Notícias

Cidades

Veja fotos de cordilheira submersa que pode virar reserva marinha


Um paraíso com a maior variedade, entre todas as ilhas do Brasil, de espécies que vivem em recifes. E o mais interessante: na costa do Espírito Santo. Este é um panorama de uma cordilheira, até então desconhecida, que pode se tornar a maior reserva marinha do mundo.

Esta cordilheira é composta por 30 montes submarinos de origem vulcânica, localizada entre a cidade de Vitória e a Ilha de Trindade, a cerca de 1.200 quilômetros do continente. A reserva conta com 450 mil quilômetros quadrados, o que equivale ao território da Suécia, por exemplo.

A cordilheira submersa fica a 1,2 quilômetros do continente ou até cinco dias de navegação. Foto: J. L. Gasparini
A cordilheira submersa fica a 1,2 quilômetros do continente ou até cinco dias de navegação. Foto: J. L. Gasparini

Para se chegar até o arquipélogo, segundo o biólogo João Luiz Gasparini, são três dias de navegação. "Em navios da Marinha, são três dias. Mas, dependendo das condições do mar, pode subir para cinco dias", conta o capixaba que faz parte de um grupo de pesquisadores que estudam a cordilheira submersa. 

Ainda de acordo com o biólogo, caso a cordilheira se torne uma unidade de conservação, isso será positivo tanto para a questão ambiental quanto para a Ciência. "A importância de ter essas áreas de proteção é que elas sirvam de berçário marinhos. Áreas que você não destrua o ambiente e continue fazendo pesquisas para medicamentos para cura de doeças", reforça João Luiz. 

Região pode virar uma Unidade de Conservação

Em entrevista à BBC Brasil, o secretário de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente, João Pedro de Oliveira da Costa, informou que a pasta finaliza um relatório onde encaminha um pedido para tornar a cordilheira como Unidade de Conservação, o que seria a maior do mundo. Este relatório deve ser concluído em 45 dias.

Confira as fotos abaixo