Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Vídeo: Grupo baiano denuncia racismo e tenta quebrar quadros em hotel de BH

Entretenimento

Famosos

Vídeo: Grupo baiano denuncia racismo e tenta quebrar quadros em hotel de BH


A banda baiana Àttøøxxá se envolveu em uma polêmica, que chamou a atenção nas redes sociais, neste fim de semana. O grupo baiano se apresentou na Virada Cultural de Belo Horizonte, no último sábado (20) e acabou se revoltando com a decoração do hotel onde estavam hospedados.

Os músicos teriam se sentido ofendidos com os quadros, que decoravam os quartos do hotel, e os retirado das paredes, alegando que as imagens remetiam diretamente ao período da escravidão. Os integrantes da banda compartilharam o momento ao vivo, através da ferramenta live, do Instagram.

No vídeo, eles aparecem indignados com as pinturas que retratam escravos, no preíodo Colonial Brasileiro. "Insulta a nossa raça. Pega a visão se vocês forem se hospedar nesse hotel. A decoração deles é a escravidão", diz um dos cantores.

Banda Attooxxa denuncia racismo em hotel (parte 1)

Uma publicação compartilhada por Maria Clara Neide (@mariaclaraneide) em

Banda Attooxxa denuncia racismo em hotel (parte 2)

Uma publicação compartilhada por Maria Clara Neide (@mariaclaraneide) em

O grupo gravou um vídeo explicando a confusão:

Por meio de nota, o Hotel Dayrell diz lamentar que os cantores tenham se ofendido com os quadros. "Elas representam cenas de um Brasil colonial, com todas as características daquele tempo. Por mais infame que seja essa parte da nossa história, não podemos esquecê-las", diz parte do comunicado. 

Alguns internautas não gostaram da resposta do hotel e comentaram na publicação do estabelecimento. "Quer dizer que temos um hotel no meio da capital mineira que acha normal perpetuar o pensamento escravista??", questionou um rapaz. Uma outra moça diz sentir vergonha ao lembrar que já se hospedou no hotel. 

Leia o comunicado na íntegra:


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados