Fabiana Tostes

Fabiana Tostes


Tomando distância

Não é de hoje que se nota um distanciamento entre o deputado Bruno Lamas e o prefeito da Serra, Audifax Barcelos, que tem a mãe de Bruno, Márcia Lamas, como vice.

As rusgas começaram quando Bruno recusou o convite de ir para a Rede e, consequentemente, não recebeu apoio do grupo do prefeito para ser candidato a federal. Mas se intensificaram com a posição de Bruno, oposta a do prefeito, em defesa do repasse de recursos para convênios de forma parcelada – o prefeito defendia o repasse em cota única.

Na sessão de ontem, Bruno Lamas deu claras demonstrações de que a distância aumentará. Ele criticou a administração da Serra por não ter apoiado o deputado Marcus Vicente à reeleição. “

Entendo que a administração poderia ter olhado com mais carinho, mas infelizmente priorizou uma aventura na candidatura a deputado federal”. Bruno se referiu à escolha do grupo de Audifax de apoiar o secretário Guto Lorenzoni (Rede) à Câmara Federal.

* * *

Um atrapalhou o outro

A vice-prefeita da Serra, Márcia Lamas (PSB), foi candidata a deputada federal, junto com o secretário Guto Lorenzoni (Rede), que tinha o apoio do grupo do prefeito Audifax Barcelos (Rede).
Nos bastidores, as duas candidaturas do mesmo grupo teriam dividido os votos e acabou que nenhum dos dois foi eleito à Câmara Federal.

* * *

Gatos escaldados...

O futuro chefe da Casa Civil, Davi Diniz, esteve ontem na presidência da Assembleia e teria, segundo os deputados Marcelo Santos e Enivaldo dos Anjos, “liberado” para votação os projetos que abrem créditos suplementares. Mas os deputados da base de Casagrande bateram o pé e não quiseram votar o regime de urgência pedido. Ficou para hoje.

* * *

Na prática

O Fórum de Combate à Corrupção do Espírito Santo promove, amanhã, o 2º Encontro do Dia Internacional Contra a Corrupção, na sede do Tribunal de Contas.

Entre as palestras, está a “Aspectos Práticos de Lavagem de Dinheiro”, da procuradora da República em São Mateus, Marisa Ferrari, que está cedida para a força-tarefa do MPF da Lava a Jato no Rio, e pelo caso de dois doleiros presos na Operação. A palestra foi desenvolvida a partir da delação dos dois.

* * *

Uvas e pepinos
Dentre as secretarias que podem ficar com quadros políticos, estão as mais cobiçadas e consideradas “uvas”, como a de Agricultura e de Esporte – por terem pautas positivas e muitas entregas – e as que são tidas como “pepinos”, como a Secretaria da Saúde, por exemplo, que deve ficar com um gestor.

* * *

Casagrande já passou da metade das nomeações

O governador eleito Renato Casagrande já nomeou 13 secretários, o procurador-geral do Estado, a cúpula da Segurança Pública e dois diretores de 2º escalão. Questionado se já tinha alcançado a metade de todas as nomeações que pretende fazer, Casagrande disse já ter “ultrapassado”. O que significa que ele deve manter o número atual de secretarias (24, contando com a PGE e a Casa Militar) ou reduzi-las. Casagrande anuncia mais secretários nesta semana.

Galeria

Para pôr fim à confusão

O deputado Theodorico Ferraço cobrou do presidente da Assembleia a criação de uma comissão especial para atuar junto às equipes de transição dos governos de Hartung e Casagrande para analisar os projetos que mexem com o cofre público.

Dezembro vermelho

A Comissão de Saúde da Assembleia, presidida pelo deputado Hércules Silveira, recebe hoje o coordenador da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids (RNP+Brasil), Dario Sérgio Rosa Coelho. A reunião abre a campanha do “Dezembro Vermelho”, de combate a Aids.

Presente!

O vereador Mazinho dos Anjos presenteou o ex-prefeito de Vitória Setembrino Pelissari com um exemplar da obra “História da Câmara Municipal de Vitória”. Pelissari foi prefeito entre os anos de 1967 e 1975.