search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Trump coloca fanfarra em palco de Davos antes de discurso

Notícias

Publicidade | Anuncie

Internacional

Trump coloca fanfarra em palco de Davos antes de discurso


Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Donald Trump chegou com uma fanfarra a Davos – literalmente.

Minutos antes de ele entrar no palco do encontro anual do Fórum Mundial de Davos para discursar, às 14h (11h em Brasília) uma banda marcial se posicionou e começou a tocar uma marcha por cinco minutos.

Nenhum outro governante que falou à plenária fez algo similar. O fundador do fórum, Klaus Schwab, demonstrou constrangimento no palco.

Trump é apenas o segundo presidente dos EUA a participar do evento (o primeiro foi Bill Clinton, em 2000). A segurança foi reforçada, com vistorias duplicadas, e o auditório de 1.500 lugares já estava completamente lotado, com gente em pé e disputa por cadeiras, 20 minutos antes do início do discurso.

Na fala, que ocorre no último dos quatro dias de evento, Trump promove os EUA como destino de investimentos e reforça sua vontade de se manter integrado ao sistema multilateral, desde que as regras sejam revistas.

Segurança

A ida de Trump a Davos é apenas a segunda vez que um presidente dos EUA participa do encontro anual do Fórum em pessoa (Bill Clinton compareceu em 2000), o que alimentou expectativas e mudou a rotina do evento, que sempre foi essencialmente europeu e está em sua 48ª edição, desde a chegada de Trump, no meio da tarde dessa quinta (25).

Segundo a organização, a participação de americanos neste ano é um recorde, na casa das centenas – o número exato não foi divulgado.

Na manhã desta sexta (26), o trânsito de helicópteros foi mais intenso do que de costume sobre a pequena cidade dos Alpes suíços. A segurança foi reforçada, com corredores bloqueados e dupla checagem de credenciais, e regras inéditas foram estabelecidas para aqueles que desejassem assistir ao discurso ao vivo, como uma antecedência de 90 minutos e o veto a líquidos no salão, garrafas d'água inclusive.

Apesar da expectativa para a fala de Trump, muitos participantes deixaram a cidade antes do término do encontro e não vão acompanhar a performance do americano.

Além do discurso, Trump se encontrou com uma série de líderes, incluindo a primeira-ministra britânica Theresa May, o premiê israelense Binyamin Netanyahu e o presidente de Ruanda e líder da União Africana Paul Kagame.

Há duas semanas, o presidente se referiu a países africanos e ao Haiti como "países de merda" durante uma reunião de trabalho, segundo alguns dos presentes (ele nega). Por isso, empresários e autoridades do continente ameaçaram se levantar no meio do discurso.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados