X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Família faz vaquinha para levar cinzas de filho morto aos 11 anos à lua

Matthew sonhava em ser astronauta desde os cinco anos de idade

Agência Folhapress | 17/07/2022 18:18 h

Uma família da Califórnia, nos Estados Unidos, abriu uma página de financiamento coletivo para realizar o sonho do filho, Matthew, morto em maio aos 11 anos de idade. O menino sonhava em ser astronauta desde os cinco anos e, por essa razão, os pais tentam arrecadar recursos para levar as cinzas dele à Lua.

-
- |  Foto: Reprodução/Facebook
  

Segundo a página gofundme, onde foi aberto o financiamento coletivo, houve até o momento a arrecadação de 14.765 mil dólares, já acima da meta estabelecida de 14 mil. O dinheiro, segundo os familiares, será usado para pagar o transporte dos restos mortais de Matthew por meio da companhia Celestis Memorial Spaceflights, especializada no serviço.

"Matthew era um menino brilhante. Seu maior sonho era se tornar um astronauta e viajar para o espaço sideral. Ele sabia explicar tudo sobre as fases da lua e apontar os planetas e constelações no céu", contou Cori Gallagher, mãe do garoto, na página de arrecadação. Segundo ela, o plano de Matthew era tornar-se piloto e, a partir daí, astronauta.

"Ele era totalmente obcecado por aviões de guerra. Era capaz de apontar todos eles em shows aéreos, resumia como que cada um deles era usado e qual tecnologia os substituiu com o passar do tempo", afirma um trecho do pedido.

Filho de um oficial da marinha norte-americana, Matthew nasceu em 2011 em uma base naval na Califórnia, mas durante sua infância também morou em outros estados, como Flórida, Texas e Califórnia, devido às transferências do pai, Scott Gallagher.

Segundo a mãe, Matthew era fascinado com tecnologia e admirava a Tesla, fábrica de carros elétricos norte-americana pertencente ao bilionário Elon Musk. Conforme o relato, ele sonhava em fazer uma festa de aniversário em uma loja da Tesla.

"Ele costumava falar que gostaria de ir até as casas dos vizinhos para perguntar se eles o levariam para um passeio no Tesla deles. Matthew nunca fez isso, porque seu pai lhe explicou que não é educado, e que ele poderia admirar os carros de fora", conta o relato na página.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS