Fabiana Tostes

Fabiana Tostes


“Vou deixar um dinheirão em caixa”

Hartung condenou a política populista apresentada por candidato à Presidência e disse que esse não é o caminho que o País deve seguir na eleição deste ano (Foto: Dayana Souza/AT)
Hartung condenou a política populista apresentada por candidato à Presidência e disse que esse não é o caminho que o País deve seguir na eleição deste ano (Foto: Dayana Souza/AT)

O governador Paulo Hartung disse, há poucos minutos na Assembleia, que vai deixar um “dinheirão em caixa” para o próximo governo. Hartung foi homenageado, na noite de hoje (03) pelos deputados por ter recebido nota “A” da Secretaria do Tesouro Nacional.

“Vou deixar um dinheirão em caixa para que o próximo governo possa iniciar sua tarefa com a maior tranquilidade do mundo. E é bom que o Espírito Santo ouça isso, e eu pergunto: Qual outro governandor desse imenso País, que vai deixar recursos vultuosos em caixa? Acho que nessa matéria vou ficar sozinho, assim como ficamos sozinhos na nota 'A' do Tesouro Nacional. Mas é isso que devemos fazer, fazer política com 'P' maiúsculo”, disse ele em discurso no Legislativo.

Na manhã de hoje, durante a sessão ordinária, deputados da base aliada do governador eleito Renato Casagrande conseguiram adiar o pedido de regime de urgência para aprovar um segundo projeto de abertura de crédito suplementar no valor de R$ 307 milhões. Os deputados alegaram que os projetos que abrem créditos suplementares (o primeiro foi no valor de R$ 193 milhões) podem esvaziar os cofres públicos do Estado. Os pedidos de regime de urgência serão analisados amanhã.

Hartung disse também que vai pagar o abono de R$ 1.500 aos servidores no dia 12 e que o pagamento dos salários do funcionalismo público sai antes do Natal.