X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Esportes

Federação Paulista divulga análise do VAR em pênalti de Palmeiras x Santos na final do Estadual


A Federação Paulista de Futebol (FPF) divulgou nesta terça-feira o áudio da análise do VAR no pênalti polêmico a favor do Palmeiras diante do Santos na final do Campeonato Paulista. O time alviverde venceu a equipe da Baixada Santista por 2 a 0, e o gol que abriu o placar foi originado pela penalidade.

Aos 26 minutos do primeiro tempo, Endrick caiu na área após encontrão com João Paulo. No momento do lance, o árbitro Raphael Claus mandou seguir, mas o VAR recomendou revisão. Claus foi ao monitor e marcou pênalti para o Palmeiras. "O goleiro não toca na bola e atinge o jogador que tinha possibilidade de buscar essa bola. Para mim, é penal", disse o árbitro responsável pelo VAR, Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral.

O árbitro do VAR comunicou a Claus que o lance estava em checagem. Depois de ouvir o apito, pede para o árbitro em campo "segurar", ou seja, não autorizar o reinício do jogo. Quando Claus foi ao monitor, Guarizo reforçou a opinião: "O goleiro tenta proteger a bola, mas calça ele (Endrick). O goleiro não consegue jogar a bola", afirmou ele. Em seguida, Claus toma a decisão: "Pênalti sem cartão".

O presidente do Santos, Marcelo Teixeira, reclamou que o árbitro teria autorizado o reinício da partida e que, portanto, o pênalti não poderia ter sido marcado. "É estranho, pois quando o VAR chama, o próprio Claus dá sinal de seguir o jogo. O João Paulo quase bateu o tiro de meta", disse Teixeira em entrevista pós-jogo.

O técnico Fábio Carille também questionou a intervenção do árbitro de vídeo. "Tem as informações de que, no primeiro gol, a bola estava rolando. Aí o senhor VAR nunca trabalha. Estranho isso, deixa dúvidas ainda", afirmou o treinador.

O Santos fez 1 a 0 no Palmeiras no primeiro jogo da final e poderia perder por até um gol de diferença na partida da volta, o que levaria a decisão para as penalidades máximas. No confronto no Allianz Parque, Raphael Veiga abriu o placar e Aníbal Moreno ampliou, e a vitória e o tri do Campeonato Paulista ficaram com o time alviverde.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: