Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Todo ponto tem nó
Painel da Folha de São Paulo

Todo ponto tem nó

Às vésperas da audiência no Senado, parlamentares receberam um dossiê com casos antigos de Sergio Moro (Justiça). Em um dos relatos, de 2005, um criminoso, Tony Garcia, avisou a Moro que seu gabinete havia sido grampeado por ele e outro comparsa.

Tornou-se delator. O então juiz teria autorizado medidas contra quem o gravou e só depois se afastou do processo. A conduta foi questionada na Justiça sob a alegação de que, sendo a vítima, Moro não poderia ter instruído a ação.

*

Quem é quem - O nome do advogado que foi acusado e condenado no caso que envolveu o grampo ilegal do gabinete de Moro é Roberto Bertholdo. Seu recurso ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) foi relatado pela ministra Laurita Vaz, que negou todos os pedidos dele, em votos confirmados pela maioria dos pares.

O infiltrado - "Ao que consta", escreveu a ministra, "Tony Garcia e o Ministério Público Federal firmaram acordo de delação premiada (...), sendo o réu, por força desse acordo, posto em liberdade com o objetivo de colher provas". Garcia gravou os ex-colegas.

Lei do retorno - O processo do STJ registra ainda que Tony Garcia "comunicou ao juiz Sergio Moro que ele seria vítima do crime de interceptação telefônica, supostamente cometido por Roberto Bertholdo, com a participação do delator". Moro autorizou medidas a pedido do Ministério Público, como quebra de sigilos, e depois se afastou do caso.

Outro lado - Procurada, a assessoria de Moro não respondeu.

Ligue os pontos - O senador Renan Calheiros (MDB-AL) indagou Moro sobre delações fechadas por ele antes da regulamentação das colaborações, em 2013. O emedebista também pediu para o ministro comentar a atuação do ex-procurador Marcello Miller, que selou delações notabilizadas pelo uso de grampos ocultos.

Me dê notícia - O ex-presidente Lula perguntou a quem o visitou na tarde de quarta (19) sobre o desempenho de Moro no Senado. O petista recebeu o relato de que o ex-juiz estava se saindo bem e que, até aquele momento, nenhum senador havia conseguido encurralá-lo.

Sem comando - Lula disse que, com a blindagem da base do governo e com o vasto tempo que foi dado a Moro, era natural que não enfrentasse dificuldade. Para o petista, o ministro só fraquejaria se a oposição tivesse preparado uma artilharia em conjunto.

Por um fio - A queda do general Floriano Peixoto da Secretaria-Geral da Presidência era esperada por aliados de Jair Bolsonaro desde que a relação do presidente com outro ex-auxiliar, o Santos Cruz, degringolou. Os dois nomes desalojados do Planalto eram muito próximos e, sem um, seria difícil o outro sobreviver.

Rebeldes - A ala do governo ligada a Olavo de Carvalho e aliados de Bolsonaro no Congresso pregam que Santos Cruz e Peixoto estariam à frente do grupo que não respeitava a autoridade do presidente.

Unidos pela fé - A chegada do general Luiz Eduardo Ramos para o posto que era ocupado por Santos Cruz foi especialmente comemorada pela bancada evangélica no Congresso.

Unidos pela fé 2 - O deputado Marco Feliciano (Pode-SP) encaminhou a aliados vídeo em que aparece ao lado de Ramos e diz que o futuro ministro é "seu irmão em Cristo". O general responde: "Toda honra, toda glória ao nosso senhor Jesus, que tem me conduzido até hoje em tudo que faço".

Primeira divisão - Para dar conta das reuniões do G20, no Japão, e da rodada Mercosul e União Europeia, na semana que vem, ministros vão se dividir. Paulo Guedes (Economia) segue para o Oriente com Bolsonaro. Já Tereza Cristina (Agricultura) e Ernesto Araújo (Itamaraty) vão a Bruxelas tratar do acordo comercial.

Segunda divisão - Os técnicos também foram divididos. O chão de fábrica está preocupado com a repercussão de carta assinada por centenas de ONGs, como o Greenpeace, contra o governo e teme que isso afete a negociação.

Vestiário - Mesmo que o acordo seja fechado, será o próximo Parlamento europeu, eleito em maio e com mais representantes do Partido Verde, que validará o tratado. No Itamaraty, o dano da carta foi minimizado. "Só reclamam os que não querem o acordo."

*

TIROTEIO

Bolsonaro, na sua história, nunca respeitou mulheres, homossexuais e a democracia. Isso tem nome, é crime

Do deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ), sobre o presidente Jair Bolsonaro ter chamado Jean Wyllys (PSOL-RJ) de menina.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora

últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Como água e óleo

É crescente o incômodo do meio jurídico com a interação revelada pelas mensagens obtidas pelo The Intercept entre o ex-juiz Sérgio Moro e procuradores da Lava a Jato. O ministro Marco Aurélio Mello, …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Somando esforços contra arquivamento de investigações

O grupo que articula recorrer ao plenário do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) contra o arquivamento de investigações sobre a atuação de Deltan Dallagnol e outros nomes da força-tarefa …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Jogo de gente grande

A polêmica decisão em que Dias Toffoli suspendeu ações baseadas em informações obtidas sem o aval da Justiça é a expressão máxima da capacidade de arquitetura política do ministro. A medida, um …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Procuradores divididos em relação à Lava a Jato

Nota publicada nesta segunda-feira (15) pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), um braço do Ministério Público Federal (MPF), escancarou a divisão que existe no órgão em …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

E te direi quem és

A nova leva de mensagens da Lava Jato, revelada neste domingo (14) pela Folha e pelo The Intercept, fez integrantes do STF ironizarem membros do Conselho Nacional do Ministério Público que avalizaram …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Se não pode vencê-los

Após forte reação no Senado de parlamentares que compõem a ala moderada do Congresso, o Ministério da Economia decidiu suspender por 30 dias os efeitos de portaria que facilita a importação de …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Apoiadores dizem que Bolsonaro errou no timing

A decisão de Jair Bolsonaro de indicar o filho Eduardo a embaixador em Washington foi considerada um erro por dirigentes de partidos que apoiaram mudanças na Previdência. O Presidente, dizem, errou …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

A República somos nós

A indicação de Eduardo Bolsonaro para a Embaixada do Brasil em Washington repercute politicamente em diversas camadas. Quem conhece os meandros do Itamaraty diz que a escolha acaba com qualquer …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

De alma lavada

Ao concluir missão que tomou como pessoal, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), enviou recados explícitos ao Planalto. No discurso que selou a aprovação em primeiro turno da reforma da …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Linha de corte mais alta

Os últimos vazamentos de mensagens trocadas entre a Lava Jato e o ex-juiz Sergio Moro tendem a aprofundar a cisão que já existe no Supremo. Há uma ala da corte que, a despeito de críticas emitidas …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados