Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pedro Barros dá terceira medalha de prata ao Brasil no skate em Tóquio

| 05/08/2021 07:33 h | Atualizado em 05/08/2021, 07:38

O último dia de competições do skate nas Olimpíadas de Tóquio deu ao Brasil sua terceira medalha no esporte. Nesta quinta-feira (5), Pedro Barros conquistou a prata na modalidade park. Luiz Francisco e Pedro Quintas, que também avançaram para a final com boas chances, terminaram fora do pódio.

Pedro Barros dá terceira medalha de prata ao Brasil no skate em Tóquio
Pedro Barros dá terceira medalha de prata ao Brasil no skate em Tóquio |  Foto: Gaspar Nóbrega/COB

Na melhor de suas três voltas da final, o catarinense de 26 anos obteve 86.14 pontos. Só ficou atrás do australiano Keegan Palmer, que alcançou impressionantes 95.83. O bronze ficou com o norte-americano Cory Juneau, com 84.13.

A estreia do skate no programa olímpico já havia dado duas medalhas de prata ao Brasil no street, com Kelvin Hoefler e Rayssa Leal.

Incluídos na conta os resultados da seleção masculina de futebol e dos boxeadores Hebert Souza e Beatriz Ferreira, que ainda descobrirão as cores de suas medalhas, a delegação verde-amarela assegura 19 presenças no pódio no Japão. O número é o mesmo do recorde brasileiro, registrado no Rio de Janeiro, em 2016.

A conquista de Barros podia ser vislumbrada em 2016, quando o skate teve sua estreia confirmada para os Jogos de Tóquio. Aos 21 anos, ele já era um dos grandes nomes da modalidade.

O talento precoce levara o skatista de Florianópolis a se profissionalizar aos 13. Em 2009, surgira para o mundo com o terceiro lugar nos X-Games, evento que conquistou por seis vezes entre 2010 e 2016.

Em 2018, com a modalidade já inserida no programa olímpico, foi campeão mundial de park na China.

Quando venceu em Nanjing, o multicampeão Barros vivenciou uma experiência nova na carreira.

"Foi bem legal ver a bandeira do Brasil subindo em um outro país, quando eu estava fazendo algo que começou de forma muito natural na minha vida e me levou até lá, para uma competição daquele nível. O skate, com certeza, é algo de que o brasileiro pode se orgulhar", ele disse ao jornal Folha de S.Paulo em 2019.

O fato de um nome influente como ele ter apoiado a entrada do esporte nas Olimpíadas ajudou a quebrar a resistência que existia por parte da comunidade do skate, que temia as possíveis consequências para as raízes de contracultura e transgressão da atividade em meio aos trâmites estabelecidos pelos Jogos.

Símbolos nacionais, como bandeira, hino e uniforme de delegação, passaram a fazer parte da realidade dos skatistas após a entrada da modalidade no programa olímpico de Tóquio-2020.

O processo de adequação às normas antidoping e mesmo questões em tese mais simples, como estabelecer uma entidade para gerenciar os campeonatos e criar um ranking internacional classificatório para as Olimpíadas, enfrentaram alguns percalços.

"Se a gente estiver trabalhando unido para que o skate mantenha a sua essência, ela não vai deixar de existir. Agora, se todos os skatistas acharem que tudo se resume a essa competição, a essência pode se perder", afirmou Pedro.

Na época, ele já afirmava que os Jogos proporcionariam uma oportunidade de extrapolar o alcance que o esporte teve no mundo até então. "Buscarei a medalha não para alavancar minha imagem, mas para ajudar o skate brasileiro. O que vai fazer a diferença é a caminhada até lá e a mensagem que estamos passando. Sinceramente, a medalha não muda quem eu sou."

Nesta quinta, com a temperatura na casa dos 34ºC (sensação térmica de 42ºC), o australiano Keegan Palmer foi até a borda da pista e reverenciou o brasileiro depois que Pedro Barros completou a sua última volta.

O medalhista de prata então escalou o concreto, largou o skate e foi correndo abraçar o campeão.
Quando terminou sua última volta, Luiz Francisco, o Luizinho, chutou o capacete para cima e vibrou muito. Parecia que o bronze poderia vir para o brasileiro, mas ficou perto (83.14, contra 84.13 de Juneau).

Reunidos, os skatistas aguardaram a divulgação da pontuação derradeira, que confirmou o pódio com um atleta de cada país e encerrou a jornada do skate em Tóquio no clima amigável que marcou toda a competição. E com mais uma medalha para o Brasil.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS