Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Vídeos: Capixaba que vive na Flórida se prepara para Furacão Dorian

Notícias

Internacional

Vídeos: Capixaba que vive na Flórida se prepara para Furacão Dorian


Imagens das primeiras nuvens de chuva causadas pelo furacão Dorian, no Píer de Cocoa Beach, na Flórida  (Foto: Reprodução/Twitter)
Imagens das primeiras nuvens de chuva causadas pelo furacão Dorian, no Píer de Cocoa Beach, na Flórida (Foto: Reprodução/Twitter)

O mundo está de olho na passagem do furacão Dorian, que devastou as Bahamas com ventos de quase 300 km/h e chuvas torrenciais, e agora segue em direção à costa leste dos Estados Unidos. Estados da Flórida, Geórgia e Carolina do Sul declararam estado de emergência e ordenaram que moradores da costa deixem suas casas.

Nos tweets abaixo, um caçador de tempestades mostrou que, mesmo estando a quilômetros de distância, o Furacão Dorian já está causando uma tempestade forte na praia de Cocoa, na Flórida.   

3, 2019

3, 2019

A estimativa do Centro Nacional de Furacões (NHC) é de que a tempestade deve passar "perigosamente perto" da costa da Flórida na madrugada desta terça-feira (3). O estado, inclusive, é um dos preferidos dos brasileiros que escolheram os Estados Unidos para viver e estudar.

Kelly Pimentel Pereira é capixaba e vive em Orlando, na Flórida, há poucos meses. Ela disse que está apreensiva, mas que as pessoas que conhece estão tentando manter a calma e tomar atitudes simples, como abastecer os carros e aumentar o estoque de água mineral em casa.

"É uma situação preocupante, mas não há nada que a gente possa fazer. O governo pediu para a gente evitar sair de casa hoje e amanhã e estamos estocando alguns alimentos não perecíveis, água e gasolina", destacou.

A paulista Flavia Gagliardi é designer de interiores e mora em Parkland, também na Flórida. Ela destacou que o número de pessoas nos supermercados e farmácias aumentou muito desde a previsão de chegada do fenômeno.

"Como o verão é época dos furacões, o governo já estipula descontos para os moradores comprarem itens como lanternas, velas, carvão e mantimentos em caso de os furacões surgirem", explicou.

Comentou que, nos mercados, água e comida estão acabando rápido, mas tudo é reposto na mesma velocidade. "Como ele [o furacão] está previsto para chegar durante a madrugada, o comércio já está todo fechado e as pessoas em casa. Apenas supermercados, farmácias, postos de gasolina e hospitais estão abertos. Os shoppings, por exemplo, estão fechados desde ontem", frisou a designer.

A publicitária paraibana Larissa Muniz é outra brasileira que vive na Flórida, mas na região de Fort Lauderdale. Lá, o furacão deve chegar como uma tempestade tropical, mas mesmo assim está deixando as pessoas apreensivas.

"É que nós brasileiros não passamos por essa situação, então você não tem muita noção e o furacão é incontrolável, pode mudar a rota a qualquer momento", salientou.

Ela destacou que você até se sente seguro com as informações que o governo passa, mas não consegue relaxar completamente. "A regra é ficar em casa e estocar comida e água. Aqui, se você sair de casa sem autorização, pode até ser preso", contou.

Furacão Dorian

O furacão Dorian, de categoria 5, atingiu as Bahamas neste domingo (1º), com ventos de 295 km/h. Trata-se do segundo maior fenômeno do tipo na história do Atlântico. Segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC), Dorian tocou a terra em Elbow Cay, que faz parte das ilhas Ábaco, nas Bahamas, às 16h40 (13h40 no horário de Brasília). 

Moradores da região postaram vídeos nas redes sociais mostrando as inundações causadas pelo fenômeno. A altura da água chegava à metade de algumas casas, que tiveram partes dos telhados arrancadas. A ilha foi tomada por entulho.

Nesta segunda-feira (02), o primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, informou que ao menos cinco pessoas morreram nas Ilhas Ábaco por causa da passagem do furacão, que atinge o arquipélago na categoria 4. Minnis disse ainda que há pessoas na ilha próxima de Grande Bahama que enfrentam grave perigo.

O furacão se mantinha imóvel sobre a Grande Bahama na tarde desta segunda (02), com ventos máximos sustentados de 233 quilômetros por hora. Ele estava 170 quilômetros a leste de West Palm Beach, na Flórida. A expectativa é que ele ameace, nesta semana, algumas regiões dos EUA, nos Estados da Flórida, das Carolinas do Norte e do Sul e da Geórgia.

Confira alguns vídeos de moradores: 

Essa internauta mostra no tweet abaixo que uma casa de dois andares não era alta o suficiente para aguentar a fúria das ondas:

2, 2019

Esse outro mostra a casa de um amigo que mora nas Bahamas. De acordo com ele a família está viva e bem:

2, 2019

"Cerca de 13 mil casas ficaram danificadas após o furacão Dorian atingir as Bahamas"

2, 2019

Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados