Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Turismo da beleza: Maioria quer ter corpo de brasileira

Notícias

Saúde

Turismo da beleza: Maioria quer ter corpo de brasileira


os pacientes Paulino Vieira Neto e Erika Floriano vieram de fora para realizar procedimentos no Estado (Foto: Thiago Coutinho/AT)
os pacientes Paulino Vieira Neto e Erika Floriano vieram de fora para realizar procedimentos no Estado (Foto: Thiago Coutinho/AT)

Quando o assunto é beleza, a busca do corpo e sorriso ideais atravessa continentes, e o Espírito Santo tem se consolidado cada vez mais como destino para aqueles que querem fazer as pazes com o espelho.

De acordo com o cirurgião plástico Ariosto Santos, com base em dados da Associação Brasileira de Cirurgia Plástica, no ano passado o número de atendimentos a pessoas de fora representou 3% do volume total. “Calcula-se que em 2020 este número suba para 5%”.

Os profissionais do Estado são disputados por pacientes que enfrentam horas de viagem de países como Estados Unidos, Itália e Alemanha para passar pelos procedimentos cirúrgicos. As clínicas oferecem atendimento personalizado, inclusive com hospedagem e passeios turísticos pelo Estado.

É o caso do dentista Ricardo Bartet. Ele se tornou o queridinho dos jovens milionários pelo mundo que buscam a técnica de lentes de contato para os dentes.

“Tenho um quarto de hóspedes na minha casa, na Praia da Costa, Vila Velha, para receber os meus pacientes que vêm de fora. Fico por conta deles por cerca de quatro dias e os levo para conhecer os pontos turísticos do Estado”. Bartet relatou que cerca de 60% dos procedimentos são feitos em pacientes que moram fora.

O cirurgião plástico Humberto Pinto investe em um aparato logístico para atender os pacientes que vêm de longe e que representam 35% de sua clientela. “Eles são hospedados em acomodações adaptadas ao pós-cirúrgico, com oferta de drenagem e profissionais que vão até a farmácia, compram medicamentos e curativos”.

O advogado Paulino Vieira Neto, 60 anos, que mora na Flórida (EUA), já fez dois procedimentos de preenchimento facial no Estado.

“Venho visitar meus pais em Vitória e aproveito para realizar as intervenções. Os profissionais daqui passam confiança e eu sempre dou preferência aos médicos do Brasil. Médicos dos EUA, só para emergências”.

Já a técnica de inspeção Erika Floriano, de 33 anos, e moradora de Macaé, no Rio de Janeiro, decidiu fazer abdominoplastia e colocar silicone nos seios depois de pesquisar os profissionais.

“Pesquisei bastante e os melhores resultados são daqui”, disse.

Cirurgiã-dentista trabalha com harmonização facial e tem pacientes de fora do país (Foto: Thiago Coutinho/AT)
Cirurgiã-dentista trabalha com harmonização facial e tem pacientes de fora do país (Foto: Thiago Coutinho/AT)

O perfil dos pacientes estrangeiros que vêm ao Espírito Santo é composto por vários fatores, como sexo e idade. Mas um, em especial, é comum entre as mulheres: ter o contorno do corpo igual ao da mulher brasileira. O cirurgião plástico Humberto Pinto revelou que a prótese de glúteos é um dos procedimentos preferidos das gringas para obter o resultado.

 (Foto: Reprodução/Jornal A Tribuna)
(Foto: Reprodução/Jornal A Tribuna)
De acordo com o cirurgião plástico Ariosto Santos, no geral, os pacientes que vêm do exterior para passar por cirurgias no Estado têm entre 30 e 45 anos de idade e 90% são mulheres vindas dos EUA, Espanha, Itália, Portugal, Inglaterra, Finlândia, Noruega e até Emirados Árabes Unidos.

“São necessários cerca de 25 dias entre chegada, cirurgia e recuperação dos pacientes. A maioria das intervenções ocorre entre julho e agosto, e entre dezembro e fevereiro, por causa das férias. No ano passado, foram feitos no Estado mais de 900 procedimentos em pacientes de fora do Brasil”.

Ariosto disse que a procura de pacientes de outros estados também é grande, como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Rio Grande do Sul e Rondônia. Segundo o cirurgião plástico Pablo Delboni, “a procura é maior por pacientes brasileiros que residem nos Estados Unidos e Europa, mas que ainda possuem algum vínculo no Estado”.

Mariana Laranja, cirurgiã-dentista que trabalha com harmonização facial, também atende pacientes de fora do País e avaliou que a indicação é o principal atrativo.

“As pessoas vão ao consultório, fazem o tratamento e acabam indicando a amigos e familiares”.

Mariana contou que os procedimentos mais procurados são aplicação de toxina botulínica (botox), fios de sustentação para flacidez da pele e rinomodelação (intervenção no nariz), entre outros. Para a médica Cristina da Mata, o aumento na expectativa de vida é um fator determinante.

“As pessoas estão mais vaidosas e querem parecer mais bonitas. Houve também um aumento de homens que buscam os procedimentos. Hoje os mais procurados são aplicação de botox e preenchimento facial”.

O cirurgião plástico Adriano Batistuta pondera que a tecnologia favoreceu o contato com os pacientes. “Eles veem fotos, conversam e pedem recomendação do nosso trabalho.

Hoje é mais fácil conversar com os pacientes, fazer uma avaliação do caso e, só depois, fazer a consulta presencial”.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados