Fabiana Tostes

Fabiana Tostes


Três socialistas disputam Vitória?

O PSB parece estar cansado de ser vice na disputa à Prefeitura de Vitória e deve lançar candidatura própria em 2020. Pelo menos essa é a expectativa de três socialistas que também já colocam o nome à disposição do pleito: o deputado Sergio Majeski, o vice-prefeito Sérgio Sá e o vereador Davi Esmael.

Questionado se há possibilidade de disputar a prefeitura, Majeski respondeu, sem titubear, que sim. E dessa vez ele não deve desistir como ocorreu na campanha passada, que ele abriu mão de ser candidato ao Senado pela reeleição na Ales.

“PSB tem bons nomes, acredito que em 12 anos como secretário, tenho condições de disputar”, disse Sérgio Sá que estaria, inclusive, contando com apoio do prefeito Luciano Rezende, ainda que o PPS tenha lançado o deputado Fabrício Gandini.

Já Davi disse que o PSB “vem forte”. “Há muitos nomes que se colocaram à disposição do partido”, disse, incluindo o seu. Resta saber se o PSB vai disputar contra o aliado de 1ª hora, o PPS, e como vai resolver o imbróglio interno com os candidatos.

Mudança no radar
O deputado estadual Sergio Majeski (PSB) não descarta mudar de partido para concorrer à Prefeitura de Vitória. Questionado se estaria disposto a mudar de partido, Majeski respondeu que era uma “possibilidade”. “Mas quero ver o que o PSB pretende. Em tese o PSB deve apoiar o candidato de Luciano (Rezende, prefeito)”. Majeski já foi do PSDB.

Reivindicação da greve
Foi aprovado na Câmara de Vitória projeto da prefeitura que concede dois tíquetes aos professores que têm duas cadeiras no município. Professores com carga horária menor que 40h semanais terá tíquete de R$ 256. Quem faz 40h ou mais, recebe R$ 320. Os de carga horária superior a 50h receberão R$ 320 mais o proporcional às horas que trabalha.

Quesito político, nota...
De Norte a Sul do País, as festas de Carnaval tiveram alto teor político, com fantasias que lembraram as suspeitas de candidaturas laranjas no PSL, gritos de guerra contra o Presidente e muitas marchinhas de protesto. Clima bem parecido com as manifestações contra a ex-presidente Dilma.

Papéis trocados na Câmara de Vitória
A votação que derrubou o veto do prefeito ao projeto de Davi Esmael que proíbe cena de nudez em material escolar e em atividades pagas com dinheiro público gerou uma cena inusitada.

O vereador Roberto Martins, que é da oposição, defendeu o prefeito Luciano Rezende, para não derrubar o veto. Já o líder do prefeito, Leonil Dias, defendeu a derrubada do veto.

Lelo vai disputar a reeleição do MDB
O secretário de Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania e presidente do MDB estadual, Lelo Coimbra, vai disputar a reeleição do partido. Ele confirmou a informação à coluna Plenário ao ser questionado. No último domingo, a coluna noticiou que cinco militantes do partido estão interessados em comandar o MDB de Vitória. Lelo não deve ser consenso entre os militantes, uma vez que Marcelino Fraga também deve disputar o comando estadual.

Vice em 2005
Além de ser vice nessa gestão em Vitória com Sérgio Sá, o PSB emplacou outro vice entre 2005 e 2008, quando Sebastião Balarini (PSB) entrou na chapa com João Coser (PT).

Repúdio na avenida
A deputada Lauriete disse que vai levar ao Ministério Público Federal as reclamações que recebeu contra o desfile da Escola de Samba paulista Gaviões da Fiel. Segundo assessoria, foi um ataque aos cristãos – a escola mostrou uma encenação da luta do bem contra o mal e muitos entenderam que satanás vencia Jesus. “São cenas fortes que tem também meu repúdio”, disse Lauriete.

CPI dos crimes na net
A Assembleia criou a CPI dos Crimes Cibernéticos para apurar casos de pedofilia, golpes e crimes contra o patrimônio que ocorrem na internet. A presidência ainda será definida.