search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

"Nem profissionais da saúde conseguiram chegar ao trabalho", diz governo sobre paralisação do Transcol

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

"Nem profissionais da saúde conseguiram chegar ao trabalho", diz governo sobre paralisação do Transcol


O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura, lamentou o prejuízo à população causado pelo protesto dos rodoviários realizado na manhã desta terça-feira (13).

No dia em que a frota do Sistema Transcol voltaria a circular de forma integral, conforme havia sido anunciado pelo governo, durante boa parte da manhã não circulou ônibus nem para transportar os profissionais da saúde. 

Os rodoviários querem que a categoria seja incluída entre os grupos prioritários da vacinação contra a Covid-19.

Garagem da viação Grande Vitória. Durante o protesto desta terça-feira (13), nenhum ônibus saiu até às 9 horas. (Foto: Fábio Nunes/AT)Garagem da viação Grande Vitória. Durante o protesto desta terça-feira (13), nenhum ônibus saiu até às 9 horas. (Foto: Fábio Nunes/AT)

Além dos ônibus do Transcol, a paralisação afetou os coletivos do sistema municipal de Vitória, os chamados "verdinhos". Até às 9 horas, nenhum ônibus saiu das garagens.

A Semobi afirmou que a reivindicação da categoria é legítima, mas ressaltou que os critérios que definem a prioridade na vacinação são definidos pelo Governo Federal.

"A Semobi informa que o protesto realizado pelo Sindicato dos Rodoviários nesta terça-feira, 13, impediu os coletivos de saírem das garagens, prejudicando mais uma vez a população, já que nem mesmo os profissionais  da saúde conseguiram chegar ao trabalho. Embora a reivindicação da categoria seja legítima, a Secretaria ressalta que já havia esclarecido que a prioridade da vacinação é definida pelo Ministério da Saúde, por meio do Plano Nacional de Imunização. O Governo Federal é quem vem adquirindo as vacinas, distribuindo e definindo grupos prioritários", diz o texto enviado pela assessoria da pasta.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados