os olhares aflitos de alguns doentes, quando confrontados com a realidade da doença. Adoecer significa sair da ativa, tendo em vista que “paciente” quer …


Exclusivo
Doutor João Responde

Fadiga pode ser preguiça ou doença

Minha paciente esteve recentemente em outro médico, queixando-se de vários sintomas, tais como, calafrios, irritabilidade, fraqueza, tontura, dor de cabeça e, principalmente, cansaço que persiste o …


Exclusivo
Doutor João Responde

Quando o estresse vira veneno

Brotam preocupações nos semblantes das pessoas que aguardam na recepção daquele hospital. Na sala ao lado, uma mulher grita. De dentro dela, um médico puxa um neném todo sujo e amassado. Após levar …


Exclusivo
Doutor João Responde

Tenho medo de infartar de novo

Vítimas de infarto costumam temer o retorno da doença. É comum esse tipo de paciente confundir seus sintomas, acreditando que dores e desconfortos sejam sinais de um novo ataque cardíaco. Atendi …


Exclusivo
Doutor João Responde

Tenho angústia ou ansiedade?

Acompanhada pelo marido, visivelmente inquieta, a paciente mal sentou e foi logo dizendo: “Doutor, eu ando muito nervosa e tudo me incomoda. Estou tendo dificuldade de dormir e vivo com dor de …


Exclusivo
Doutor João Responde

Será que tenho mau hálito?

Bom dia! Em que posso ajudá-los? Dessa maneira iniciei a consulta daquela senhora, acompanhada pelo engraçado marido. “Doutor, meu esposo anda com brincadeiras sem graça, por causa do meu hálito. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Causas de hemorroidas

Hemorroidas têm atormentado o homem desde tempos imemoriais, quando este tomou a postura ereta, uma vez que essa enfermidade só é encontrada na espécie humana. Existem referências dessa …


Exclusivo
Doutor João Responde

Muitos gênios da humanidade foram disléxicos

Os primeiros profissionais que se interessaram pelos distúrbios da linguagem foram os oftalmologistas, afirmando não serem os olhos que leem, mas o cérebro. É importante lembrar que o indivíduo …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados