search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Trilhas conduzem ao sucesso

Especial Educação

Especial Educação

Trilhas conduzem ao sucesso


Alunos da FDV  são estimulados a experimentarem diferentes atividades  para ajudar na escolha profissional (Foto: Leone Iglesias)
Alunos da FDV são estimulados a experimentarem diferentes atividades para ajudar na escolha profissional (Foto: Leone Iglesias)
Uma série de atividades que ajudam a direcionar e enriquecer a carreira do futuro advogado, juiz, promotor ou outra profissão na área jurídica.

Essas são as Trilhas do Direito, uma iniciativa da Faculdade de Direito de Vitória (FDV) que incentiva os alunos na busca pela vocação e pelo desenvolvimento de aptidões profissionais.

“Nossas atividades complementares foram classificadas em três trilhas de formação especializada: Direito e Negócios; Carreiras e Políticas Públicas; e Carreira Acadêmica”, explica o coordenador da graduação da instituição, Ricardo Goretti.

Os estudantes são estimulados, desde os primeiros períodos, a experimentarem as atividades de diferentes trilhas, o que ajuda na escolha profissional.

“Com o avançar do curso, o aluno consegue ter uma definição sobre a carreira que pretende seguir. Orientamos que eles realizem o maior número possível de atividades enquadradas em uma determinada trilha, para personalizar sua formação profissional”, destaca Goretti.

Os alunos que desejam exercer a advocacia podem investir nas atividades da trilha Direito e Negócios.

Já os que pretendem seguir em funções públicas devem focar na trilha Carreiras e Políticas Públicas. Aqueles com vocação para a docência podem se preparar através da trilha Carreira Acadêmica, conforme explica o educador.

Ao todo, são mais de 80 atividades complementares por semestre, com disciplinas presenciais e on-line, oficinas práticas, cursos e grupos de pesquisa.

Pesquisa
Falando em pesquisa, o corpo docente da FDV é formado 100% por mestres e doutores. “Além de professores, eles são pesquisadores, profissionais de mercado e estão sempre atualizando seus conhecimentos”, ressalta a coordenadora pedagógica, Juliana Ferrari.

Observando o dia a dia dos alunos, esses professores são quem criam, junto com a instituição, as metodologias utilizadas em sala de aula.

“Buscamos dar liberdade a eles para criarem as próprias estratégias de ensino e aprendizagem, com a preocupação de levar o aluno a ser ativo no processo”, salienta Juliana.

Na FDV, os alunos também podem sugerir as estratégias usadas em sala. “A participação é efetiva. Na medida do possível, colocamos em prática atividades sugeridas por eles mesmos”, completa a coordenadora.

“Reinvenção é processo contínuo”

Antonio Abikair destaca projetos de ensino que conduzem o aluno a pensar de modo competente (Foto: Leone Iglesias)
Antonio Abikair destaca projetos de ensino que conduzem o aluno a pensar de modo competente (Foto: Leone Iglesias)
O fundador e diretor-geral da Faculdade de Direito de Vitória (FDV), Antonio Abikair, conversou com a reportagem de A Tribuna e falou sobre como a instituição caminha com a revolução digital e nos rankings nacionais.

A TRIBUNA — A FDV foi fundada em 1995. Ao longo desses anos, o senhor percebeu uma mudança nas demandas do mercado?
ANTONIO ABIKAIRA — A principal mudança é que mudar não é mais novidade, virou regra.

Estamos vivendo uma revolução digital e isso tem impacto profundo nos padrões comportamentais da sociedade. Educação e Direito são essencialmente sobre pessoas, de modo que é inevitável se reinventar para fazer sentido na nova realidade. E essa reinvenção precisa ser entendida e internalizada como processo contínuo.

A TRIBUNA — E como a FDV tem caminhado junto com essas tendências?
ANTONIO ABIKAIRA — Investimos cada vez mais em uma formação construída por experiências. Recentemente, estruturamos trilhas de formação personalizada dentro da graduação, para que nosso aluno possa viver uma experimentação consciente das possibilidades de carreiras jurídicas. Isso facilita o autoconhecimento e proporciona uma escolha mais segura da área de atuação.
 

A TRIBUNA — Como as metodologias participativas são aplicadas?
ANTONIO ABIKAIRA — Investimos em projetos que proporcionam processos ativos de aprendizagem. Quando o aluno deixa de ser um espectador do professor e passa a interagir para a resolução de problemas. Estamos ensinando esse aluno a pensar e a fazer, trata-se de uma aprendizagem consciente e competente.

A TRIBUNA —  A FDV ficou em 1º lugar na OAB no Brasil este ano, entre as particulares. Qual é o segredo?
ANTONIO ABIKAIRA — O segredo está no ambiente especializado e na incansável busca por excelência em formação jurídica. Isso significa que pensamos o ensino pela perspectiva do Direito e proporcionamos uma convivência com profissionais de alto nível em diversos momentos de carreira (especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado).

Tudo isso eleva o padrão da formação do nosso aluno e faz a diferença na sua preparação, seja para o mercado de trabalho, seja para exames como OAB e Enade. Inclusive, o MEC acaba de divulgar o resultado do Enade 2018 e conquistamos a 2ª maior nota do Brasil entre todos os cursos avaliados de públicas e particulares. Um resultado que fala por si só.

Associação de egressos vira escritório para recém-formado

Associação é espaço de trabalho (Foto: Leone Iglesias)
Associação é espaço de trabalho (Foto: Leone Iglesias)
Com o mercado cada vez mais competitivo, ter experiências além da sala de aula é fundamental.

De olho nessa tendência, a Faculdade de Direito de Vitória (FDV) oferece iniciativas como a Associação de Advogados Egressos (ASA), um escritório profissional criado, inicialmente, como estrutura para que os alunos recém-formados pudessem ter um local para trabalhar. “É uma associação única no Estado e existem poucas semelhantes no Brasil.

Um ambiente compartilhado que fica em um importante centro jurídico capixaba”, explica Maurílio Vasconcelos, egresso da FDV e presidente da ASA.

O advogado tem autonomia para usufruir, 24 horas por dia, do ambiente que conta com recepção, serviço de biometria e videomonitoramento interno, três salas de reuniões, oito estações de trabalho e duas salas.

 (Foto: Jornal A Tribuna)
(Foto: Jornal A Tribuna)


leia mais / especial educação


Especial Educação

A nova escola da Educação 4.0

Especial Educação

O futuro é agora!

Especial Educação

Inspiração em países da Europa

Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados