search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Tradições e superstições de um casamento italiano
Claudia Matarazzo
Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo


Tradições e superstições de um casamento italiano

Quando se fala em “Wedding Destination”, o campeão dos destinos é Toscana, na Itália, onde se fazem casamentos lindíssimos – sonho de 9 entre 10 noivas que se casam fora do Brasil.

Mas podemos fazer aqui mesmo um casamento temático e com toda a carga de simpatia e tradição que, aliás, em parte, chegaram até nós e foram incorporadas devido à imensa imigração de italianos em vários momentos da nossa História.

Portanto, veja o que mais lhe agrada e faça aqui mesmo um romântico casamento “`a la italiana”!

O jantar de ensaio – Lá é tradição, aqui nem tanto... A noiva usa um broche de esmeralda ou uma fitinha dessa cor amarrada no vestido do ensaio.

Antes da cerimônia – Assim como no Brasil, o noivo não pode ver a noiva. E para ela, o costume é mais radical: não pode se olhar no espelho...

Vestido da noiva – Branco ou, no máximo, tons pastéis. Mas alguns itens são indispensáveis:

Um objeto novo – Simboliza a vida nova.

Um objeto velho – Para que o passado não seja esquecido.

Um objeto emprestado – Simboliza afeto das pessoas queridas que se mantêm perto nessa passagem do velho para o novo.

Um presente – Simboliza o afeto.

Algo azul – Sinceridade e pureza da noiva.

Buquê – Acredite: quem escolhe é o noivo! Acho esse costume especialmente lindo. E deve ser entregue na manhã do casamento pela sogra, simbolizando que aprova a união. É também o último presente que o “namorado entrega para a namorada”.

A cerimônia – É costume até hoje ver uma fita amarrada na porta da igreja para que saibam que tem um casamento acontecendo.

Noivos mais supersticiosos levam um pequeno pedaço de ferro no bolso para afastar maus espíritos e as noivas rasgam o véu.

A saída – Já à porta da igreja, os noivos recebem uma verdadeira chuva de arroz. São os votos de fertilidade, riqueza e alegria.

Em vez de enrolar latas no para-choque traseiro, como nós, brasileiros, fazemos, na Itália a grade frontal é decorada com flores para abrir o caminho para a “vida doce”. E sim, o carro vai à frente dos demais, abrindo caminho com buzinadas.

A comida da recepção – Pratos frescos, aperitivos salgados (azeitonas, presunto e salame) e entradas saudáveis (massas com molhos espessos, carne de vitela e veado) e wanda (tortas de massa frita coberta com açúcar em pó) de sobremesa. Para beber, várias garrafas de vinho italiano. 

O orçamento – Os convidados ajudam a pagar! 

As noivas italianas carregam uma sacola de cetim na recepção para os convidados colocarem envelopes com dinheiro... (la busta). Algumas noivas mais ousadas a usam no pescoço, para que os homens tragam dinheiro em troca de uma dança.

A dança – A “Tarantella” é a maneira mais frenética dos convidados desejarem boa sorte aos recém-casados.

De mãos, correm no sentido horário até que a música acelera e, então, invertem as direções.

O tempo e a direção continuam mudando, até que o grupo se entrega à música em alta velocidade.

O bolo – Na Itália, bolo não é tradição. Os convidados recebem amêndoas revestidas de doces, simbolizando o amargo e doce.

Mas, se mesmo assim, você quer um bolo, escolha o mille-foglie – um bolo italiano feito de camadas de massa levíssima, alternando cremes de chocolate e baunilha, e morangos.
 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Gravidez precoce

A virgindade é a única arma da mulher!”. Cresci ouvindo essa frase de minha mãe. Essa era sua ideia de educação sexual. Parecida com a da ministra Damares. Nós, os filhos – três mulheres e um varão …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Você sabe o que é fandom?

Se não sabe nem esquente porque eu também não sabia. Mas, como todo mundo que gosta de se comunicar, ao saber que era recomendado criar e usar fandoms para aumentar o alcance de meu trabalho nas …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Motivos para agradecer

Não sou eu quem diz, mas a Ciência: gratidão faz bem. Como sempre, em todo início de ano ou de novo ciclo fazemos uma espécie de balanço do que foi bom e o que foi ruim – e 2019 foi um ano especialme…


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Como dar festa ao ar livre

Se você tem um quintal, uma varanda ou uma piscina, poderá desfrutar de um pouco de ar fresco e de um amplo espaço aberto enquanto relaxa e conversa com seus convidados. Faça uma lista - Inclua …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Restrições alimentares na minha ceia, e agora?

Final de ano chegou e é um momento de reunir a família e os amigos para uma refeição grande e deliciosa, cheia calorias e amor fraterno. É claro que dá trabalho, mas no final das contas é divertido …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

No Natal, desapegue, presenteie e agrade a quem você ama

Já começou o estresse do Natal. Estresse sim! Na TV só se fala em o que fazer com o décimo terceiro, reportagens sobre os presentes que se vai comprar, etc. E quem não tem salário? Nem o primeiro nem …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Bons hábitos em extinção

Boas maneiras não crescem em árvores. E precisam ser aprendidas, de preferência na infância. Com o tempo, muita coisa se perde e hoje, com a pressa permeando todo o nosso comportamento, muitas …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Dicas para a entrevista de emprego

O conhecimento e a experiência têm, sim, um papel muito importante em qualquer entrevista de emprego. Mas, dos aspectos mais óbvios, há outros, não muito comuns, que podem influenciar o resultado. …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Como pedir desculpas

Final de ano é uma época de confraternização: de encontros, reencontros e, para muita gente, de acertos de mal-entendidos quando as pessoas pedem perdão e perdoam ofensas recebidas. Ou não. Sim, …


Exclusivo
Claudia Matarazzo

Lidando com gente esnobe

Gente esnobe existe desde sempre e está por toda parte: em centros urbanos, subúrbios, no trabalho e na escola. Nos anos 1960, chamavam-se esnobes. Hoje, são simplesmente gente metida. Na …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados