X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Cidades

Putin não ouviu mensagem de paz de Bolsonaro, diz ministro do Turismo

Questionado se o líder russo teria ouvido Bolsonaro, Machado respondeu que não


O ministro do Turismo, Gilson Machado, afirmou ao Painel que o presidente da Rússia, Vladmir Putin, não ouviu a "mensagem de paz" do presidente Jair Bolsonaro (PL).

"Que ele levou uma mensagem de paz, ele levou. Mas depende do Putin se vai ouvir ou não. O mundo inteiro pediu paz", afirmou o ministro, que havia dito na semana passada que Bolsonaro ajudou a evitar a guerra.

Questionado se o líder russo teria ouvido Bolsonaro, Machado respondeu que não. "A guerra está acontecendo, né?"

Bolsonaro (PL) foi a Moscou em 15 de fevereiro, em meio a uma grave crise de segurança em torno da Ucrânia. No mesmo dia, o governo Putin anunciou o início da retirada de parte das tropas que se exercitavam perto das fronteiras do país vizinho.

Na ocasião, bolsonaristas publicaram imagens e mensagens atribuindo ao presidente brasileiro o arrefecimento momentâneo da crise.

Gilson Machado fez a mesma associação dias depois.

"O Brasil é um país historicamente conciliador. Sempre tivemos grandes exemplos de grandes diplomacias por outros presidentes, de problemas mundiais que conseguimos resolver. E foi um momento em que o presidente chegou lá e levou uma mensagem de paz para o presidente Putin. Graças a Deus, já foram retiradas as tropas e não se fala mais em guerra", declarou.

Após quatro meses de crise com o Ocidente, a Rússia decidiu atacar a Ucrânia nesta quinta-feira (24), naquilo que Kiev e a Otan (aliança militar ocidental) chamaram de invasão total. É a mais grave crise militar na Europa desde a Segunda Guerra Mundial, e a maior operação do gênero desde que os Estados Unidos invadiram o Iraque, em 2003.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: