Aeroporto pode ter atividades suspensas

A Agência Nacional de Aviação Civil identificou que faltam barreiras de proteção e há defeitos na superfície da pista

Roberta Bourguignon | 06/05/2022, 16:55 16:55 h | Atualizado em 06/05/2022, 16:55

Avião: risco de colisões
 

A falta de barreiras de proteção em torno do aeroporto de Guarapari pode suspender as operações de pouso e decolagem de aviões no local.

É o que afirma a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), após notificar o aeroporto para fazer as regularizações necessárias.  

O órgão esclarece que as barreiras de proteção são importantes para evitar a entrada de animais e pessoas não autorizadas na área operacional de um aeroporto, evitando colisões com uma aeronave em manobra pela pista, caso não sejam efetivas. 

A inspeção realizada pela Anac ocorreu no dia 1º de abril deste ano e, após essa vistoria, a agência encaminhou ao operador aeroportuário, no dia 27 de abril, o Relatório de Inspeção Aeroportuária (RIA), indicando as não conformidades. 

“No documento, a Anac indicou prazo de 30 dias (após o seu recebimento) para o operador indicar as ações tomadas ou previstas para saneamento das irregularidades apontadas, bem como sobre a implementação de eventuais ações para garantia da segurança das operações no caso das correções não terem sido imediatas”, esclareceu o órgão por meio de nota.  

O aeroporto da cidade é administrado pela prefeitura. Após o prazo estabelecido, a Anac declarou que sem resposta aos questionamentos ou caso o município não cumpra com as medidas necessárias para o saneamento das não conformidades, uma das medidas possíveis é a aplicação de cautelar — proibindo operações de pouso e decolagem no aeródromo. 

Além da suspensão das atividades no aeroporto, a administração responsável também será multada. O valor ainda será estipulado. 

As irregularidades no aeroporto foram denunciadas pelo vereador Rodrigo Borges, que passando pela rua que fica às margens do aeródromo, identificou o perigo ao visualizar o local sem nenhum tipo de barreira de proteção.

Vereador Rodrigo Borges mostra irregularidades em área de aeroporto
 

“Aqui na rua Aliança, que faz divisa com o aeroporto municipal, tem o que resta de um alambrado, o que não impede a passagem de animais e até pessoas. É um perigo isso. As pessoas podem entrar aqui a qualquer momento e de qualquer forma. Passa avião o tempo todo, e as crianças ficam correndo esse perigo”, disse o vereador.

Além da falta de barreiras, a Anac também constatou a ausência de balizamento inoperante e defeitos críticos na superfície da pista. Procurada, a Prefeitura de Guarapari não respondeu quando o município fará os reparos solicitados.


SAIBA MAIS


  • Após uma inspeção realizada pela Anac no aeroporto de Guarapari, foram indicadas irregularidades no local: falta de barreiras de proteção em alguns lugares, ausência de balizamento inoperante e defeitos críticos na superfície da pista.
  • O órgão deu prazo de 30 dias para o operador indicar as ações que serão tomadas.
  • Caso o operador não responda aos questionamentos ou não tome as medidas necessárias dentro do prazo indicado, pode haver a proibição das operações de pouso e decolagem.
  • A Anac destacou que as barreiras de proteção são importantes para evitar a entrada de animais e pessoas não autorizadas na área operacional de um aeroporto, evitando colisões.
  • A prefeitura, responsável pela administração do aeroporto, não informou a Anac ou à reportagem sobre possíveis regularizações no local. O prazo termina no dia 27 de maio.