Trememos por várias razões

“Quando a vela chega ao fim, a chama começa a tremer, com medo da escuridão”. O tremor resulta de várias situações. Sua principal causa é o frio, condição que faz com que os músculos se contraiam para aquecer o corpo.

Entretanto, existem outras razões de tremedeiras, desencadeadas por momentos de ansiedade, consumo de substâncias estimulantes, ou provocadas por doenças neurológicas e musculares, como ocorre na Doença de Parkinson, por exemplo.

As regiões mais afetadas pelo tremor são os braços, pernas, cabeça, queixo e face, podendo aparecer durante o repouso ou em movimento, de forma unilateral ou bilateral.

Quando alguém está ansioso ou sente medo, o sistema nervoso é ativado para que o organismo entre em estado de alerta, permitindo reagir a qualquer situação perigosa.

Nesse momento, grande quantidade de adrenalina é liberada na corrente sanguínea, provocando efeitos como tremores no corpo, suor, formigamentos, dilatação das pupilas, aumento dos batimentos cardíacos e elevação da pressão arterial.

Indivíduos que passam muito tempo sem se alimentar apresentam hipoglicemia, condição em que há queda acentuada da glicose no sangue.

Como resposta a essa situação, o cérebro libera hormônios estimulantes, para que as células do corpo consigam reagir, desencadeando tremor.

O consumo de sustâncias estimulantes, como o café, chá, ou bebidas energéticas que contêm taurina e teobromina, por exemplo, ativa o sistema nervoso e estimula o corpo, provocando diversas reações, como o tremor.

O hipertireoidismo é uma doença crônica na qual a glândula tireoide produz excesso de hormônios tireoidianos. Além da sudorese excessiva, do cansaço acentuado e da perda de peso, o paciente padece com incômodos tremores.

Alguns medicamentos podem causar tremor, como acontecem com alguns antidepressivos, anticonvulsivantes e broncodilatadores.

Drogas, como o Haloperidol e a Risperidona, por exemplo, podem causar tremor ao intoxicar regiões do cérebro responsáveis pelos movimentos, induzindo uma condição semelhante ao parkinsonismo, em que ocorrem tremores, rigidez dos músculos e desequilíbrio.

Quando os tremores se tornam persistentes e intensos, podem estar sinalizando doença neurológica.

O tremor fisiológico está presente de maneira imperceptível em quase todas as pessoas.

Quando se manifesta de forma exagerada, fazendo com que haja tremedeiras durante a realização de movimentos, como escrever, costurar ou comer, ele é denominado tremor essencial, surgindo durante a realização de algum movimento ou ao permanecer em uma posição, como ao segurar um objeto, por exemplo.

Sabe-se que o tremor essencial está relacionado à genética, mas a causa ainda não foi totalmente esclarecida, e pode acontecer em pessoas de qualquer idade, sendo mais comum em idosos.

Os sintomas pioram em situações de estresse, ansiedade e uso de algumas substâncias estimulantes, como bebidas alcoólicas.

Outras enfermidades que estimulam o sistema nervoso e desencadeiam tremores são o hipertireoidismo, a síndrome das pernas inquietas e as intoxicações por metais pesados, como chumbo e alumínio, por exemplo.

Um prosaico e involuntário tremor nos olhos pode estar associado a inúmeros fatores, como o consumo excessivo de café, a privação do sono, o estresse persistente, que gera uma espécie de exaltação muscular palpebral.

Tremores nos olhos podem traduzir o gasto exagerado de energia no corpo acelerado.

Quando o temor faz chorar, o tremor tenta secar as lágrimas. O maior de todos os tremores é quando a alma sente medo do coração.

Livres da finitude da vida, a estátua de pedra e a flor de plástico não tremem diante da morte.


últimas dessa coluna


Gripe intestinal e seus sintomas

Conhecida também como virose digestiva, a gripe intestinal provoca um quadro clínico bastante incômodo, embora desapareça, sem muitas complicações, depois de alguns dias. Esse tipo de gastroente…


Entupimento do ducto salivar

Pedras podem surgir na vesícula, no trato urinário e nas glândulas salivares. A sialolitíase ou cálculo salivar representa a obstrução do sistema excretor de uma glândula salivar por calcificações …


Nossas vigilantes e aliadas amígdalas

Tonsilas ou amígdalas são órgãos que auxiliam na fabricação de anticorpos para combater bactérias agindo, assim, como grandes aliadas do sistema imunológico. Localizadas na encruzilhada entre a …


Açúcar vicia o cérebro

A glicose é um componente essencial à vida, especificamente para o correto desenvolvimento das funções cerebrais. Entretanto, não é preciso ingerir açúcar e nem alimentos doces para que o organismo …


Sintomas são delações premiadas

Diante do delito cometido pela criminosa doença, o inocente corpo acumula provas, utilizando sintomas como forma de delação. Dessa maneira, ele espera, como prêmio, o retorno da saúde. Sintomas …


O perigo de nunca sentir dor

A presença da dor é essencial para a integridade e a sobrevivência da espécie. Jesus enfrentou o sofrimento, sabendo que estaria abandonado da presença misericordiosa de Deus. O cálice da …


A doença da urina do rato

O mundo está lembrando o centenário do término da Primeira Guerra Mundial. Entre 1914 e 1918, soldados inimigos trocavam tiros, buscando proteção dentro das trincheiras. Naquela época, ninguém …


“Abracadabra, que a doença seja debelada”

Escutar, examinar, solicitar exames, diagnosticar, explicar e tratar. Eu exerço esses ofícios há 40 anos. Procuro caprichar na informação, pois comunicação não é o que se fala, mas o que o outro …


Nem sempre dominamos o nosso corpo

Quando criança, eu costumava prestar atenção em minha respiração. O resultado era sempre uma sensação de cansaço, causado pelo trabalho dos músculos acostumados a respirar por conta própria. O …


O tempo nem sempre é um aliado

Um indivíduo apaixonado clama pela permanência do tempo. Uma pessoa deprimida suplica pela passagem do tempo. Dentro da medicina, o tempo é usado para curar, como acontece, por exemplo, durante um …